domingo, 27 de setembro de 2015

Escrevo Meu Nome A Cada Litro Do Seu Sangue




"Oferecemos o melhor que a dor pode oferecer ao custo de milhões de gemidos e gritos que faremos você dar sem tempo determinado para o fim do Contrato. Somos uma corporação internacional voltada para o BDSM Extremo, atuante em quarenta países, sigilosamente agindo sempre na escolha dos nossos clientes e da proteção dos mesmos durante as sessões quanto a interferências externas. Aceitamos pagamento em forma de sangue, o seu sangue, apenas, sem direito a devolução, no ato de batismo da sua carne com instrumentos cortantes, chicotes, cigarros e demais objetos que causem dores insuportáveis ao máximo para o seu deleite e prazer. Nossos Artistas Da Dor estão plenamente capacitados a lhes oferecer prazeres mortais, séculos de experiência em torturas e assassinatos lhes capacitam para tal como verdadeiros mestres de uma Arte que sobrevive nas sombras deste mundo há milênios. Ao assinar este documento, o(a) senhor(a) se responsabiliza única e exclusivamente pela sua morte, assim como com os seus restos mortais que serão servidos como banquete ao(s) Artista(s) que lhe oferecerá(ão) o espetáculo de serem assassinados com estilo, elegância e sofisticação em todas as medidas e pormenores. Sendo assim, nós, da Liga Da Sangria Eterna, a presente Contratada, lhe saudamos como o futuro cadáver que você será, caro Contratante.

Erzsébet Tepes de Lioncourt

Presidente Eterna
Da Liga Da Sangria Eterna"




James Baxter Beckenbauer assinou O Contrato Vermelho da Liga imediatamente. O riquíssimo advogado criminalista alemão sempre fora um homem obcecado por extremos com relação a tudo. Em uma certa noite em um pub de Stratford, soube da existência de um grupo secreto de BDSM Extremo muito diferente do que atualmente se conhece através da Internet. Curioso, procurou saber, em seu país, acerca de tal grupo, viajando durante dois anos por toda a Alemanha e, em cada cidade, se aprofundando no submundo sexual que lhe proporcionou profundos prazeres. Abandonando sua carreira de advogado internacionalmente requisitado, se dedicou apenas a participar de júris em orgias com milhares de homens e mulheres, jamais se negando a ser o homem de um homem ou a mulher de um homem ou a mulher de uma mulher. Ao fim de dois anos, nada na Alemanha soube acerca da Liga, apenas lendas e boatos ouvidos dos lábios de seus parceiros sexuais. Insatisfeito e muito mais obcecado do que fora em toda sua vida, decidiu viajar por toda a Europa a fim de contatar algum membro da Liga.

França, Bélgica, Espanha, Holanda, Itália, Romênia, Suécia, Noruega, Ucrânia... Ele percorreu cada cidade européia durante cinco anos e nada soube da Liga. Partiu, infinitamente obcecado, para a América...

Estados Unidos, Canadá, México, Costa Rica, Colômbia, Brasil, Argentina, Uruguai, Chile... E nada da Liga... Partiu, infinitamente obcecado ao cubo, para a África...

África do Sul, Nigéria, Uganda, Egito, Marrocos, Congo, Angola, MMoçambique... E nada da Liga... Partiu, infinitamente obcecado ao triplo, para a Ásia...

Israel, Arábia Saudita, Jordânia, Rússia, China, Tailândia, Myanmar, Indon, Coréia do Sul, Japão... E nada da Liga... Partiu, infinitamente obcecado ao quádruplo, para a Oceania...

Austrália, Havaí, Fiji, Guam, Ilhas Marianas, Micronésia, Nova Zelândia, Tonga, Tuvalu... E nada da Liga... Retornou, então, após doze anos de viagem por todas as cidades do mundo que pôde visitar, para seu país natal, infinitamente frustrado...

60% de toda sua fortuna, herdada dos pais e elevada graças ao seu talento como advogado de criminosos endinheirados pelo mundo, desapareceu junto com seus excessos sexuais. Na empoeirada mansão que deixou, sem nenhum empregado, na cidade de Koenigsberg, o que tinha acumulado em doze anos não foram respostas acerca da Liga, mas um cu sem todas as pregas, um pau todo esfolado e uma boca cheirando a esperma e gozo de putas, putas e mais putas. E, nesse período todo, tornou-se um viciado em álcool, cocaína, charutos e orgias que envelheceram-no fisicamente quarenta anos. Apesar dos cinquenta e seis anos de ano, sua magreza extrema, cabelos brancos e rugas lhe davam uma aparência de noventa e seis anos.

Em uma noite invernal, após um mês de seu retorno à Alemanha, a resposta sobre a Liga, finalmente, chega. Fumando um charuto após meter no cu de três miches e duas prostitutas, que dormiam em sua cama, ele vê surgir à sua frente um dos Agentes Vermelhos da Liga. Do pouco que soube desta, ficou a par dos silenciosos Agentes que guiavam os interessados ao grupo. O sinistro homem encapuzado, todo de vermelho e com a estatura de um gigante, entregou calado o contrato a James, que o leu, correu para a escrivaninha ao lado da cama, pegou uma caneta e o assinou. O Agente, cujo rosto o capuz do manto que portava era encoberto, pegou o contrato e segurou-o pelo alto da cabeça. O advogado fechou os olhos e, instantaneamente, surgiu em uma câmara de tortura vermelha, isolada de tudo, onde a noção de tempo, espaço e localização inexiste. À frente dele, no lugar do Agente, apenas uma Artista Da Dor, coberta por um látex vermelho e negro dos pés a cabeça, igualmente gigantesca em estatura, que assim a ele dirigiu-se:


- Suas perguntas serão a partir de hoje aqui respondidas através das dores que causarei em sua carne. Não se interesse em mim, em saber quem sou ou em saber qual é o meu nome. Interesse-se apenas pelas dores que eu provocarei em você, as últimas sensações de prazer que irá ter.


Alegre como antes de saber da existência da Liga, James despe-se e entrega-se aos cuidados da Artista. Plasticamente fria, ela o pendura com correntes acima do chão três metros, de cabeça para baixo. No chão, ela pôs uma enorme bacia de ouro abaixo deke e dirige-se para um canto da câmara. Ao voltar, tinha nas mãos uma faca afiadíssima, com a qual foi cortando profundamente toda a pele de James, que geme de intenso prazer... Cada corte é uma obra de arte, a Artista incrementou cada um deles com uma exímia capacidade de extrair do seu campo de criação o máximo de dolorosa sensação... Os cortes abriam-se rápido, mas o sangue escorria devagar, controlado por uma invisível força a manipular sua saída a fim de que o Contratante não morra rápido: a força que advém dela como Artista Da Dor.

A faca foi deixada de lado e um serrote é utilizado para cortar as articulações que unem os braços aos antebraços e as coxas às panturrilhas e estas aos pés. Sem perder a técnica em sua Arte, a Artista esforçou-se em penetrar cada articulação extraindo dos dentes do serrote o amplo espectro de sensações das mais dolorosas... James grita de prazer, o alcance do extremo que sempre desejou estava sendo-lhe grato demais... As articulações foram destruidas, a dor elevada artisticamente com douta maestria... O sangue continuou lentamente a cair na bacia...

O serrote foi abandonado e um picador de gelo foi usado para perfurar-lhe a carne, sem atingir órgãos vitais, do tórax aos pés. Cada perfuração foi dada com uma leveza quase hipnótica e em James causa fulminantes dores ainda mais adoráveis... A Artista construiu a cada perfurar quadros expressivos de seu trabalho como moldadora dos mais perversos desejos de autodestruição de um Contratante... E o sangue caia lentamente na bacia...

Depois do picador de gelo, um pênis de espinhos elétricos foi introduzido no cu dele. A Artista graciosamente fria estabeleceu um incremento intervencionista no cu de James ao mexer rapidamente o pênis, cortando tudo por dentro e arrebentando toda a próstata... James gritou mais alto! Gritou, gritou e gritou, gargalhando, bem mais alto! E junto com o sangue, caiu-lhe lentamente também o gozo do cu que há muito dava para todo e qualquer tipo de macho e de mulheres fãs de dedadas...

Mantido o pênis a vibrar no cu dele, a Artista usa arame farpado para castigar os vinte e oito centímetros do pênis ereto do mesmo. Cada volta dada pelo arame era para James uma deliciosa oportunidade de sentir mais prazeres inenarráveis... A Artista ia agindo em seu palco de atuações vertiginosamente, usando de todo seu profissionalismo para a causa da Liga: como Contratada, causar no Contratante toda a dor possível sem tempo determinado de término do Contrato. E o sangue lentamente era vertido na bacia...

O arame foi totalmente no pênis enrolado e a Artista pegou uma tesoura a fim de iniciar o primeiro corte de um órgão vital. James, ao perceber que tal órgão seria sua língua, aproveitou momento antes de perder a fala para dirigir-se à profissional que contratara:


- Você... Você... Você... É excelente... Qual é o seu... nome?


Ela parou a tesoura perto da boca dele e voltou seus olhos vermelhos para os olhos verdes-claros do mesmo, respondendo:


- Escrevo meu nome a cada litro do seu sangue.


E a língua dele fora cortada...

E o sangue dele continua a cair na bacia...

James encontrou a Liga no ano de 1985 e até agora, o ano de 2015 do Calendário Romano, continua a ser uma obra de arte em desenvolvimento da melhor dos Artistas daquele grupo. Por tempo indeterminado, nenhum doloroso prazer a ele será negado. E nem as de outros Contratantes que neste momento estão sob os cuidados profissionalíssimos de outros Artistas da Liga. E o sangue de cada um deles cai em outras bacias...


Inominável Ser
UM ARTISTA
DA
DOR
Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support