domingo, 3 de janeiro de 2016

Meu Demônio De Estimação



Há muito que se dizer sobre meus métodos no tratamento que dou a todo mundo que me trai. Possuo dentes afiados demais, uma língua ferina demais, um pensamento agudo demais e gosto de agredir, macular, destruir… E os traidores da minha confiança recebem toda minha consideração, já que no mundo onde vivo, o dos negócios arriscados e manobras especulativas de mercado, tenho que estar atento aos movimentos de amigos, inimigos e traidores. Nunca me acostumei à traição e aquela vadia da Bruna pagou bem caro pela dela quando bati-lhe a cabeça na parede até apenas sobrar miolos… Hoje já não uso mais estes métodos medievais, tenho um auxiliar ideal para isso, meu vingativo demônio de estimação. Até hoje não acredito que criei essa criatura sozinho, sem precisar ter descido ao nível dos conjuradores convenciona de Demônios. Bastou desejar e meu assassino invisível está aqui sempre para me ajudar.


“Me ofereça uma vítima, um nome, um endereço. Eu vou, eu faço, eu produzo a sua vingança e uma vítima sua, sem que ninguém de você desconfie. Como quer que eu mate um homem? Como quer que eu mate uma mulher? Como quer que eu mate uma criança? Como quer que eu mate um velho? Me diga como, onde e detalhe o método e o instrumento de assassinato que quer. O restante providencio com o meu talento.”


Quarenta anos de serviço para mim e meu demoniozinho matador me deu muito alívio com relação a qualquer um que me traiu ou pensou e pensava em me trair. Eu identifico isto imediatamente, basta olhar para o rosto, notar o brilho no olhar; um brilho fosco indica dúvida; um brilho forte indica ressentimento; e nenhum brilho indica dissimulação e tendência à traição. Muito antes de ter criado esse monstro, percebi a traição nos olhos de vinte e seis homens que matei pessoalmente, esfolando-os e queimando-os vivos. Com meu “filho” trabalhando para mim, não preciso mais manchar minhas mãos ou suar para matar alguém. Detesto suor, calor e porões escuros e fedorentos eram ideais para minhas sessões de vingança. Sempre suando como um porco, eu matava cada um que levava para aqueles porões. Agora, ele faz isso por mim.


“Faça o melhor possível para que suas vítimas não percebam seu plano de matá+las. Sorria quando estiver que sorrir. Console em enterros os que forem seus alvos. Pague com a moeda da hipocrisia e da dissimulação toda dívida que cobrarei em seu lugar quando chegar o momento da minha atuação ao seu comando. Pague e amanse suas vítimas, a degola e a punhalada ficam comigo.”


Dedos cortados, pele de prepúcios, crânios de bebês, olhos de crianças, pernas de velhos, pêlos, rins, fígados, corações, costelas, narizes, lábios… Minha sala de troféus de vingança aqui está rica com tantas lembranças daqueles dos quais me vinguei. O fêmur de Teodoro, o puto que tentou me roubar no pôquer; os pulmões do Lauro, que olhou demais para uma das minhas piranhas; os joelhos de Sílvia, aquela vadia que me desprezou; os peitos de Danusa, que mordeu pau enquanto me chupava; os dentes de Clarissa, que debochava de mim quando eu era criança… Meus mais queridos troféus, feitos pelo “Carniceiro do Litoral” como a Polícia e a mídia chamam o meu amiguinho há quarenta anos. Nunca vai ser pego e nunca vou parar de me vingar. Todos que até agora me traíram e os que ainda me trairão receberão dele o meu desejo de completa vingança.


“Você exalta seu ódio, uma prática para a verdadeira virtude daqueles que, inegavelmente, aquecem com derramamento de sangue as suas próprias naturezas. É o poder da vingança, o de alimentar toda a proporção do ódio de sua alma, que o torna detentor de uma pura ampliação do próprio existir acima de cada regra desta Humanidade amoral. Peça-me tudo que quiser, todo e qualquer tipo de vingança, toda e qualquer forma de punição, aos que atravessam seu caminho tentando atrofiar seus caminhos e planos. Vingança é toda chave que você necessita para serem abertas todas as portas da sua digna verdade. Participe de toda ação em seu ódio, ativando tudo e me enviando como o agente causador de assassinato. Me chame, me chame, me chame… Expanda suas garras sobre mim… Expanda seu ódio em mim… Expanda tudo o que você é, na verdade, em mim. Alcance minha existência, eu já alcancei a sua, eu sou a verdadeira essência mais conectada com o todo de sua verdadeira alma.”


É o meu filho, meu querido valoroso filho. Cortando línguas, cabeças, mãos e pés… Que pai seria mais orgulho por ter um filho totalmente a si idêntico?

Inominável Ser
FUTURO
PAI
DE UM
DEMÔNIO
DE ESTIMAÇÃO
Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Arquivo do blog

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Arquivo do blog

Recent Posts

Unordered List

Theme Support