terça-feira, 27 de novembro de 2007

Ambrósio Do Mar

Monstros se fazem ao romper das desgastadas estradas de amontoados de sonhos arruinados pelas pisadas de Deuses furiosos. Muitos Deuses passaram diante de Ambrósio, um homem rude da cidade, casado e cansado de estar diante de sua mulher estúpida e de seus filhos estúpidos. Assim, cansado, assim, com a própria estupidez também, Ambrósio reage contra seus filhos e a sua mulher:

- Montes de merdas, lixos miseráveis, lixos desgraçados!

E nas mãos de Ambrósio um porrete. Porretada nas costas de sua mulher estúpida:

- Piranha desgraçada, apanha! Puta! Vadia! Cretina do caralho! Arrombada!

Vejamos, Marta não é nada disso e muito menos é estúpida. É apenas uma mulher que ama um homem que há quinze anos assim a trata. Marta vai apanhando, o sangue vai caindo, uma poça em forma de lago, pequeno rubro lago, no chão da cozinha, no chão do banheiro, no chão da sala. Marta limpa seu sangue resignada, é uma das Amélias mais desgraçadas, é uma das Amélias mais miseráveis. Uma Amélia que todo dia, na cama, em seu quarto, ouve o marido no quarto da filha de onze anos que possui assim dizer:

- Vem, sua putinha gostosinha, vem pro papai, dá o cuzinho pro papai.... Deixa eu ver a bucetinha lindinha... Deixa eu ver, sua cadelinha, sua ratinha, sua vagabundinha! Fica de quatro! Abre o rabo! Abre! Me chupa bem! Me chupa, sua cadelinha desgraçada! Me chupa!

Vejamos, Ana Roberta não é nada disso e muito menos é estúpida. É apenas uma menina de onze anos, como dito anteriormente, estudante da sexta série de uma escola particular, sem amigas, triste e solitária sempre. Ana Roberta é, no entanto, a mais inteligente e sagaz de sua classe, é um gênio matemático, a calcular e a calcular e a calcular, sempre a calcular, quantas vezes seu pai pode estuprá-la todas as noites xingando-a daquela maneira. Ana Roberta é uma Lolita desgraçada, uma Lolita mui desgraçada, uma Lolita miserável, uma Lolita mui miserável, vendo seu pai maltratar assim o seu irmão:

- Garoto sujo! Garoto imbecil! Aprende a ser macho, arromba logo umas menininhas por aí! Prá que tu tem um pau grande como o meu! É prá arrombar as cadelinhas de quatorze e treze anos que tem por aí! Mulher serve para isso, para satisfazer a fome dos nossos paus! Eu te arrebento se der uma de viadinho, seu escroto, algum dia! Fode com elas, fode com essas vagabundinhas!

Vejamos, Carlos Alberto não é nada disso e muito menos é estúpido. É apenas um menino de quatorze anos que sofre de leucemia e enxerga muito mal do olho esquerdo, olho que foi esmagado pelos socos do pai quando ele tinha seis anos. Carlos Alberto está na oitava série de uma escola particular, a mesma de Ana Roberta, e, como esta, é um gênio matemático. Carlos Alberto calcula quantas vezes por dia seus pai é capaz de xingá-lo e bater-lhe, menos do que ocorre com a sua mãe, com uma vara grossa de bambu.

Vejamos o homem monstruoso tão feito para assim agir com a própria família. Vejamos, Ambrósio é um rico senhor de uma fortuna de cem milhões de reais herdada de seus pais. Ambrósio sempre foi um grande exemplar canalha de primieiríssima estirpe, um canalha com milhões na conta bancária, um canalha que agora possui quarenta e nove anos de idade, a mesma idade da mulher que escolheu como esposa apenas para dizer que podia formar e manter uma família. Ambrósio nada ama, não ama a mulher que vê como estúpida, não ama os filhos que vê como estúpidos, não ama a ai mesmo, o qual vê como estúpido.

Ambrósio considera também estúpidas todas as pessoas de sua cidadezinha à beira-mar no litoral do Rio de Janeiro. Ambrósio, senhor da região, é também o senhor do mar, é o dono de todas as embarcações disponíveis para navegação e na Marinha é respeitado como um grande cidadão cumpridor de seus deveres mais cívicos para o desenvolvimento da nossa maravilhosíssima nação! Ambrósio, o monstro Ambrósio, é um bom homem aos olhos da sociedade que o consagra apenas pela sua conta bancária dessa maneira. Ambrósio, o mosntro Ambrósio, sai com a sua família, a família que ele maltrata e considera como estúpida, para ir a festas, para viagens de negócios, tratando-os com carinho, carinho monstruoso hipócrita e indecente.

Ambrósio Do Mar, como o chamam os seus asseclas, que nada sabem da consideração dele por eles, a consideração que o leva apenas a vê-los como estúpidos, nada sabem dos maus-tratos que ele concede à família. Ambrósio Do Mar, demonstrando sempre uma inexistente decência, é sempre hipócritas sorrisos e abraços para todos de sua cidade, a qual considera igualmente estúpida. Ambrósio Do Mar possui ainda coisas que podemos aqui considerar, afinal, tal estúpido monstro possui segredos que jamais irá contar aos amigos que hipocritamente mantém!

Ambrósio Do Mar, ao viajar sozinho a negócios, utiliza o seu dinheiro para procurar adolescentes prostitutas das cidades que visita.

Ambrósio Do Mar, em silêncio, fode com as meninas.

Ambrósio Do Mar, em silêncio, estrangula as meninas.

Ambrósio Do Mar, em silêncio, utiliza ácidos para fazer desaparecer os corpos das meninas.

Ambrósio Do Mar procura travestis.

Ambrósio Do Mar não fode com os travestis.

Ambrósio Do Mar, rosnando, mata travestis com machadadas por todo o corpo.

Ambrósio Do Mar, rosnando, arranca os pênis dos travestis e os dá a cachorros de rua para comerem.

Ambrósio Do Mar, rosnando, utiliza ácidos para desaparecer com os corpos dos travestis assassinados.

Ambrósio Do Mar procura michês.

Ambrósio Do Mar, gemendo, dá o cu para os michês...

Ambrósio Do Mar, gemendo, chupa os paus dos michês...

Ambrósio Do Mar, gemendo, mata michês sufocando-os com os travesseiros das camas nas quais se deita com eles.

Ambrósio Do Mar, gemendo, aranca pedaços dos cabelos dos michês para guardar cada um como lembrança deles.

Ambrósio Do Mar, gemendo, utiliza ácidos para fazer despaarecer os corpos dos michês mortos...

Ambrósio Do Mar é político.

Ambrósio Do Mar viaja tanto porque também é, além de rico, um político.

Ambósio Do Mar já foi prefeito de sua cidade.

Ambrósio Do Mar já foi deputado estadual.

Ambrósio Do Mar já foi deputado federal.

Ambrósio Do Mar agora é um senador do Estado do Rio de Janeiro.

Ambrósio Do Mar agora quer ser presidente.

Vejamos, brasileiros, os políticos de nosso país não são todos uns monstros estúpidos?

Por que não ter um monstro tão estúpido como Ambrósio Do Mar como nosso presidente?

Nós não somos verdadeiros estúpidos, abaixo deles, por sermos para eles como prostitutas, travestis e michês explorados pelos cafetães ideológicos que eles são?

QUE AMBRÓSIO DO MAR SEJA O NOSSO PRESIDENTE, BRASILEIROS!!!

AMBRÓSIO DO MAR, A CARA DO BRASIL!!!

AMBRÓSIO DO MAR, A CARA DO ESTÚPIDO BRASIL!!!

AMBRÓSIO DO MAR, UM ESTÚPIDO POLÍTICO QUE É O MAIOR DOS HUMANOS HIPÓCRITAS!!!

AMBRÓSIO DO MAR, UM ESTÚPIDO POLÍTICO QUE É UM ESTÚPIDO MONSTRO QUE SEM HIPOCRISIA MATA!!!

AMBRÓSIO DO MAR, SEM HIPOCRISIA, MATA!!!

AMBRÓSIO DO MAR, O POLÍTICO MAIS PERFEITO!!!

AMBRÓSIO DO MAR, PRESIDENTE DO BRASIL!!!

NÓS MERECEMOS UM PRESIDENTE ASSIM, BRASILEIROS, SOMOS TÃO ESTÚPIDAS OVELHAS SENDO MORTAS HÁ QUINHENTOS E SETE ANOS!!!

Inominavelmente estúpido,

Inominável Ser.

Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Meu Perfil No Facebook

Esta Cova No Facebook

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox
Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support