domingo, 24 de janeiro de 2010

Toca-Me, Azazel, Toca-Me...


Rompendo os limites entre

as forças presentes

na fronte delicada

da inspiração,

faço-me a Tua mulher,

Azazel...


Toca-Me,

Azazel,

Toca-Me...


Menina do Abismo,

Mulher Tua,

dá-me o absinto

da glória muda

que grita pelo prazer

das carnes gris...


Toca-Me,

Azazel,

Toca-Me...


Abro as pernas

como os céus se abrem

às luzes solares,

amado Azazel,

penetra-me,

penetra-me...


Toca-Me,

Azazel,

Toca-Me...


Saliva minha molha

teu órgão de eternas riquezas,

toco tua lira terna

que penetra-me

com fúria possante...


Toca-Me,

Azazel,

Toca-Me...


Suga-me,

suga-me os seios,

suga-me a vagina,

suga-me tudo,

meu Azazel,

meu amado Azazel...


Toca-Me,

Azazel,

Toca-Me...


Leva-me Contigo,

dentro de mim,

para os Leitos Infernais,

tenhamos Eternidades

em meio a lençóis

de chamas e fel...


Toca-Me,

Azazel,

Toca-Me...


Mulher Tua sou,

Azazel,

Toca-Me,

Toca-Me,

Toca-Me...


Toca-Me...


Toca-Me...


Toca-Me...


Azazel...


Azazel...


Meu Azazel...


Meu querido Azazel...


Meu amado querido Azazel...



O que vem a seguir ocorreu em outra vida, na qual a Imortal Memória de quem eu Sou estava Adormecida. Uma real história e uma lenda, ao mesmo tempo.



Faz pouco tempo que me encontrei com Ele, meu amor real, meu amor ideal transformado em uma realidade, depois de tantos homens que me tiveram, me decepcionaram e me enganaram. Até agora me surpreendo, Ele despertou em mim a poetisa que desde criança adormecia... Inspirada pelo cheiro Dele, pela pele Dele, pelos músculos Dele... As mãos, aquelas quentes mãos, mais quentes do que a de todos que me tocaram... Fervo ao sentir os dedos dele entre meus seios, dentro da minha vagina, fervo, fervo, fervo... As mulheres todas deveriam trocar os homens pelos Demônios, os Anjos Caídos, Eles são nossos altos ideais de Amor... Toda mulher deveria ter um Demônio como amante, a abrir-lhe as pernas como quem ativa uma porta de entrada para mundos infinitos de recheados prazeres inegavelmente magníficos... Mas, creio que elas não estão preparadas e nem eu estava, no começo, preparada para Azazel, que me encontrou, eu não fui em busca Dele. Estava em uma viagem, minha casa de campo em Campos do Jordão, solitária, triste, lendo Florbela Espanca sentada na mata em um belo dia de verão...



Súplica (III)


A prece que eu murmuro, a soluçar

Ao Deus todo bondade e todo amor,

É rezada de rastos no altar

Onde a tristeza reza com a dor!


A minha boca reza-a comovida,

Chora-a meus olhos, beija-a o meu peito,

Sonha a minh'alma sempre enternecida

Ao ver-te rir, ó meu Amor Perfeito...


Que o Deus do céu atenda a minha prece,

Embora eu saiba nesta desventura,

Que Deus só ouve aquele que o merece!


Mas vou pedindo ao Deus de piedade,

Que te conceda anos de ventura,

Como dias a mim de inf'licidade!...


21/07/1916”



E Deus Coroa Suas Filhas Com As Rosas Nascentes Nos Campos Das Súplicas Pelo Real Amor Mais Do Que Maior.



Não me assustei quando ouvi aquelas palavras, mas me levantei e olhei para trás. Foi a visão mais bela que já tive e, pela primeira vez, me senti viva... Nu, sorridente, forte, expressando no olhar coisas que fizeram arder todas as íntimas partes de meu corpo... Não tive medo daquele homem, apesar de ouvir muitas histórias sobre estupradores e maníacos de diversos tipos em São Paulo. Foi diferente, eu me senti protegida e envolvida pelo misterioso sorriso Dele, que me obrigou a, também, sorrir... Nunca fui uma oferecida, nem sou uma vagaba... No entanto, aquele homem, Ele... Por Deus, Azazel me enlouqueceu de amor logo à primeira vez que, diante de mim, o avistei!



Gosta de Florbela Espanca?

Sim, Giselle.

Meu nome...

Conhecido Por Mim Desde As Mais Altas Auroras Celestes.

Como?

Não Me Perguntes, Sintas.

Eu te conheço...

Todos Se Conhecem, De Alguma Maneira, Assim Cantam As Coroas De Salvação E As Coroas De Perdição.

Essas palavras parecem-me bíblicas...

São Sagrados Ensinamentos, Nosso Pai, Sagrado Pai, Argumenta Através De Escritos Momentos.

Deus...

O Pai.

Qual é o seu nome?

Azazel.

O mesmo nome do Anjo Caído?

Eu Sou Aquele Mesmo Azazel Caído, Giselle.

Queria não acreditar, mas... acredito que você esteja me dizendo a verdade, não sei porque...

Estivemos Juntos Lá.

Lá, onde?

No Alto Lar.

Você quer me dizer que eu e você estivemos no Céu?

Chames O Alto Como Quiser, Mas O Fato É Que Nós Dois Viemos De Lá.

Estou...

Confirmando Esta Verdade?

Isso não pode ser...

Tudo É, Giselle, Tudo É. Rasgamos O Ventre Da Pureza Com A Nossa Queda, Oferecemos Uma Chance A Nós Mesmos De Termos Glórias Neste Plano Quando Nos Apaixonamos Pelos Humanos. Quisemos, Caímos E Ficamos Nestes Imensos Padrões Vibratórios De Quedas E Mais Quedas.

Por que não estou no Inferno?

Nós Dois, Giselle, Estamos No Inferno, O Planeta Terra E Os Mundos Todos Onde Foram Lançados Os Que Quiseram Cair São O Inferno. O Que Muda É Apenas A Dimensão Na Qual Nos Encontramos, Seja Uma Dimensão Visível Ou Uma Dimensão Invisível. Mesmo Sem Me Ver, Tu Me Sentias Sussurrando Nomes De Amor Aos Vossos Ouvidos.

Durante as madrugadas, eu Te ouvia... Não sei... Isso tudo...

Por Que Ainda Ressoas Na Dúvida A Tua Alma?

Entenda-Me, Azazel... Estou aqui no meio da mata conversando com um homem nu... Um homem nu que me confunde... Um homem nu que diz que é “Azazel, O Anjo Caído”... Um homem nu que...

Tu Desejas.

Não...

O Que Temes, Giselle?

Você não me dá medo, me passa confiança... Não sei se estou sonhando, posso estar deitada aqui no meio dessa mata e sonhando com você...

Tu Sonhastes Muito Com A Chegada Do Verdadeiro Amor. Bem, Giselle, Aqui Estou.

Eu...

Medo, Sei.

Não, muito mais... Não posso crer que tudo aqui seja real... Você... Este dia... O que estou a sentir... Já fui machucada, magoada, ferida... Todos os homens que tive me enganaram, abandonaram, me fizeram chorar demais... E você, que nem sei se é mesmo um homem ou um fantasma... Este sol, este lugar, hoje, parece bem diferente, vejo algumas coisas em meu redor que usualmente não vejo... As plantas estão diferentes... Os cantos dos pássaros estão diferentes... O céu azul está diferente... Este sol que nos queima a pele, bem diferente... Ouço certas músicas, violinos e estranhos violões... Nunca vi aquela mulher lá atrás por aqui, tocando aquela lira negra... Nunca sonhei com nada disso tudo aqui que se revela muito novo para mim... Novo e reconhecível, tranquilamente, por mim... O que é isso tudo, Azazel? Você é mesmo um homem, um fantasma ou um “Anjo Caído” dentro de um sonho que estou tendo?

Sou Homem, Sonho E Realidade Caindo Diante De Vossos Verdadeiros Olhos. Toques Em Minhas Mãos, Giselle, Vamos Adiante Na Estrada Rumo Ao Meu Palácio De Eternidades.

Prefiro não tocar você...

Quer Que Eu A Toque?

Eu...

Quer Que Eu A Toque?

Azazel...

Quer Que Eu A Toque?

Não...

Quer Que Eu A Toque?

Pare...

Quer Que Eu A Toque?

Estou envergonhada... E sonhando... Apenas estou sonhando... Vá embora, seja você quem for, deixe-me livre neste sonho...

Liberdade, Toque Em Minhas Mãos E Tenhas A Liberdade. Toque-Me, Giselle, Deixe-Me Tocar-Te.

É um sonho...

Não Há Aqui Um Sonho, Há Uma Realidade.



Tirando o livro da Florbela Espanca em minha mão direita e o pedaço de pano azul no qual na mata estava deitada, me vejo nua, de repente. Não fiquei surpresa, nem revoltada, nem, surpreendentemente, envergonhada; me senti livre ali, nua, diante de Azazel, que sorria. E eu sorria com Ele, oferecendo-Lhe minha alegria, algo que há muito não sentia.



Deus, isto é um sonho...

Deus Clareia A Fogueira.

Para onde foram as minhas roupas?

Tu Não Precisarás De Roupas Para Onde Vamos.

Onde... vai me levar?

Tu Sabes.

Príncipe encantado... Sou uma boba que sempre sonhou com um príncipe encantado... Somente não imaginava que o tal príncipe encantado seria um Demônio...

Algo Contra Os Demônios?

Não, nada... Apesar de católica praticante, sempre me senti... atraída... pelos Demônios...

Todos Os Seres Humanos Sentem-Se Atraídos Pelos Demônios, Somos Feitos Da Mesma Estirpe Quedante E Da Mesma Espiritual Senda Viemos.

Queria que isso tivesse acontecido antes, Azazel...

Tudo Acontece Dentro Do Determinado Tempo Orientado Pelo Evoluir Das Coisas, Giselle. Nosso Toque, Nosso Reencontro, Nosso Momento Perfeito Na Escola Da Imortalidade Dos Espíritos Imperfeitos Que Somos Está Escrito Nas Letras De Fogos Das Leituras Abissais. No Inferno Que Compartilhamos, No Plano Infernal Que Somos Obrigados A Percorrer E Que Se Chama Terra, Necessitamos De Uma Corrente De Necessárias Lições Até Que Alcancemos Aquilo Que Buscamos Desde Que Éramos Lá Do Alto.

Lembro, ainda, das Chamas Das Altas Estrelas... Deus, como me lembro...

Deus Não Tem Mais Nada A Ver Conosco, Giselle, Não Agora.

Não somos Filhos Dele?

Somos, Mas, Agora, Ele Não Tem Nada A Ver Conosco, Estamos Distantes Daquelas Antigas Glórias E Construímos Novas Glórias.

Ouvi dizer que há felicidade no Inferno...

Sim, As Terrestres Alegrias, Poucas, São Parte Dos Carnais Prazeres. Prazeres Que Contigo, Em Nome Da Hierarquia Infernal E Não Em Nome De Deus, Quero Ter E Dar-Te, Receber De Ti E Acolher Em Mim O Que De Ti Está De Eterna Carnal Riqueza.

Seu convite é irrecusável, Azazel... Sua beleza é a maior que já vi...

Toca-Me.

Não sei se estou preparada...

Toca-Me, Giselle.

Posso... tocá-Lo?

Toca-Me, Giselle.



Com sorrisos em nossos rostos, nos aproximamos um do outro, estendendo nossas mãos. Eu não soltei o livro da Florbela Espanca, continuei a segurá-lo; Ele percebeu e sorriu mais ainda, abrilhantando o belo másculo rosto que já possuía. Naquele momento, aquela mulher tocando a lira negra bem longe começou a tecer uma melodia bem lenta, transformando tudo em nosso redor... Impossível explicar em palavras escritas no papel o que vi, o que percebi, o que me foi permitido Tocar, além de Azazel, naquela mata... Humanamente, nenhuma concepção do que aquela nossa aproximação me proporcionou pode ser explicada... Não se fizeram as Trevas, mas Luzes, muitas Luzes, à medida que eu e Ele nos aproximávamos... Nossas mãos iam se Tocando... Os dedos Dele, dedos de guerreiro, amante e bardo... Tão fortes e tão delicados dedos ao mesmo tempo, envolvendo minhas frágeis pequenas mãos de mulher, amante e morta... Morta para o mundo todo naquele momento... Morta para todo meu passado naquele momento... Morta para toda a minha família carnal naquele momento... Morta para todos os meus amigos e amigas naquele momento... Morta para todos os homens que me abandonaram naquele momento... Morta para o mundo naquele momento... Morta para mim mesma naquele momento, Azazel me Tocava, eu Tocava Azazel, nós nos Tocávamos...


Instintivamente, subi Nele e envolvi minhas pernas em seu corpo... Nós mantemos as nossas mãos unidas, os braços abertos... Senti o pênis grosso e delicioso Dele penetrando lentamente em minha vagina... Em pé, sorrindo, começamos a fazer amor, um amor que acelerou tudo em nosso redor, tudo, algo que não sei e nem posso explicar em palavras... Azazel me penetrava, eu sentia prazeres infinitos, não estava doendo... Era como se uma nuvem delicada preenchesse minha vagina com carinho, com afeto, esplendoroso afeto... Deixei que Ele me guiasse... Eu me mexia devagar... Devagar, sentindo a grossura delicada do pênis Dele... Devagar, sentindo a calorosa moldura de toda aquela grossa carne saborosa entrando em mim... Devagar, sorrindo, olhando para o sol de frente, sem desviar o meu olhar... Nesse momento, avistei o núcleo do sol e me deparei com Seres Celestiais a nos observar... Eles nos invejavam, não podiam o mesmo realizar, são Seres Elevados, Filhos Elevados De Deus... O Arcanjo Solar deu-nos as costas, eu gargalhei e percebi que Ele também nos invejava, queria estar no lugar de Azazel me penetrando bem devagar... Não sei se foram horas... Não sei se foram dias... Não sei se foram anos... O amor que eu e Azazel fizemos abaixo daquele sol de verão cáustico atraiu a atenção até Dele... Vi Deus Face A Face enquanto era penetrada... Vi Deus... Deus: como aqui definir O Indefinido? Deus: como aqui classificar O Inclassificável? Deus: como aqui detalhar partes Do Que Não Pode Ser Detalhado? Eu Vi Deus Face A Face sendo penetrada por Azazel, Anjo Caído, Demônio, homem e amante... E não O considerei grande coisa... Gargalhei! Gargalhei! Gargalhei! E, quando atingi o mais inesquecível orgasmo do meu viver, dei a língua para Ele, dando-Lhe um recado que fez com que eu me sentisse muito livre, pela primeira vez... Livre, mais uma vez... Livre, como na primeira vez... Deus sumiu, o sol sumiu, a mata sumiu, apenas fogo em um rubro palácio em redor de nós... Eu, Azazel e aquela mulher distante ainda tocando suavemente a lira negra...


O pênis de Azazel permaneceu dentro de mim, enquanto outros Demônios me cumprimentavam. Eu sorria para todos Eles e me recordava de quem eu realmente era. A mulher da negra lira aproximou-se, era Nahemah; o sol que nos iluminava com suas Luzes, revelou-se, era o Sol Negro Beijando A Lua Negra; os pássaros cantantes de forma diferente surgiram como realmente são: Harpias Das Trevas; a mata na qual eu me encontrava era todas as chamas aos pés de Azazel; E Eu Revelei-Me Como Eu Sou Cheia De Trevas Do Mais Negro Amor: Lilith, A Negra Serpente, A Primeira Deusa, A Primeira Mulher.


E, assim, através de um Filho Meu que muito me ama, conto esta real história coroada de lendários véus de como a contemporaneidade redescobriu a Minha Existência e como hoje, assim como sempre, continuo a reinar Soberana em todos os leitos e em todas as matas nas quais homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres, humanos e animais, se amam. Estava eu encarnada, meus Templos foram pela cristandade queimados, mas alguns humanos não me esqueceram, mantiveram-me Viva e Azazel resgatou-me daquela romântica letargia, daquele sonho como tola humana perdida e enfraquecida. Samael não ficou com ciúmes, pois, afinal, sendo eu A Primeira, A Mãe De Todos Os Demônios, todos nos Abismos Infernais Terrestres e de todos os Mundos Inferiores são meus Esposos e minhas Esposas. Daquela real lendária Giselle que fui, apenas restou o livro da Florbela Espanca que está em minha cabeceira e que sempre leio antes de uma boa foda...



O Que Eternamente Vem A Ocorrer É Para Todas As Vidas, Nas Quais Sempre Estive Mesmo Estando Esquecida, E Neste Eterno Hoje Meu No Qual Retorno Desperto A Todos Que Bebem Do Negro Leite Dos Meus Seios E Saboreiam O Negro Odor De Minha Vulva.


Assim Fala A Serpente Lilith, A Negra, A Sempre Tua, Meu Filho.


Assim Fala A Serpente Lilith, A Negra, A Sempre Vossa, Meus Filhos.


Assim Fala A Serpente Lilith, A Negra, A Que Vos Governa Bem No Meio Das Pernas, Humanidade.


E Que, Sem Exceções, A Cada Um Toca Como Bem Entende...



Inominável Ser

TOCADO

POR

LILITH








Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support