domingo, 20 de novembro de 2016

O Nascimento De Uma Maga Negra Das Trevas


Anna Krajewski


Conectada a uma Antiga Fúria, a Sacerdotisa Purificada alcança a altitude na qual, do alto da Maior Montanha, os Atravessadores Do Deserto lançam ao solo o próprio coração. E a concepção de novos universos ressoa junto com o estampido dos clarões fulgurantes da negra alvorada do Eu. O Eu se transfere para o curso dos cometas em Descensão, os Servos se curvam aos Mestres, o Toque se torna Breve, o Vento sobre Nobre. Em ondas de mares de sangue, podridão, licores sutis e tesouros inevitáveis, surge O Guardião Das Portas De Névoas Com Sua Voz Eterna. O Guardião Que É Outras Trevas. O Guardião Que É Puras Trevas. O Guardião Que É Doutas Trevas. O Guardião Que É Ricas Trevas. O Guardião Que É Verbais Trevas. O Guardião Que É Vestes Em Trevas. O Guardião Que É Peste Em Trevas. O Guardião Que É Verdades Nas Trevas. O Guardião Que É O Receptor Nas Trevas. O Guardião Que É O Preceptor Nas Trevas. O Guardião Que É O Ouvinte Nas Trevas.


— Para Onde Olhas, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre as vestes de cadáveres imolados no Sacrifício Do Ontem, dando a resposta.


— De Onde Tu Vens, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre pedras polidas à luz do sol poente, O Sacrifício De Sempre, dando a resposta.


— O Que Trouxe Contigo, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre sete punhais de ferro, O Sacrifício Do Hoje, dando a resposta.


— O Que Deixou Fora De Ti, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre nove velas brancas quebradas, O Sacrifício Do Amanhã, dando a resposta.


— O Que Leva Contigo, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre o ventre aberto de um bebê sacrificado acima de uma rubra rocha, O Sacrifício Negado, dando a resposta.


— O Que Tu Determinas, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre o coração pulsante da mãe daquele bebê sacrificado, coração em uma bandeja de aço negro, O Sacrifício Nascente, dando a resposta.


— O Que Tu Verbalizas, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre o crânio aberto do pai daquele bebê e mãe sacrificados, crânio acima de um prateado altar contendo rubras e negras velas, O Sacrifício Determinado, dando a resposta.


— O Que Tu Constrói, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre os seios do cadáver da mãe dela, O Sacrifício Possível, dando a resposta.


— O Que Tu Destrói, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre o pênis do cadáver do pai dela, O Sacrifício Marcado, dando a resposta


— O Que Tu Ofereces Aos Novos, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre o cadáver do esposo dela, O Sacrifício Conhecido, dando a resposta.


— O Que Tu Ofereces Aos Antigos, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre o cadáver das filhas trigêmeas dela, O Sacrifício Derradeiro, dando a resposta.


— O Que Tu Ofereces Ao Eterno, Sacerdotisa?


A Sacerdotisa derrama uma gota de sangue sobre ela mesma, gota de sangue de seus pulsos cortados, e com o Punhal Dos Sacrifícios corta a própria jugular, permanecendo ereta diante do Guardião. Está dada a última resposta


— Venha, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa Se Torna Trevas.


— Venha, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa Bebe Trevas.


— Venha, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa Se Alimenta De Trevas.


— Venha, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa Dança Revestida De Trevas.


— Venha, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa Canta Aplaudida Pelas Trevas.


— Venha, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa Adormece Nas Trevas.


— Venha, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa Desperta Nas Trevas.


— Bem-Vinda, Sacerdotisa.


A Sacerdotisa É Trevas.


— Bem-Vinda Entre Nós, Os Eternos Adversários.


A Sacerdotisa, As Trevas, Os Trevosos.


— Bem-Vinda, Maga Negra Das Trevas.


A Maga, Os Magos, As Adversárias Trevas.


— Aceitai Cada Beijo.


A Maga Aceita.


— Aceitai Cada Braço.


A Maga Aceita.


— Aceitai Cada Abraço.


A Maga Aceita.


— Lute Conosco.


A Maga Luta.


— Arraste Conosco.


A Maga Arrasta.


— Arrase Conosco.


A Maga Arrasa.


— Morda Conosco


A Maga Morde.


— Rasgue Conosco.


A Maga Rasga.


— Planeje Conosco.


A Maga Planeja.


— Perturbe Conosco.


A Maga Perturba.


— Escravize Conosco.


A Maga Escraviza.


— Derrame Conosco.


A Maga Derrama.


— Conquiste Conosco.


A Maga Conquista.


— Conosco, Irmã Nas Trevas.


A Maga Assim É No Império Das Adversárias Trevas.


— Conosco, Contra A Luz Derramada.


A Maga Assim É No Império Dominante Da Matéria.


— Conosco, Contra As Mentiras Dos Ungidos.


A Maga Assim É No Império Inimigo Dos Celestes.


— Conosco, Contra O Enganador.


A Maga, Uma Com Todos Os Magos, Assim Nasce E Continuará Nascendo Pela Eternidade Das Adversárias Trevas.


Inominável Ser
SACERDOTE
DAS TREVAS





Share:

sábado, 12 de novembro de 2016

A Primeira Morte De Um Deus Keauriotheniano


The Weary Warrior - Jersey Rob


O que ocorre quando um Deus morre? Quando uma Maravilha Evolutiva como um Deus entre os Seres Materiais encontra os Abraços da Automanifestada Morte? O que leva um Deus a morrer e afetar drasticamente toda a Estrutura da Verdade Eterna Originadora de toda uma Raça Moldada? Como um Deus morre na Operativa Funcionalidade Dos Tecidos Universais? Como um Deus é capaz de alcançar as Montanhas que guiam ao Caminho Nebuloso Do Fim Material? Deuses não são Eternos dentro dos Olhos Da Eternidade? Deuses não possuem Infinita Vontade dentro das Vias Do Infinito? Deuses não navegam incólumes diante das Realidades Temporais? Deuses Adorados jamais poderiam morrer… Deuses Amados jamais poderiam tecer os longos passos finais de um Ser Material na Estrada Da Morte… Deuses, Únicos Seres abaixo dos Incondicionados que se encontram em um Nível Evolutivo que se distancia de todos os Níveis Evolutivos, jamais deveriam mergulhar nas Ondas dos Oceanos Da Morte…

Mas, Alekhan Oalduthen, Bredara Sarahhon, Margae Rannonhlann, Fardar Naftalih, Hauror Rinji, Rammaer Epamiker, Resya Ocitilop, Yura Tenerah, Uyga Terah, Thera Korah e Jardara Rwter estavam diante da chegada da morte de um Deus Keauriotheniano muito idolatrado, adorado e amado. Dorgasaat Baarah, O Benévolo Deus Guerreiro Das Estrelas Guardiãs Dos Mundos Celestiais, um dos primeiros e melhores Discípulos Diretos de Artcsom Ocitilop que se tornaram Deuses, agonizava nos braços de suas filhas, Hayyshar e Raltah, As Duas Deusas Guerreiras Da Estrela Flamejante Das Almas Eternas Universais. Gêmeas, foram as únicas dos 2.045 filhos deles que sobreviveram à Guerra Universal De Eroomoon Xoodur. Esta Colônia Universal Keauriotheniana, governada por Dorgasaat há 1.110 Eras Universais, enfrentou durante 640.987.555 Anos Universais as Forças Caóticas Xo-Eraoos, um aglomerado de 642 Universos Superiores que tinha pretensões de Expansionismo Territorial. Ao invadirem Eroomoon, comandadas por Yud’uskear-Ruu, O Décimo Nono Filho Do Caos Automanifestado, deflagraram uma guerra contra todo o Império Keauriotheniano.

Artcsom liderou a investida contra as possessões de Xo-Eraoos e a guerra ainda transcorre enquanto um Deus Keauriotheniano morre. Dorgasaat e Yud’uskear-Ruu travaram um extremíssimo embate estratégico por todo Eroomoon, embate no qual 533 milhões de galáxias, o quintuplo de planetas e o décuplo de existências foram exterminados. Dorgasaat salvou os demais inumeráveis habitantes, planetas e galáxias muitas vezes arriscando a própria Existência, se importando mais com os Seres Comuns e seus comandados do que com aquela. E a última batalha, a que decidiu a libertação definitiva de Eroomoon, representou o palco da Batalha Mística Final entre os comandantes dos dois lados. O Semi-Automanifestado Yud’uskear-Ruu teve elevadíssimas vantagens a cada confronto que travou contra Dorgasaat; este, após 12.225 confrontos, nos quais saía feridíssimo, não pôde confrontar no último ao inimigo, que o feriu a tal ponto quando acessou uma Face Caótica que quase foi Extinto. As filhas salvaram-no, Extinguindo juntas ao inimigo após um duríssimo combate que durou 6.112 Anos Universais.

Menos feridas do que o pai, levaram-no para o Planeta Uur Rul Nuuar, a Sede do Governo Universal. Destruída em 70% de sua superfície, com 2.483.976.002 habitantes mortos e o dobro de feridos, é o local de nascimento delas e dos irmãos que morreram na Guerra. Nas ruínas do Templo Estelar Primordial de Eroomoon, choram pelos últimos momentos do pai cercadas por aqueles onze Soldados também nascidos no planeta. Onze Seres Comuns que nunca imaginaram ou sonharam com o dia no qual veriam a morte de um Deus e as lágrimas de duas Deusas, filhas do mesmo, escorrendo com estarrecedora abundância. Um Deus muito Amado e Adorado por eles, assim como elas. O Único Deus que mais conheceram e lhes trataram como iguais na Raça Keauriotheniana.


— Não há nada a ser feito, minhas filhas, mais nada… — Dorgasaat tem a cabeça apoiada nas coxas de Hayyshar e as pernas juntas acima das coxas de Raltah. — Não me interrompam agora, minhas filhas, meus Soldados, eu tenho muito a lhes falar antes de encontrar o Automanifestado Caminho Tarmaa… Muito já lhes indiquei como devem Agir, Ser e Estar… Agir Permanente Nas Vias Do Permanente Caminho De Todo O Fluir Das Coisas Manifestadas E Automanifestadas… Ser No Tecido Das Tramas Envolventes Da Textura Estrutural Da Universalidade… Estar No Meio Do Acontecimento Maior Do Existir Como Conjunto No Conjunto Do Todo Maior… Foram muitas palavras assim… Todas, quase sempre assim, para vocês, seus irmãos e irmãs… Lhes moldei como Brilhantes Estrelas Keauriothenianas… E também como Brilhantes Estrelas Para Toda A Criação… Lhes moldei, indicando O Caminho Benévolo… O Bem Automanifestado em uma das Faces de Nossa Mãe… E junto com a mãe de vocês, minha Adara, fiz muito mais… Me chamaram de muitos Nomes Eternos antes… Antes de vir atuar aqui como Governante Universal… Dorgasaat, A Nobre Estrela… Dorgasaat, A Mais Benévola Estrela… Dorgasaat, Luz Estelar Verdadeira… Dorgasaat, O Supremo Bom… Dorgasaat… Eu já era considerado um Arauto Da Vida Eterna, do Amor Automanifestado Em Cada Eterna Existência Da Criação… Minha amada Mestra Artcsom me chamou de Dorgasaat, O Esposo Eterno Da Bondade… Mas, Dorgasaat, Pai… Sim, pai… Pai é o melhor dos Nomes que recebi… Para Adara, ser chamada de mãe, também teve o mesmo efeito… O seu pai, minhas filhas… O seu pai, meus Soldados, já que com Amor sempre lhes tratei como meus filhos… O pai de vocês está morrendo… Morrendo feliz por ter salvo Existências… Morrendo feliz por ter auxiliado Seres Comuns desde sempre… Morrendo feliz por ter Comungado com Seres Evoluídos na Paz e na Guerra… Não sou um Deus Maior, Melhor, Acima De Todos Os Demais Deuses… Meus Nomes irão apagar-se no Futuro com o advento de outros Deuses e Arquimestres Keauriothenianos… Os feitos deles apagarão os meus… Mas… Mas, não me importa, eu sempre agi desinteressado em deixar meu nome na História Da Criação… Agi Compreendendo o porquê da nossa Raça ser considerada A Primeira Raça Perfeita Da Criação… Nosso Verdadeiro Destino como Raça não é a tudo conquistar… Nosso Caminho não é Tirania Total escravizando outras Raças Moldadas… Nossa Guerra, Verdadeira Guerra, é pela Eterna Paz Da Criação… Pode até não parecer, mas até hoje nossas Ações como um Império trouxeram A Paz para determinados Pontos Da Criacão… Nosso Pai Thornadoriusis nos Moldou para sermos Pacificadores… Isto, filhas e filhos, eu lhes ensinei… Lhes ensinei… E vocês utilizaram e utilizarão não em meus Nomes… Utilizarão em nome da Verdadeira Justiça Automanifestada… Em nome do Verdadeiro Bem Automanifestado… Em nome de tudo que leva ao Verdadeiro Evoluir… O Belicismo Keauriotheniano deveria desde sempre ter adotado esses Benévolos Princípios Maiores… Não adotou e a maioria dos da nossa Raça atualmente fazem parte do mesmo tipo de Mal que eu combati… Lutei muito, filhas e filhos… Sem me deixar cair ou cansar, quando precisavam de meu auxílio, eu estive presente… Sempre com um sorriso para aqueles que sofriam… Sempre com calorosas mãos para aqueles que não podiam caminhar… Sempre com afeto para vencer cada batalha contra os Criminosos Tirânicos e suas hordas… Criminosos e hordas, filhas e filhos, que também existem em nossa Raça… Não se enganem, pois agora tenho uma Visão do Futuro Da Criação além das Eras Universais… Virão Eras após estas que preparam a Definitiva Ascensão Evolutiva da Raça Keauritheniana… Não consigo distinguir se é para o Bem ou para o Mal… Minha Visão não define o que é essa Nova Luz que estou a vislumbrar agora… Não interpreto isto como algo a preocupá-los, apenas quero que se mantenham firmes dentro dos valores que lhes transmiti… Valores que recebi de minha Mestra Artcsom… Valores que meus pais, As Primeiras Estrelas Keauriothenianas, me transmitiram… Mesmo que em nossa Raça esses valores diminuam com o Tempo, sigam firmes neles… Transmitam cada um deles aos seus filhos e descendentes… Honrem… Honrem a Criação e todas as demais Raças da mesma transmitindo O Fervor Guerreiro na Busca pela… Paz… Harmonia… Amor… Luz, mesmo dentro das Infindas Trevas Que Abraçam Os Campos Da Criação… Trevas necessárias para que possamos Ver melhor o Verdadeiro Caminho à nossa frente… Nelas, quando Despertei como um Deus, Vi o meu Caminho… Vi todo ato para com todos que necessitaram de mim pela Criação… Vi o meu empenho na defesa do Bem… Vi a mãe de vocês, filhas, nascendo e morrendo… Vi os pais e as mães de vocês, filhos… Vi o que ocorreria nesta Guerra… Vi seus irmãos, filhas, nascendo e morrendo… Vi os de seus Clãs, filhos, nascendo e morrendo… Vi a nossa vitória… Vi a minha morte aqui, filhas e filhos, rodeado por vocês… Não chorem, filhas… Não chorem, filhos… O Símbolo Eterno do Clã Baarah se refere à Felicidade Da Alma Eterna Nos Mundos Eternos Dos Princípios Do Existir Eterno… Sou uma Feliz Estrela… Uma Estrela que cumpriu sua trajetória… Trajetória de Brilhos pelo Bem… Obrigado, Grande Estrela… Obrigado, Mãe… Obrigado… Obrigado pela oportunidade de ter seguido a Estrela do meu Verdadeiro Caminho… Brilhem, filhas… Brilhem, filhos… Felizes Como Eternas Estrelas Benevolentes… Felizes… Felizes… Felizes… Felizes como eu estou agora…


Com um fraternal sorriso no rosto, Dorgasaat entregou sua Alma Eterna nos Automanifestados Braços Da Magia Eterna. Suas filhas emitiram Gritos Eternos que estremeceram a Criação inteira. Seus filhos deixaram as lágrimas abundantemente escorrer. Todos os Evoluídos Da Criação Sentiram e Viram a morte de um Deus, um Evento Da Criação, nada inédito para eles. Thornadoriusis Shodolon, O Pai Racial Keauriotheniano, que também já vira anteriormente Eventos semelhantes, Sentiu e Viu a morte de um dos seus Maiores Descendentes Eternos Em Evolução. Todos os Evoluídos Keauriothenianos, ainda no Florescimento Dos Seres Evoluídos além de Thornadoriusus, Sentiram e Viram a morte de um Deus de sua Raça. No exato momento da morte dele, Artcsom explodiu evolutivamente e sozinha Extinguiu a todos os habitantes de Xo-Eraoos, assombrando e aturdindo aos comandados dela. Os Keauriothenianos assim descobriram que Deuses entre eles podem morrer. Descobriram e muito lamentaram a morte de um dos mais benévolos Deuses de toda a sua História.

Há quem, entre os Cronistas Bélicos Keauriothenianos, considere Dorgasaat como O Único Filho Da Guerra Benévolo Que Houve Em Toda A História Da Criação.


Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL





Share:

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Um Obscuro Adepto Diante Dos Seis Senhores Da Obscuridade


Dark Magic - Cruenta


Aqueles Que Se Encaminham Para Os Braços Dos Obscuros Tecem Em Si Mesmos As Vestimentas Cheias De Festas De Desgraças. O Ponto De Contato Com Ashamsrakk É O Ponto De Encontro Com O Próprio Devorador Ato De Toda A Visibilidade E Invisibilidade No Trono Decadente Do Corroído. Na Corrosão Se Pode Alcançar Valaas, O Imperturbável Que Se Ergue Das Fossas Mais Vastas Da Zona Poderosa Dos Sonhos E Pesadelos. Saaran Aguarda Na Porta De Entrada. Baaskar Aguarda Na Porta De Saída. Maarda Espreita Na Janela À Esquerda. Zaasva Espreita Na Janela À Direita.


— Eu Sou Zaasva.
— Eu Sou Maarda.
— Eu Sou Baaskar.
— Eu Sou Saaran.
— Eu Sou Valaas.
— Eu Sou Ashamsrakk.
— Eu Sou Aquele Que Chega Até Cada Um De Vós, Senhores Da Obscuridade!


A Obscuridade Chama De Dentro Dos Iniciadores Abissais. A Obscuridade Se Transmuta A Cada Transmutação Dos Obscuros Que Nela Residem. A Obscuridade Avança Dentro Do Labirinto Das Formas E Das Não-Formas. A Obscuridade Encanta O Mago Caminho Que Rege A Magna Magia Do Ser Dentro Das Caóticas Vestes Eternas. A Obscuridade É O Estado Onde As Ordens Se Igualam Aos Atos. A Obscuridade É O Império Onde Toda Imaginação Realiza A Afirmação E A Negação Do Ontem, Do Hoje E  Do Amanhã.


— Negue Seu Amanhã.
— Negue Seu Hoje.
— Negue Seu Ontem.
— Negue Seu Ser.
— Negue Seu Eu.
— Negue Seu Não-Eu.
— Me Nego No Que Eu Sou E No Que Eu Não Sou, Por Onde Passo E Por Onde Passei E Por Onde Passarei, Senhores Da Obscuridade!


O Tempo Deve Ser Consumido Como Obscura Fonte De Tremores Diante Do Caminho Que Deve Ser Seguido Na Negação Eterna. Obscura É A Estrada Aberta Para Os Que Negam As Mentirosas Vestimentas Da Matéria E Da Imaterialidade. Obscura É A Árvore Que Cresce Sendo Oferecida A Cada Um Que Caminho Na Obscura Estrada. Obscura É A Onda Do Único Oceano Que Banha O Negado Ser Daquele Que Se Nega Dentro Da Obscura Árvore. Obscura É A Estrela Que Brilha No Firmamento Das Negações Daquele Que Se Nega Banhado Pela Obscura Onda. Obscura É A Razão Que Se Nega Naquele Que É A Própria Negação No Interior Da Obscura Estrela.


— Eu Sou A Obscura Estrela.
— Eu Sou A Obscura Onda.
— Eu Sou A Obscura Árvore.
— Eu Sou O Obscuro Consumidor.
— Eu Sou A Obscura Estrada.
— Eu Sou A Negação Eterna.
— Eu Me Nego Em Vossa Obscura Razão, Senhores Da Obscuridade!


Olhe Para A Obscuridade Como O Alimento A Ser Consumido No Prato De Quedas Das Realidades. Olhe Para A Obscuridade Como A Bebida A Ser Consumida Na Taça De Desvelamento Dos Véus. Olhe Para A Obscuridade Como A Mulher A Ser Possuída Dentro Da Passagem Das Eras. Olhe Para A O Obscuridade Como O Homem A Ser Sodomizado Dentro Da Rota Dos Observáveis E Não-Observáveis Fatos. Olhe Para A Obscuridade Como A Criação A Ser Conquistada Dentro Da Unidade Da Revelada Eternidade.


— Eu Sou A Criação Conquistada.
— Eu Sou O Homem Sodomizado.
— Eu Sou A Mulher Possuída.
— Eu Sou O Que Mais Consome.
— Eu Sou A Bebida Consumida.
— Eu Sou O Alimento Consumido.
— Eu Sou Aquele Que Em Vós Aprende A Consumir, Possuir, Sodomizar E Conquistar, Senhores Da Obscuridade!


Caminhe Pela Reta Guiando Os Peregrinos Eternos Da Obscuridade. Caminhe Pelo Roteiro Escrito Pelos Poetas Da Obscuridade. Caminhe Pelos Quadros Pintados Pelos Artistas Da Obscuridade. Caminhe Pelos Filmes Realizados Pelos Diretores Da Obscuridade. Caminhe Pelas Esculturas Criadas Pelos Escultores Da Obscuridade.


— Eu Sou O Primeiro Escultor.
— Eu Sou O Primeiro Diretor.
— Eu Sou O Primeiro Artista.
— Eu Sou O Primeiro Dos Primeiros.
— Eu Sou O Primeiro Poeta.
— Eu Sou O Primeiro Peregrino.
— Eu Sou Uma Escultura, Um Filme, Um Quadro, Uma Poesia E Uma Reta Em Vós, Senhores Da Obscuridade!


Desordens Multiplicam O Poderio Da Obscuridade. Multiplicidades Anunciam O Correr Da Obscuridade. Corridas Preparam Os Alicerces Da Obscuridade. Alicerces Suportam Os Templos Da Obscuridade. Templos São Veículos Da Obscuridade.


— Eu Sou O Primeiro Veículo.
— Eu Sou O Primeiro Templo.
— Eu Sou O Primeiro Alicerce.
— Eu Sou A Primeira Desordem.
— Eu Sou A Primeira Corrida.
— Eu Sou A Primeira Multiplicidade.
— Eu Sou Um Veículo, Um Templo, Um Alicerce, Uma Corrida E Uma Multiplicidade Em Vós, Senhores Da Obscuridade!


Obscura Realização.


— Realize.
— Realize.
— Realize.
— Realize.
— Realize.
— Realize.
— Eu Realizo, Senhores Da Obscuridade!


Obscura Afirmação.


— Afirme.
— Afirme.
— Afirme.
— Afirme.
— Afirme.
— Afirme.
— Eu Afirmo, Senhores Da Obscuridade!


Obscura Explosão.


— Exploda.
— Exploda.
— Exploda.
— Exploda.
— Exploda.
— Exploda.
— Eu Explodo, Senhores Da Obscuridade!


Obscura Extinção.


— Extingua-Se.
— Extingua-Se.
— Extingua-Se.
— Extingua-Se.
— Extingua-Se.
— Extingua-Se.
— Eu Me Extinguo, Senhores Da Obscuridade!


Esta É A Obscuridade.


— Eu Sou A Obscuridade.
— Eu Sou A Obscuridade.
— Eu Sou A Obscuridade.
— Eu Sou A Obscuridade.
— Eu Sou A Obscuridade.
— Eu Sou A Obscuridade.
— Que Eu Também Seja A Obscuridade, Senhores Da Obscuridade!


Assim É Ser Na Obscuridade.

Porque
Sou Negada,
Eu Existo.

Porque
Existo,
Eu Não-Existo.

Porque
Sou Desprezada,
Eu Sou.

Porque
Eu Sou,
Não-Sou.

Porque
Sou Diminuída,
Eu Crio.

Porque
Eu Crio,
Destruo.

Porque
Sou Ignorada,
Me Manifesto.

Porque
Me Manifesto,
Sou Imanifestada.

Porque
Sou Indesejada,
Sou Desejo.

Porque
Sou Desejada,
Sou De Poucos.

Você
É Um
Dos Poucos?

Você
É Uma
Dos Poucos?

Então,
Sou Sua,
Toda Sua…

Dentro De Você,
A
Obscuridade.



Inominável Ser
UM OBSCURO
SER




Share:

domingo, 30 de outubro de 2016

A Mercadoria



A Mercadoria é posta sentada em frente à câmera, apenas coberta por uma toalha de seda vermelha. A Vendedora se direciona para o laptop atrás da câmera e a esta liga, se conectando imediatamente ao Portal das Delícias. Neste, cinco Compradores de alto gabarito e escolhidos a dedo pela vendedora observam a Mercadoria por alguns instantes. Homens cuja riqueza unida é incalculável, aguardam o início do discurso de convencimento da Vendedora para o material que mais tem saída entre este grupo seleto de consumidores do que se tem para adquirir na Deep Web.

A Vendedora volta a se aproximar da Mercadoria, a ergue da cadeira na qual a colocou sentada e tira a toalha. Segurando pelo queixo a cabeça da Mercadoria, apresenta o rosto da mesma para a câmera e inicia o detalhamento das qualidades da mesma.


— Olhos verdes-claros, branca como a neve e cabelos negros ondulados até o meio das costas. Seios pequenos e duros, com os bicos pontiagudos. Quadril largo com uma buceta virgem que agrada muito aos senhores. Pernas torneadas, sem muita gordura, como sempre me pedem.


A Vendedora vira a Mercadoria de costas para a câmera.


— Costas largas, como estão vendo. Bunda com bastante carne, agradável para apalpar, morder e acariciar. E o mais importante: um cu tão virgem quanto a buceta. Uma relíquia para os senhores, como podem ver.


A Vendedora senta a Mercadoria, nua, na cadeira, abrindo as pernas da mesma para que a vagina fique bastante visível. E volta a olhar para a câmera.


— Aqui está, senhores, mais uma Mercadoria em bom estado, fresca e na idade que vocês mais apreciam. Como já estamos há alguns anos tendo exclusividade com os senhores, garantimos qualidade extrema no que estamos hoje lhe oferecendo. Nossa empresa é a mais discreta possível e em doze horas, agora, passa a entregar para vocês o produto vendido. Comecem os lances agora, estarei coordenando o leilão de hoje, a partir de um milhão de dólares.


A Vendedora volta para o laptop e os lances começam a surgir no chat de negociações.


@amantedebonecas: Dois milhões pela cabritinha.
@dariovagineiro: Três milhões e meio
@comedorfoderoso: É mais magrinha que a outra, gostei muito dela… Três milhões e meio.
@estupradorgentil: Muito bonitinha essa vadiazinha… Cinco milhões.
@reidasbucetinhascheirosas: Dou seis milhões.
@vendedora: Primeira rodada de lances, encerrada. Alguem disposto a pagar mais?
@amantedebonecas: Sete milhões… Não, dez milhões!
@dariovagineiro: Muito pouco para essa cabritinha, que vale muito… Quinze milhões.
@comedorfoderoso: Vocês estão brincando? Ela vale trinta milhões!
@estupradorgentil: Eu nunca brinco, dou cinquenta milhões.
@reidasbucetinhascheirosas: Cem milhões.
@vendedora: Segunda rodada encerrada. Alguém arrisca mais lances?
@amantedebonecas: Duzentos milhões.
@dariovagineiro: Duzentos e cinquenta milhões.
@comedorfoderoso: Agora, eu levo! Quinhentos milhões!
@estupradorgentil: Setecentos milhões.
@reidasbucetinhascheirosas: Eu ganhei… Um bilhão e quinhentos milhões.
@vendedora: Terceira rodada encerrada. Alguém…
@estupradorgentil: Quarenta bilhões ofereço por esta beleza toda!


Os demais Compradores dão uma pausa na digitação dos lances por alguns instantes. Experientes, tanto como o dono do louco lance por último dado, sabem que jamais foram tão longe. Pela primeira vez, um valor desse nível é alcançado, fazendo um sorriso formidável de satisfação surgir no rosto da Vendedora. Após vinte e um minutos de reflexão, os demais se manifestam.


@amantedebonecas: Desisto.
@dariovagineiro: Também desisto.
@comedorfoderoso: Não quero mais continuar.
@reidaabucetinhascheirosas: Setenta bilhões.
@estupradorgentil: Cem bilhões!
@reidasbucetinhascheirosas: Trezentos bilhões.
@estupradorgentil: Seiscentos bilhões!
@reidasbucetinhascheirosas: Um trilhão.


Para todos os demais Compradores e para a Vendedora, o último lance é muito mais inédito do que antes. Pego de surpresa, o que primeiro ousou, o @estupradorgentil reflete por dez minutos, até voltar a se comunicar no chat.


@estupradorgentil: Setecentos trilhões.


Desta vez, o @reidasbucetinhascheirosas foi pego de surpresa. Ele demora apenas dois minutos refletindo.


@reidasbucetinhascheirosas: Eu desisto.
@estupradorgentil: GANHEI DE NOVO!!! KKKKKKKKKKKKK!!!
@vendedora: Mercadoria vendida para @estupradorgentil. Após a confirmação do depósito em nossa conta, enviaremos imediatamente a mesma. Usufrua do produto como sempre faz, meu amigo.
@estupradorgentil: Eu a quero enroladinha naquela toalha…
@vendedora: Será atendido o seu pedido, o senhor tem conosco um grande atestado de credibilidade. Admiramos a forma como trata de usufruir das Mercadorias que adquire conosco.
@estupradorgentil: Vocês são os melhores da Deep Web, garota!
@vendedora: Fazemos sempre o melhor para agradarmos os excelentes clientes que vocês são. Agora, terei que encerrar nosso chat, amigos, muito obrigada pela forma como educadamente disputaram a cada lance deste leilão. E o senhor, @estupradorgentil, receberá em doze horas a sua próxima diversão.
@estupradorgentil: Aguardo a chegada dela, garota…


A Vendedora encerra o chat e se desconecta do Portal. Desligando a câmera, abre a porta do quarto onde ocorreu a Venda e quatro mulheres adentram para levar a Mercadoria. Esta é enrolada novamente na toalha e, como um robô, é guiada para fora do local da negociação. Ela não sabe quem é, de onde veio e nem para onde irá. Tem apenas noção de que está sendo bem cuidada no momento, recebendo tudo para se sentir bem. Não fala, apesar de ter o dom da fala; apenas sorri com alegria e responde com acenos de cabeça quando lhe falam. E continuará assim quando estiver nas mãos do @estupradorgentil, um artista na arte do estupro a ser filmado e exibido em todos os recantos mais obscuros da Deep Web. Ela será estuprada com diversos objetos. Ela será estuprada por cavalos, jegues, mulas e cães. Ela será estuprada por homens superdotados. Ela será estuprada pelo seu Comprador até a morte por estrangulamento, após seis meses de diversões garantidas para aquele. Nesses seis meses, continuando apenas a não se lembrar quem é, de onde veio, para onde vai, nada falando, apenas sorrindo.

E tendo, apenas, oito anos de idade.

Inominável Ser
APENAS
O NARRADOR




Share:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support