domingo, 25 de outubro de 2015

Thagana, A Borack






"O Guerreiro Perfeito Nasce Do Maior Derramamento De Sangue Possível No Âmago Da Batalha Mais Feroz De Todas. Para O Guerreiro, Não Há O Dia Finalizador De Sua Marcha E Nem A Noite Fundamentadora Da Quebra De Sua Espada. Para O Guerreiro, Inexiste O Adormecimento Vazio No Esquecimento De Seu Dever De Seguir Marchando De Vitória Em Vitória. Para O Guerreiro, A Próxima Batalha A Ser Travada É Sempre A Batalha Definidora De Sua Existência. Para O Guerreiro, Toda Batalha É Afirmadora De Sua Essência Toda Plena Em Seu Dever Para Com O Estandarte A Ser Defendido No Caos, Na Ordem, Na Chama, No Frio, No Leito, No Último Respirar Do Corpo Físico. A Ti, Borack A Ler Estas Sentenças No Futuro, Deixo Todo Meu Legado De Sangue Guerreiro E Construo No Seu Futuro Um Monumento Para Toda A Nossa Raça Keauriotheniana. Que Tipo De Guerreiro Tu És, Borack? Que Tipo De Guerra Tu Travas, Borack? As Respostas Estão Em Seu Sangue, Borack, E No Sangue Que Tu Derramarás Nos Campos De Batalha."

Thagana Borack ouve a voz de seu pai, Aderhu Borack, que lhe foi Mestre nas Artes Guerreiras Keauriothenianas, no primeiro dia de seu Treinamento. As palavras iniciais do Tratado Guerreiro De Yhod Borack, O Primeiro Arquimestre Guerreiro Keauriotheniano, são importantes chamados para sua consciência. A Cidade Eterna dela, Mur, está em chamas, seus filhos estão mortos e seu ferimento no tórax é fatal. Mesmo assim, ela abraça sua amada espada Thaganaretsuhd, A Sabedoria De Thagana, como algo que ainda resta da sua honra como Guerreira Borack. Honra que as Chamas Automanifestadas Do Fogo Primeiro não apagou.

"No Fundo Da Mais Coerente Concepção Cósmica, Os Borack Filhos Da Guerra Devem Servir Ao Consorte Faminto Da Magia Eterna. O Consorte Quer Ser Saciado Com O Sangue Inimigo. O Consorte Quer Ser Saciado Com A Mais Brutal Morte Do Inimigo. O Consorte Quer Ser Saciado, Mas, Tu, Guerreiro Borack, Deve Domar A Selvageria Dele Para Poder Ser Poderoso Como O Consorte Saciado De Si Mesmo. A Honra Guerreira Total Encontra-Se No Domínio Do Selvagem Fogo Em Si Mesmo. O Selvagem Fogo Deve Ser Transmutado Dentro Da Eterna Volatilidade Do Seu Espírito Guerreiro. A Nobre Arte Da Verdadeira Alquimia É Ser Um Verdadeiro Transmutador De Si Mesmo.

Humilde Guerreira Transmutadora De Si Mesma, Thagana serviu a três Imperatrizes, sempre ciente da obediência cabível ao seu dever para com a Raça Keauriotheniana. Beria Serah, A Última Filha De Thades, foi a Imperatriz que mais amou; Selene Rinji Narinsky Jokat Nersky Samlah, A Segunda Mente Da Criação, foi a que mais respeitou; e Kaleiana Ocitilop Shodolon, A Herdeira Do Fogo Primeiro De Thornadoriusis, foi a que mais temeu. Ela viu a mãe, Thasana Borack, Deusa Keauriotheniana Da Guerra, ser assassinada por Arquimestres Baalcíferjinns da Escuridão durante a Guerra De Keauriothen Contra Baalcífer; auxiliou os Soberanos Thidan e Thaiden Ocitilop Shodolon a estabelecerem Beria como a Herdeira Eterna do Trono Keauriotheniano; na Guerra Pela Manutenção Ou Destruição De Eden Al Sophor, viu Beria renunciar e apoiou o Governo de Selene; por esta, até mesmo chegou a matar amigos de infância a fim de que a Autoridade Governamental Soberana da mesma fosse confirmada; na Rebelião De Kaleiana, decidiu entregar-se a fim de que seu Clã fosse poupado da carnificina promovida pela mesma para chegar ao Trono; e, após doze Eras servindo a Louca Kaleiana, decidiu liderar sua própria rebelião a fim de destroná-la por causa das crescentes atrocidades cometidas contra os próprios Keauriothenianos desde que a Loucura Espiritual tocou naquela. Mesmo não sendo uma Deusa como a mãe, Thagana conseguiu reunir insatisfeitos com o Governo de Kaleiana por toda a Galáxia De Andrômeda, mas, em nove Anos Universais, o Fogo Primeiro apagou-lhes as esperanças guerreiras... E seu ferimento no tórax abre-se mais em meio às Chamas Primeiras consumidoras de Mur...

"Ao Guerreiro Cabe Ceifar Não Apenas O Inimigo, Mas Toda Ressonância Da Ardorosa Arrogância Na Alma. Ao Guerreiro Cabe Ressaltar A Humildade Da Espada Empunhada Como A Unidade Da Atitude Para Com O Grande Espírito Da Guerra Automanifestada. É A Tal Espírito Que O Guerreiro Verdadeiramente Ama. É A Tal Espírito Que O Guerreiro Verdadeiramente Deseja. É A Tal Espírito Que O Guerreiro Verdadeiramente Eleva Ao Lado Como Eterno Consorte. É Com Tal Espírito O Verdadeiro Matrimônio Do Guerreiro, A Sagrada Cerimônia Do Batismo Espiritual Com Os Verdadeiros Princípios Guerreiros. Acima Da Guerra Automanifestada E Do Dever De Guerrear Por Um Dever Existencial Maior Nada Mais Deve Se Elevar. A Concentração Única Daquele Que Guerreia É Guerrear."

Thagana, A Borack, assim chamada desde antes da morte da sua mãe, que foi uma das Maiores Deusas Cósmicas Guerreiras Keauriothenianas. Dentro Da Linhagem Cósmica Dos Borack, os que melhor Representam a Face Cósmica Da Magia Eterna na Primeira Raça Perfeita Da Criação, ela pertence às Boracktheaudhthtos, Os Cósmicos Borack Da Espada Automanifestada Da Magia Eterna. Trigésima Terceira Portadora da Espada, Herdada da mãe, Thagana evoluiu para o Nível de Arquimestra, Condição que agrega Campos Ativos que transitam entre todas as Categorias Evolutivas. Tendo sido seu pai um Ser Comum, ela foi menos poderosa, em Termos Evolutivos, do que a mãe; no entanto, como Guerreira Borack, a esta superou, principalmente por ter a capacidade de destruir sozinha Exércitos cujo contigente de Soldados equivale à população de cem mil Universos. E ela, sozinha, movida pela fúria do assassinato de sua mãe, foi a responsável pela redução do Poderio Baalciferjinn, o que garantiu a vitória de Keauriothen. Mas, contra O Fogo Primeiro, nem mesmo pôde aproximar-se de Kaleiana ao invadir seu planeta-natal, Keauriothen... Com suas quinhentas Legiões foi consumida por todo o planeta... E refugiou-se em sua cidade-natal com a ferida no tórax cada vez mais abrindo-se... E as Chamas Primeiras aproximando-se...

"Borack, Seu Destino Guerreiro É Traçado Pelo Kosmos. O Kosmos Guerreia Em Tua Alma. O Kosmos Guerreia Em Tua Mente. O Kosmos Guerreia Em Teu Coração. O Kosmos Guerreia Em Teu Corpo. Ouças O Kosmos Ressoando Em Teu Ser Totalmente. Ouças O Kosmos Gritando Em Teu Ser Continuamente. Ouças O Kosmos Agitando Teu Ser Onipotente, Onisciente E Onipresente No Dever De Guerrear Por Grandes Caminhos E Grandes Causas. Não É Apenas A Causa Keauriotheniana. Não É Apenas O Caminho Keauriotheniano. Toda Nobre Causa E Todo Nobre Caminho Na Criação É Teu Onipotente, Onisciente E Onipresente Dever Defender, Mesmo Sendo Morto Ou Extinto. Teu Quinhão, O Definitivo Quinhão, É A Eternidade, Guerreiro Borack."

A ferida abrindo-se... As Chamas Primeiras chegando... A espada não é largada... A espada não é abandonada... A espada não é esquecida... Ela é uma Guerreira Borack entre todos os Guerreiros Borack! Ela É Uma Borack! Ela Sempre Foi Uma Borack! Ela Sempre Será Uma Borack! É! Sempre! Será!

"Todo Guerreiro Borack Constrói Seu Templo Da Guerra Dentro Da Própria Existência."

A ferida aberta no tórax revela suas entranhas... As Chamas Primeiras tocam em seus pés... O tórax dela está totalmente aberto... As vísceras pulsam... Os pulmões quase não estão funcionando... O coração quase não está batendo... Mesmo assim, ela ergue-se, apoiada na ponta lâmina da espada cravada no solo... As Chamas Primeiras sobem pelas pernas dela...

"Todo Guerreiro Borack Sentencia-Se Ao Juízo Além Dos Portões Redentórios Da Vida E Da Morte, Da Construção E Da Reconstrução, Do Nascimento E Do Renascimento, Da Criação E Da Extinção."

As Chamas Primeiras sobem pelos quadris...

"Todo Guerreiro Borack Ergue Seu Próprio Véu De Mistérios Próprios Ao Verdadeiro Serviço A Favor Da Devoção Ao Total Desprendimento Para Com As Torpezas E Vaidades Materiais."

As Chamas Primeiras consomem o tórax aberto...

"Todo Guerreiro Borack Não É Um Guerreiro Borack."

As Chamas Primeiras consomem os braços e o crânio de Thagana...

"Todo Guerreiro Borack É Apenas Um Guerreiro."

E o pó de Thagana e de Mur tornam-se um só.

Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL
Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support