sexta-feira, 4 de março de 2016

A Grande Noite Em Uma Dama


 A fumaça vinha de longe naquela madrugada e eu caminhava em direção a ela. Poderia ser uma armadilha, uma trama de um dos ocultos inimigos que tenho nas Ruas Amargas. Poderia, mas desde que adentrei na Encruzilhada Viva após a última daquelas Ruas, Senti que o cigarro cuja fumaça me atraía tinha um propósito muito determinado a guiar-me em segurança até sua origem. Foi então que eu vi a fumante dona dele, vestida de negro, recostada a uma parede entre as Dimensões Sombrias, no meio da Encruzilhada. Me aproximei devagar dela e fui notando que a própria Escuridão eram os olhos da mesma e o rosto dizia todos os Ocultos Antigos Textos que as Eras esqueceram… E o cigarro na mão direita dela emitia sem parar a fumaça que a rodeava, expandia-se por toda a Encruzilhada e me encobria… Enfim, cheguei perto dela, que me olhou fixamente por alguns instantes… E soltou uma estridente e calorosa gargalhada aumentando ainda mais a densidade da fumaça…



— Boa noite, seu moço!
— Boa noite.
— Com medo de mim?
— Eu não te conheço…
— Mas, eu te conheço, moço, fica calmo… Quer fumar meu cigarro?
— Não.
— Assustado comigo, moço? Quer saber como e porquê te chamei aqui?
— É isso que me perturba…
— Perturbado, moço? Ora, não fica assim não, sou da paz para os da paz e da guerra para os da guerra!
— A senhora me chamou por qual motivo?
— Sempre tem que haver um motivo, não é, seu moço?
— Me desculpe, mas é que…
— Você se desculpa demais, moço, devia deixar naturalmente rolar toda a naturalidade dos movimentos visíveis e invisíveis que te cercam… Já notou como faço esta fumaça toda aqui em redor ser tão profunda em um espaço sem definição conhecida?
— Estamos no meio da Encruzilhada.
— Correto, moço. Sabe o que isso significa?
— Você é uma das Guardiãs Superiores de todas as Encruzilhadas Menores.
— Esperto você é, moço, mas ainda não sabe porque eu te chamei aqui…
— Não sou Sábio, senhora.
— Não ainda, mas um dia será, moço. Basta ter paciência e esse dia virá, assim como veio para muitos que antes me encontraram aqui.
— Este Ponto é magnífico…
— Apenas um Ponto da Estrada, moço, além daquelas Portas acima de nós há outros superiores e inacessíveis para você. Mas, não para mim, como já deve Saber, moço.
— Por que sou tão importante a ponto de ser chamado pela senhora?
— Porque a sua importância está escrita nas Sombras, moço. Basta olhar para o seu rosto para ver-se a marca da Caveira Eterna e o empenho de tua alma no Caminho Da Cova. É um Dom, moço, concedido pela Natureza, uma Cósmica Centelha de um Poder bem acima de você. Um Poder, moco, que você vai aprender a usar.
— A senhora vai me ensinar?
— Moço, você vai ter seu Mestre correto, não posso Descer lá para onde você mora. Já tem um Compadre e uma Comadre que há muito te conhecem, Eles te doutrinário, basta sintonizá-los.
— E se eu falhar?
— Não acredita em você, moço?
— Sou muito humano, ainda…
— Um passo você vai dar acima do humano algum dia, moço, fique tranquilo. Embarque em muitos Barcos e nade em muitos Oceanos em cada percurso da tua Estrada. Seja um Andarilho na Busca e uma Roda girando na direção da Hora Eterna. Corra como Dragão Negro e retire do Selo Gritante as suas mais pesadas lições. Dilacere sua Vontade e a reconstrua dentro de si como uma selvagem chama, proporcionando o Advento do Verdadeiro Conhecimento. Escorregue para dentro de si mesmo e exploda para fora de si as Máximas, traduza cada Equação, reduza cada Etapa conforme a passagem dos dias. E coma, moço.
— Comer?
— Das Trevas Interiores e Exteriores, moço.
— Isso é…
— Impossível? Me diga, moço, então, onde que é O Impossível? O Impossível pode ser mesmo próximo de Existir? O Impossível dentro das Possibilidades Totais de tudo que existe realmente deve ser considerado? Achava Impossível estar aqui, neste exato momento, aqui onde tudo se encontra, moço?
— Busquei há muito um encontro com um de vocês.
— Satisfeito ou decepcionado comigo, moço?
— Muito grato, senhora.
— Preferia outra ou outro, seu moço?
— Não há preferências, todos que aqui estão como Participantes do Esquema são detentores dos Mistérios que eu anseio tocar.
— Arrisca-se a Tocar nos Noturnos Mistérios, moço? Compreender a Razão das Trevas? Saborear o gosto da Verdade do Abismo? Fazer uma viagem de conhecimento pelos Infernos lá embaixo de todas as Estradas que para cá conduzem?
— Arrisco tudo, senhora.
— Fume meu cigarro, moço, não me faça essa desfeita…


Pela segunda vez, ela me ofereceu o cigarro e aceitei. No começo, a fumaça me fez ver apenas sua densidade, mas pouco a pouco… pouco a pouco… pouco a pouco…

As Serpentes Sibilaram…

Os Dragões Respiraram…

Os Leões Rugiram…

Os Lobos Uivaram…

Os Sedentos Dançaram…

Os Famintos Gargalharam…

As Corujas Piaram…

O Primeiro Cantou…

O Segundo Ouviu…

O Terceiro Caminhou…

Sete Trevas…

Nove Encruzilhadas…

Nove Trevas…

Sete Encruzilhadas…

Catacumbas abertas…

Esqueletos saindo do Grande Cemitério…

Asas batidas no Baixo…

Asas batidas no Mais Baixo…

Asas batidas nos Intermediários…

As asas dos Guardiães…

Asas do Conhecimento…

Asas da Razão…

Asas da União…

As asas dela…

As asas da senhora cujo cigarro fumava…

A Grande Noite…

Dela Senti…

Com ela Senti…

Senti O Noturno…

Senti O Mistério Dos Mistérios…

Nela, A Escuridão…

Nela, O Caos…

Nela, A Morte…

Nela…

A Grande Noite…

Nela…

A Grande Noite…

Nela…

A Grande Noite…

Escorpiões…

Panteras…

Salamandras…

Peixes…

Escaravelhos…

Os Noturnos Filhos…

Caminhos…

O Noturno…

Labirintos…

O Noturno…

Encruzilhadas…

O Noturno…

O Noturno…

O Noturno…

Uma Noite…

A Noite…

A Grande Noite…

Na fumaça… na fumaça… na fumaça…

fumaça…

fumaça…

fumaça…

fumaça…

fumaça…

fumaça…

fumaça…

fumaça…

fumaça…

Tragadas…

Tragadas….

Tragadas…







Braços…

Abraços…

Abraço…

Quando voltei a mim, estava ajoelhado e ela ao meu lado, também ajoelhada, fumando o cigarro. A gargalhada que ela deu me fez gargalhar junto e erguer meus olhos… Em redor de nós, outros Guardiães… Muitos não conheço, outros já conhece e alguns nem se deram ao trabalho de serem conhecidos no Mundo Visível… E todos fumavam… E todos gargalhavam… E ela sussurrou em meu sorriso:

— Bem-vindo, seu moço, aproveite o início da tua Gira aqui…


Inominável Ser
NA GIRA
DE UMA DAMA
DA GRANDE
NOITE









Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support