quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Dimmu Borgir - The Serpentine Offering




My descent is the story of every man
I am hatred, darkness and despair
My descent is the story of every man
I am hatred, darkness and despair

Evoked and entertained through centuries
Wrathful and sullen--dormant still
The ferocity pervades everywhere
Waiting to be released at last

Hear my offering
Ye bastard sons and daughters
Share my sacrifice
Share my sacrifice

My descent is the story of every man
I am hatred, darkness and despair
My descent is the story of every man
I am hatred, darkness and despair

Reconcile not with the fear of the snake
But embrace it as your own
Inject it's venom into your veins
And replant the seed that gives growth
Still shrouded in mystery
Until you arise above perception
A veil of ignorance is in motion
Continuing throughout generations

A veil of ignorance is in motion
Continuing throughout multiple generations
let me be the one that deliver you from the deceit
And back into perfect accordance with the laws of nature

The snake is notoriously tempting
But the snake is fair
What is worse than not knowing?
To live or disappear?

The ferocity pervades everywhere
Waiting to be released at last

Hear my offering
Ye bastard sons and daughters
Share my sacrifice
Share my sacrifice



Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero
Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero

Evocado e entretido por séculos
Uma sombria ira - dormente ainda

A ferocidade impregnada em toda parte
Esperando ser libertada finalmente

Receba minha oferta
Filhos e filhas, bastardos
Compartilhem meu sacrifício...
Compartilhem meu sacrifício!!!

Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero
Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero

Reconcilie-se, não com medo da serpente
Mas a abrace, como se fosse a si mesmo
Injete este veneno nas suas veias
E replante a semente que dá crescimento
Ainda envoltados em mistério
Até você surgir além da percepção
Um véu de ignorância está em movimento
Continuamente através das gerações

Um véu de ignorância está se movendo
Continuamente por múltiplas gerações
Deixe-me ser o que te livra do engano
E entre em acordo perfeito com as leis da natureza

A cobra tenta ser reconhecida
Mas a cobra é razoável
O que é pior que não saber?
Viver ou desaparecer?

A ferocidade impregnada em toda parte
Esperando ser libertada finalmente

Receba minha contribuição
Filhos e filhas, bastardos
Compartilhem meu sacrifício...
Compartilhem meu sacrifício!





Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Arquivo do blog

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Arquivo do blog

Recent Posts

Unordered List

Theme Support