domingo, 27 de dezembro de 2015

A Mulher Dos Meus Pesadelos



“Eu me chamo…”

“Eu me chamo…”

“Eu me chamo…”


Acendo uma vela para qualquer Espírito das Sombras a fim de me ver livre da sua presença! Eu te odeio com o mais profundo da minha alma de idiota que um dia acreditou em cada mentira que você me contou! Sua voz me chicoteia… Seu toque me queima… Seus lábios me estupram… Sou, como sempre fui, um mero joguinho para você! Você me destrói! Você me corrói! Você revira meu Ser em um angustiado terremoto detonador de cada um dos meus dias! E toda noite, caralho, tenho você comigo! Por que não vai embora? Por que não me deixa dormir em paz, a paz desejada por cada fibra de minha alma? Por que, sua desgraçada, não vai para o Inferno logo de uma vez, o seu lar natal? Por que? Eu quero me livrar de você… Eu quero me afastar de você… Mas, como vou te matar se você está entranhada em meu próprio Ser?


“Eu me chamo…”

“Eu me chamo…”

“Eu me chamo…”


Te vejo a cada noite que durmo, você assume várias formas de mulher… Aquela mulher de cabelos loiros… Aquela mulher de cabelos negros… Aquela mulher de cabelos castanhos… Aquela mulher de cabelos brancos… Aquela mulher de cabelos ruivos… Aquela mulher negra… Aquela mulher branca… Aquela mulher indígena… Aquela mulher oriental… Toda mulher que escapa dos meus carinhos, abraços e beijos, toda mulher que me despreza e abandona, é você! Este é um tormento que me acossa! Este é um momento infindável que me sufoca! Este é o meu caminho de ódio! Ódio contra você e seu domínio completo sobre mim! Te odeio,mulher, saia da minha cabeça, saia da minha piroca, saia do meu cu, saia dos meus lábios, saia da minha alma!


“Eu me chamo…”

“Eu me chamo…”

“Eu me chamo…”


Durante o dia a desagradável presença de seu feitiço é perturbadora, doentia, nojenta! Na rua, me pego olhando para corpos que nunca terei nos braços! Na televisão, me distraio admirando corpos que fogem do meu mundo particular! Na Internet, me a fogo nos Xvideos da vida, me masturbando feito um tarado insaciável, nunca satisfeito de tanto tanto tanto me masturbar olhando para o insano desfile de mulheres e fodas, mulheres e Twerk, mulheres e Funk, mulheres e Hip Hop, mulheres e Samba, mulheres, mulheres, mulheres! Me perco todo dia… Encontro minha cama vazia e fria todo dia… Encaro toda minha punheta como tortura fodida… E te encaro enquanto durmo, te vendo languidamente a escorrer em cada obscuro e sombrio recanto de sonhos dos quais não me lembro…


“Eu me chamo Mariana…”

“Eu me chamo Paola…”

“Eu me chamo Cristiane…”

“Eu me chamo Raíssa…”

“Eu me chamo Joelma…”

“Eu me chamo Denise…”

“Eu me chamo Iara…”

“Eu me chamo Olivia…”

“Eu me chamo Odara…”

“Eu me chamo Lara…”

“Eu me chama Sara…”

“Eu me chamo Ângela…”

“Eu me chamo Fabiana…”

“Eu me chamo Valéria…”

“Eu me chamo Ana…”

“Eu me chamo Yasmim…”

“Eu me chamo Kátia…”

“Eu me chamo Roberta…”

“Eu me chama Diana…”

“Eu me chama Damaris…”

“Eu me chamo Thamires…”

“Eu me chamo Carla…”

“Eu me chamo Raquel…”

“Eu me chamo Vanessa…”

“Eu me chamo Renata…”

“Eu me chamo Giovanna…”

“Eu me chamo Vergonha…”

“Eu me chamo Culpa…”

“Eu me chamo Remorso…”

“Eu me chamo Melancolia…”

“Eu me chamo Tristeza…”

“Eu me chamo Abandono…”

“Eu me chamo Solidão…”

“Eu me chamo Ruptura…”

“Eu me chamo Isolamento…”

“Eu me chamo Tortura…”

“Eu me chamo Caos…”

“Eu me chamo Lama…”

“Eu me chamo Ódio…”

“Eu me chamo Ressentimento…”

“Eu me chamo Tudo…”

“Eu me chamo Nada…”

“Eu me chamo Alguma Coisa…”

“Eu me chamo Deusa…”

“Eu me chamo Diaba…”

“Eu me chamo Assassina…”

“Eu me chamo Chacina…”

“Eu me chamo Madrugada…”

“Eu me chamo Meia-Noite…”

“Eu me chamo Dor…”

“Eu me chamo Cura…”

“Eu me chamo Doença…”

“Eu me chamo Desgraçada…”

“Eu me chamo Maldita…”

“Eu me chamo Miserável…”

“Eu me chamo Medo…”

“Eu me chamo Desespero…”

“Eu me chamo Derrota…”

“Eu me chamo Vitória…”

“Eu me chamo Eu Te Chamo…”


Você vai me dizendo seus nomes, um atrás do outro, enquanto durmo, enquanto estou acordado, enquanto estou morrendo cada vez mais assim… Te odeio… Te quero longe… Te quero morta… Te quero, sim, extinta desta porra da minha merda de vida!

Te odeio!

Fique longe de mim!

Morra!

Extingua-se em mim!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI DE MIM!!!

SAI!!!

DE MIM!!!

sai…

sai, por favor…

sai de mim, por favor…

sai de mim…

por favor…

te quero fora de mim…

bem fora de mim…

bem fora…

de mim, fora…

Porém, meu pesadelo maior seria ficar sem você, a única mulher que me dá atenção, carinho, prazer… E companhia.


“Eu te chamo…”


Inominável Ser
TAMBÉM
TENDO
A MULHER
DOS PESADELOS
DELE

Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Arquivo do blog

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Arquivo do blog

Recent Posts

Unordered List

Theme Support