segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Laymerisha


Dá-Me A Maça

Ensanguentada,

A Tua Morte Violenta

Sob Golpes

De Machado,

Sob Estocadas

De Punhais,

Sob Torturas

Abissais,

Sob Toda Sorte

De Mortífera Arte

Na Arte De Matar,

Encanta-Me,

Assassinos,

Assassinas,

Candidatos A

Assassinos

E

Candidatas A

Assassinas...


Sou

A Voz

Dos Assassinatos.


Sou

A Vez

De Assassinar.


Sou

A Lei

Dos Assassinos.


Sou

A Mão

Assassina.


Sou

A Intenção

Assassina.


Sou

O Instinto

Assassino,

Do Primeiro

Ao Último

Ser Humano

Que Mata

Pela Terra.


Estou No Odor,

No Frescor

E Na Beleza

Do Sangue

Derramado.


Estou Nas

Mãos Assassinas

Imundas,

Limpas,

Corretas

E Erradas.


O Sangue Derramado

Sussura Meu

Nome Amaldiçoado...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...




Tive imensas esperanças na Humanidade Terrestre quando a primeira morte violenta ocorreu.


Não, Kain não matou Habel.


Revelo que O Primeiro Assassinato Na Terra não foi o de um ser humano, mas o da Árvore Da Verdade dentro de cada ser humano.


As raízes Dela foram esmagadas.


As raízes Dela foram cortadas.


As raízes Dela foram queimadas.


E os Anjos Da Humanidade Terrestre assim lamentaram-se:



Cortaram

A Verdade,

Caiu

A Verdade,

Imperará

Na Terra,

Senhor Deus,

O Horror,

O Terror,

O Medo,

A Guerra

E

A Impiedade!”



E Deus assim respondeu, em toda Sua Verdade:



Aprendam

A Confiar

Nos Desígnios

Que Faço,

Filhos Elevados.

Haverá

Aprendizado

No Que Virá

Após O Cair

De Tudo Que Dourava

A Humanidade

Vossa Irmã.

Aguardem

E Uma Nova

Árvore

Nascerá Quando

Na Terra

O Alto Amor

Imperar.”



Como Deus estava errado...


Como Deus ainda erra...


Como Deus, em Sua Onipresença, pôde errar?


Como Deus, em Sua Onipotência, pôde errar?


Como Deus, em Sua Onisciência, pôde errar?


Infindos milênios passarão, e eu, O Desejo De Matar, continuarei a assombrar os mentirosos corações dos filhos desta Humanidade.


Infindos milênios ainda virão e O Alto Amor demorará aqui a chegar.


Ou jamais chegará...


Deus Sabe, apenas Ele, se O Alto Amor aqui chegará...


Mas, será que Ele realmente Saiba?


Enquanto isso, o tronco Daquela Árvore é hoje o pó em todas as cidades.


As folhas envelhecidas cobrem o solo das cidades misturando-se às folhas das atuais árvores.


Os restos das raízes são agora esmagáveis pelos humanos pés caminhantes pelas ruas das cidades.


Sobreviveu Daquela Árvore apenas uma Maça.


Uma Maça que aos meus pés caiu quando eu nasci a partir do Sangue Daquela Árvore Derrubada.


Naquele Momento, um Reino nasceu.


Naquele Momento, uma Deusa Que Não Seria Assassinada E Esquecida, na Terra estabeleceu-se.


Naquele Momento, todos os assassinatos, todos os tipos de assassinatos, tiveram o consentimento do Alto para ocorrerem, a fim de que as Divinas Leis cumpridas fossem.


Mentira, A Rainha Da Terra.


Mentira, Coroada Pela Terra.


Mentira, Reinando Na Terra.


A Mentira Reina desde aqueles perdidos tempos primitivos.


A Mentira, A Deusa Mentira, Reinando nos corações dos assassinos e assassinas de seus iguais e de si mesmos.


A Mentira: o néctar ativo sempternamente nos seres humanos.


A Mentira: a incentivadora dos materiais valores encerrando almas vazias em um ciclo de existências mais vazias ainda.


A Mentira: A Mãe Dos Assassinos.


A Mentira: A Mãe Das Assassinas.


A Mentira: minha Mãe.


O Assassinato: meu Pai.


Vós, assassinos e assassinas: meus pais de criação.


A Maça: minha Guia.


A Maça mais doce da Terra.


A Maça nunca mastigada da Terra.


A Maça em minhas mãos, sempre ensanguentada.


A Maça que conta A História Dos Assassinatos Na Terra.


Linchamentos ensanguentam-na.


Enforcamentos ensanguentam-na.


Estrangulamentos ensanguentam-na.


Esfaqueamentos ensanguentam-na.


Chacinas ensanguentam-na.


Execuções ensanguentam-na.


Guerras ensanguentam-na.


Atentados terroristas ensanguentam-na.


Bombardeios ensanguentam-na.


Assírios ensanguentaram-na.


Judeus ensanguentaram-na.


Babilônios ensanguentaram-na.


Gregos ensanguentaram-na.


Troianos ensanguentaram-na.


Romanos ensanguentaram-na.


Saxões ensanguentaram-na.


Godos ensanguentaram-na.


Hunos ensanguentaram-na.


Gálicos ensanguentaram-na.


Bretões ensanguentaram-na.


Muçulmanos ensanguentaram-na.


Cristãos ensanguentaram-na.


Nero ensanguentou-a.


Calígula ensanguentou-a.


Ivan ensanguentou-a.


Vlad ensanguentou-a.


Báthory ensanguentou-a.


Pizarro ensanguentou-a.


Cortez ensanguentou-a.


Napoleão ensanguentou-a.


Hitler ensanguentou-a.


Mussolini ensanguentou-a.


Stálin ensanguentou-a.


Franco ensanguentou-a.


Pinochet ensanguentou-a.


Mason ensanguentou-a.


Ramirez ensanguentou-a.


Ottis ensanguentou-a.


Bernardo ensanguentou-a.


Francisco ensanguentou-a.


Suzane ensanguentou-a.


Guilherme ensanguentou-a.


Dahmer ensanguentou-a.


Fernandinho ensanguentou-a.


Marcinho ensanguentou-a.


Elias ensanguentou-a.


Linho ensanguentou-a.


Um assassinato no mundo, agora, ensanguenta-na...


Dois assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Três assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Quatro assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Cinco assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Seis assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Sete assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Oito assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Nove assassinatos no mundo, agora, ensanguentam-na...


Muitos outros assassinatos ocorrendo...


O Carnaval oculta muitos assassinatos.


O Carnaval é um Assassino Maior Da Humanidade.


Todo Carnaval promove a todos os tipos de assassinatos que os jornais e a mídia escondem.


Todo Carnaval é sangue vertido na Maça que carrego ewm minhas assassinantes mãos.


Carnaval de assassinatos.


Longo Carnaval de assassinatos.


Folia de infindos assassinatos.


Folia da Maça eternamente ensanguentada.


E eu não A mastigo.


E eu não bebo o sangue Dela.


Apenas deixo o sangue escorrer em meus braços.


Ordem do Assassino Iludido lá de cima que chamamos de Deus.


E eu me chamo


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


Laymerisha...


A Assassina Filha Maior De Deus.



Inominável Ser

ASSASSINADO








Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support