domingo, 13 de abril de 2008

A Igreja Do Belo Culto

Como toda protestante de veia esplêndida em sua fé dedicada, Marília, do bairro de Cosme Velho, segue todo dia para o seu culto noturno, culto este dirigido pelo Pastor Virgílio. É diária rotina de gritos em louvor de seu Deus e de seu Jesus, assim como da miríade toda da Anjos Salvadores e palavras as mais variadas acerca das virtudes de ser uma cristã, ou um cristão.

A fé de Marília, supremacia de um protesto contra as desvairadas estupidezas de um mundo de pecados, fé de mulher sagrada e consagrada aos estoques de palavras e mais palavras recitadas pelo pastor Virgílio.

A fé de Marília, uma fé tão rara, uma fé tão bonitinha, uma fé tão profundinha, toda belissimamente feita de conceitos amplamente divulgados pela sua igrejinha.

A fé de Marília, Marília, uma dessas mulheres despersonalizadas por aquela, cientes das coisas erradas do mundo, tão dadas ao recluso movimento de seus membros, tão fadadas ao caminhar de cabeça abaixada e vestida de forma aprumada, pois afinal de contas ela não é como qualquer vagabundinha de shortinho enfiado no cu que passa pela linha de um trem todo dia.

A fé de Marília, manancial de dedicações ao rígido seguir da pureza imposta pela sua igreja, pureza que a obriga a fechar as pernas para qualquer homem, a fechar a buceta para os prazeres carinhosos de um grosso pau, a aguardar até que um príncipe encantado revestido de sol se aproxime e a faça mulher conforme a moral cristã, um casamentinho bem organizado, uma lua-de-mel bem comportadinha.

A fé de Marília, a fé de Marília, a fé de Marília!

A voz do Pastor Virgílio:

- Senhor, Senhor, tu és o supremo coroado diretor das sendas que sigo! Aleluia, irmãos, aleluia!

A voz de Marília e de seus irmãos:

- Aleluia, Senhor! Aleluia! Aleluia!

A voz do Pastor Virgílio:

- Glorifiquemos a Deus, como Moisés glorificou em sua poderosa fé em relação a Ele! Sejamos como Moisés, irmãos, sejamos como ele, como ele diante do nosso Senhor Deus!

A voz de Marília e de seus irmãos:

- Aleluia! Glória a Deus! Aleluia!

A voz do Pastor Virgílio:

- Ergamos nossas mãos aos céus, vejo Anjos Do Senhor aqui pairando! Vejam, irmãos, vejam, Anjos aqui a pairar,Anjos aqui conosco a rezar, Anjos aqui, Anjos aqui, Anjos aqui! Aleluia, Aleluia, Aleluia!

A voz de Marília e de seus irmãos:

- Aleluia! Aleluia! Aleluia, Jesus!

A voz do Pastor Virgílio:

- Em fé, em nossa fé, em nossa fé, louvemos ao nosso Senhor Deus, nosso Senhor Deus, nosso Senhor Deus!

A voz de Marília e de seus irmãos:

- Aleluia, Senhor! Aleluia! Aleluia! Aleluia, Senhor!

A rotina de Marília é essa, leitores que talvez sejam ou não crentes no tal de Deus. Rotina de mulher bem oferecida aos braços de Jesus, uma noiva perfeita de Jesus, tão bozinha, caridosa e amiga da caridade cristã. Marília ferve, Marília entra em êxtase, todo orgasmo que um homem não lhe dá ela tem ali nos momentos de oferta da palavra ao Senhor de seu pastor, em sua igreja.

E o Pastor Virgílio vai declarando mais acerca de seu Deus!

E Marília vai mais gritando aleluias, aleluias, aleluias!

E o Pastor Virgílio vai aos êxtases mais soberanos em delírios sagrados ao ver de todos ali na igreja!

E Marília delira acompanhando os êxtases de todos e gritando aleluia, aleluia, aleluia!

Pastor Virgílio grita, grita, grita!

Marília grita, grita, grita!

Pastor Virgílio grita, grita, grita!

Maríli grita, grita, grita!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Aleluia, irmãos, aleluia!

Deus, o caralho, leitores crentes e descrentes!

Jesus, o caralho, leitores crentes e descrentes!

Na Igreja Do Cu Das Abominações, filial da Igreja Universal Dos Reinos Infernais, o Pastor Virgílio parodia a Bíblia e debocha desta mijando por sobre o cadáver de sete bebês degolados e carbonizados em chamas onde também se encontravam suas mães!

Marília!

A doce Marília!

A cristã Marília!

A virgem Marília!

Marília, de quatro, nua, é currada por um cavalo negro cujo pau mede mais de um metro e trinta, pelo cu!

Marília grita pelo seu cu sendo rasgado em honra aos Infernos!

Marília debocha aos gritos da fé cristã em honra aos Infernos!

Os irmãos da Igreja, os homens, deixam-se currar por cães!

As irmãs da Igreja, as mulheres, deixam-se currar por jegues!

CURRADOS!

ALELUIA!

CURRADAS!

ALELUIA!

GLÓRIA AO CURRAR!

GLÓRIA AO DEIXAR-SE CURRAR!

GLÓRIA AOS CURRADOS!

GLÓRIA AO CU ARROMBADO!

GLÓRIA AO CU ARROMBADO DE MARÍLIA!

GLÓRIAS AOS CUS ARROMBADOS DE TODOS OS IRMÃOS DE MARÍLIA!

GLÓRIAS, CUS ARROMBADOS!!!

GLÓRIAS, CUS ARROMBADOS!!!

GLÓRIAS, CUS ARROMBADOS!!!

GLÓRIAS, CUS ARROMBADOS!!!

CAVALOS, ARROMBEM!!!

JEGUES, ARROMBEM!!!

CÃES, ARROMBEM!!!

ARROMBEM!!!

ARROMBEM!!!

ARROMBEM!!!

ALUCINADAMENTE, ARROMBEM!!!

SOLIDAMENTE, ARROMBEM!!!

ULTRAVIOLENTAMENTE, ARROMBEM!!!

ARROMBEM!!!

ARROMBEM!!!

ARROMBEM!!!

MARÍLIA QUER SER ARROMBADA MAIS, ELA GARGALHA!!!

ELAS QUEREM SER ARROMBADAS MAIS, ELAS GARGALHAM!!!

ELES QUEREM SER ARROMBADOS MAIS, ELES GARGALHAM!!!

GARGALHA, MARÍLIA ARROMBADA!!!

GARGALHEM, IRMÃS ARROMBADAS!!!

GARGALHEM, IRMÃOS ARROMBADOS!!!

GARGALHA, PASTOR VIRGÍLIO!!!

O Pastor Virgílio, sendo currado pelo seu filho de quinze anos, de quatro:

- Aleluia ao Diabo! Aleluia a Moloch! Aleluia a Belzebuth! Aleluia a Astaroth! Aleluia a Baphomet! Aleluia a Lilith! Aleluia, Aleluia, ALELUIA! QUEIMEM NA PERDIÇÃO, SAGRADO É O INFERNO! QUEIMEM NA INFERNAL ORAÇÃO, SAGRADO É O INFERNO! QUEIMEM NA ENTREGA AO PRAZER QUE PODEM TER PARA SALVÁ-LOS, SAGRADO É O INFERNO! QUEIMEM OS CUS PARA OS BEIJOS DAS PUTAS INFERNAIS, SAGRADO É O INFERNO! QUEIMEM OS CUS PARA AS DEDADAS DOS DEMÔNIOS, SAGRADO É O INFERNO! QUEIMEM OS CUS PARA A CONSAGRAÇÃO DOS VOSSOS SEGREDOS REVELADOS NA PERDIÇÃO DEDICADA AOS INFERNOS, SAGRADO É O INFERNO! QUEIMEM, HOMEM E ANIMAL, MULHER E ANIMAL, LIBERTEM-SE DA CHAMA DO CRISTO DESGRAÇADO QUE VOS ANIQUILA AS VONTADES, SAGRADO É O INFERNO! QUEIMEM, Ó DIABO, Ó LILITH, SAGRADO É O INFERNO!

O Pastor Virgílio pára de gritar, O Diabo põe em sua boca o pau, o qual ele delicadamente começa a consagrar com as suas lambidas e chupadas.

Marília pára de gritar, ela agora está com a vulva de Lilith em sua cara a roçar e a fazer-lhe lambê-la e chupar.

Todos os irmãos param de gritar, Demônios surgem e preenchem as bocas deles com hóstias enroscadas e inseridas em paus e bucetas infernais.

Filosofia perdida, filosofia encontrada, onde está a nota ausente que poderia em meio ao bacanal de homens, mulheres, animais e Demõnios? Notas ausentes a mais na nota ausente, aquela nota da liberdade de fazer-de Templo Das Abominações Para As Glórias Infernais! As gargalhadas, o suor, as chupadas... Ah, quantas chupadas, chupadas monumentais, monumentos de chupadas! Ah, chupadas, odes ao filosófico estrondo de uma Filosofia Infernal, a do encontro dos Bacos com as Messalinas, a do encontro de Sodomas com Gomorras, a do encontro de putas das esquinas cariocas com putas de bailes funk, a do encontro de estupradores com pedófilos, a do encontro de santas e de santos libertinos, destemidos heróis de uma existência toda tomada pelas furiosas parcelas de participações nas elucubrações dialéticas da foda que filosofa! A igreja sagrada, sagrada com o pau chupado, sagrada com a buceta chupada, ó honra dos desgraçados amantes das perdições, ó ode aos desregrados filhos dos estupros e dos assassinanatos, ó onda de exaltação da buceta e do cu e do caralho gostoso da foda ritual nas tetas da Deusa Loucura Chupando A Buceta Da Deusa Luxúria! Igreja que filosofa, é bom abominar, é bom O Abominável, é a atitude do encontro com a selvageria interior, a parcela exata das inexatas proporções de quanto vale um homem que pode foder para estrangular e outro homem que pode foder para esfaquear milhões de vezes uma odiada buceta e um odiado cu! A Igreja Da Abominação, Eterna Igreja Da Abominação, Igreja de lá, de lá onde filosofias são chamas jocosas a sorrirem, a rirem e a gargalharem da Humanidade entregue ao Foder Abominável! Avemus Foda, Avemus Abominável, Avemus, Avemus, Avemus, Aleluia, Aleluia, Aleluia!

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

AMEN

Bela igreja para se freqüentar.

Levo qualquer um de vós, leitores crentes e descrentes, até lá.

Mas, antes, terão que me chupar.

Inominável Ser

CHUPADO

Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Arquivo do blog

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Arquivo do blog

Recent Posts

Unordered List

Theme Support