domingo, 6 de março de 2016

Muito Prazer, Me Chamo Enganação!



Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Religião. Eu bagunço a sua razão e te faço acreditar na falsidade das minhas mãos. Eu invento histórias sagradas, milagres, santos, apóstolos e mártires apenas para tirar tudo da sua razão. Eu sou pai e mãe do Cristianismo, do Islamismo, do Judaismo, do Espiritismo, do Satanismo, da Umbanda, do Candomblé, da Quimbanda, da Teosofia Moderna, de Thelema, do Protestantismo, de toda coisa que te faz uma lavagem cerebral. Inspirei Paulo, Maomé, Moisés, Blavatsky, Kardec, LaVey, Crowley, Lutero, Fernandino de Morais, Adetá, Ìyá Kalá, Ìyá Nasò, todo aquele, toda aquela, a seu modo, com diversos propósitos, que inventou uma doutrina, uma seita ou uma crença no Não que eu sou com tanta persistência. Eu sou o Exu e a Pombagira nas beiras das esquinas. Eu sou o Orixá nos terreiros de macumbas. Eu sou o Varão de Fogo nos cultos pentecostais. Eu sou o Espírito a falar nas reuniões espíritas. Eu sou o Djinn na mesquita muçulmana. Eu sou o Anjo nas igrejas católicas. Eu sou o Demônio nas reuniões satânicas. Eu sou a Serpente nas orgias thelêmicas. Eu sou Aquilo que você chama, venera e louva quando o caminho para a forca faz com que seus joelhos se dobrem ante os mais efêmeros altares. Você se engana. Eu me alimento do seu engano. E continuo existindo por sua causa, seu arrombado, sua arrombada.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Política. De quatro em quatro anos, seu otário filho da puta, sua otária filha da puta, eu te engano. Eu prometo o que nunca vou cumprir diante da sua fuça escrota. Eu beijo criancinhas pobres que depois eu esqueço quando a eleição termina. Eu abraço anciães que depois eu chuto para fora da minha jogatina. Eu exploro outros otários como você, outras otárias como você, aqueles que entregam papéis com as fotos e os números para as votações nos meus asseclas. Eu roubo do seu salário de fome, enriquecendo aqueles que te enganam de quatro em quatro anos. Sou a dona do Teatro dos Ladrões, ladrões de Brasília, ladrões de Washington, ladrões de Londres, ladrões de Tóquio, ladrões de Paris, ladrões de Roma, ladrões de todas as capitais mundiais, ladrões que amebas como você posicionam em postos vitais estatais. Eu sou as presidentes e os presidentes. Eu sou as governadoras e os governadores. Eu sou as senadoras e os senadores. Eu sou as deputadas e os deputados. Eu sou as prefeitas e os prefeitos. Eu sou as vereadoras e os vereadores. Eu sou todos que te enganam com charme, requinte e hipocrisia à vontade. Hitler foi meu filho dileto. Collor é o meu sobrinho querido. Lula é meu outro sobrinho amado. Os Bush são meus afilhados de altíssimo grau. Dilma é minha afilhada semigual. E todos aqueles sentados ou que se sentaram nas cadeiras de couro negro mais famosas do mundo são a minha família, por igual. Você vota neles. Você vota em mim. E continuo existindo por sua causa, seu desgraçado, sua desgraçada.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Ciência. Eu tenho a cura para todas as doenças, mas os que me manipulam querem enriquecer as indústrias farmacêuticas a fim de engordarem os próprios rabos. Eu tenho a solução para o controle climático, mas os que me manipulam fazem-se de cegos e ignoram toda tragédia nascida dos eventos naturais mais catastróficos. Eu tenho todas as respostas deste universo, mas os que me manipulam querem que você e o resto do rebanho de vermes acerebrados aos quais pertenceis continuem ignorantes gratos pelo paõzinho suado de cada dia. Todo cientista e toda tecnologia de mim nascida não serve para libertá-lo ou torná-lo atualizado com as novidades do seu puto mundinho deterioridao, mas serve para cada vez mais escravizá-lo. Eu sou cada peça do seu PC. Eu sou cada peça do seu ultrabook. Eu sou cada peça da sua workstation. Eu sou cada peça do seu notebook. Eu sou cada peça do seu netbook. Eu sou cada peça do seu laptop. Eu sou cada peça do seu iPod. Eu sou cada peça do seu iPad. Eu sou cada peça do seu iPhone. Eu sou cada peça do seu smartphone. Eu sou cada pça do seu DVD. Eu sou cada peça do seu Blu-Ray. Eu sou cada peça da sua TV de plasma. Eu sou cada peça da sua TV 3D. Eu sou cada peça do seu Playstation. Eu sou cada peça do seu tablet. Eu sou cada peça do seu MP4. Eu sou cada peça do seu carro computadorizado. Você e a sua Humanidade nada evoluiram, apenas passaram do estado de protozoários para os de vírus e bactérias. Os cientistas ajudam a manter as infecções que você e sua gente são sob controle, criando novas doenças a cada dia, doenças que nunca possuem uma cura próxima ou conhecida, doenças que servem ao propósito das corporações amigas do bezerro de ouro da contemporaneidade, o dinheiro. O atraso humano é obra minha, meus cientistas controlam o que pode e o que não pode cair em suas mãos vadias. Você nunca vai me compreender, imbecis não são cientistas. Eu sempre vou te compreender, neanderthal de QI abaixo de zero. E continuo existindo por sua causa, seu cachorro, sua cachorra.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Mídia. Eu invento tudo que você assiste, ouve e lê. Eu controlo a programação televisiva. Eu te faço engolir novelas através de novelas dominantes que insiro como códigos em cada novelinha da Record, do SBT, da Globo, da Televisa ou de qualquer outra emissora televisiva do mundo. Eu moldo as notícias dos jornais impressos e virtuais e televisivos, modifico as versões de cada faço e te faço envolver-se nas notícias que passam aptrovadas pelo meu laço. Eu te faço ouvir as músicas que quero, as que te hipnotizam, as que te imbecilizam mais, as que te cegam mais e as que te tornam um robôzinho em minhas mãos. Eu elevo atores, atrizes, cantores e cantoras como os Novos Deuses do seu mundo, apenas para rir da forma como seu cu venera cada ídolo de merda por mim erigido. Eu edito as revistas de todos os tipos, elementos ricos do meu império que te reduzem a favor da alienação que excito. Eu sou a cara de bunda da Caras. Eu sou a canalhice editorial da Veja. Eu sou a voz desafinada da Rihanna. Eu sou a voz irritante da Anitta. Eu sou os lábios desejáveis da Angelina Jolie. Eu sou os músculos de aço do Henry Cavill. Eu sou o Funk gerador das meninas do tamborzão putas de montão e dos meninos da ostentação vadios sem massa cerebral. Eu sou o Pagode inventor dos Tiaguinhos e dos Belos sem noção. Eu sou o sorrisinho irônico e hipócrita do “Boa noite” do William Bonner no Jornal Nacional. Eu sou a beleza estonteante e mágica da Ticiana Villas-Boas no Jornal da Band. Eu sou as grgalhadas hipnotizantes do Sílvio Santos nas noites dominicais do SBT. Eu sou as bundas malhadas das Panicats, rebolativas atuais chacretes, no Pânico na Banda. Eu sou os gritos do Datena no Brasil Urgente. Eu sou a voz teatral do Marcelo Rezende no Cidade Alerta. Eu sou Rebelde. Eu sou Amor à Vida. Eu sou Pecado Mortal. Eu sou o sangue rolando em True Blood na HBO. Eu sou a fanfarronice deliciosa de Supernatural na Warner. Eu sou a dureza da vida policial em Law & Order – SVU no Universal Channel. Eu sou o humor apocalíptico de South Park no VH1. Eu sou os clipes megalomaníacos da Beyoncè na MTV. Eu sou as lutas ferozes do Anderson Silva no Combate. Eu sou os filmes pornô excitantes e famosos do Alexandre Frota no Sexy Hot. Eu sou os documentários monótonos do Discovery Channel. Eu sou cada filme de cada canal Telecine. Eu sou os desenhos repetidos do Cartoon Network. Você me adora. Eu adoro aprisioná-lo. E continuo existindo por sua causa, seu jumento, sua jumenta.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Educação. Ironizo a inteligência e incentivo a domesticação mental. Descarto a perspicácia intelectual e induzo a mecanização cerebral. Desprezo a criatividade e defendo a cópia, op decorar e a falta de imaginação. As escolas são meus iniciais palcos e centros de atuação, sou uma artista geradora de tros como Columbine e Realengo, adolescentes mortos e crianças mortas são apenas consequências da minha ação. As faculdades completam a minha dominação, não existem nelas os criadores ou recriadores, apenas imitadores dos anteriores rabos sentados nas cadeiras das cátedras que mais parecem tronos de pó. Eu sufoco toda diferença, apenas estou a favor das histórias oficiais e das tradições que controlam as almas mais afoitas. Eu deseduco para continuar a imperar comandando a maior forma de imbecilizar, desde a infância, uma alma humana. Os professores e as notas são os donos dos meus ensinamentos, cada um controla como marionete a você na escola, na faculdade ou em qualquer curso que faça. Conto mentiras nos livros, nas aulas e na ilusão que é alguém se dizer “Doutor” em alguma outra mentira das minhas. Falo o idioma do controle. Calculo a fórmula da ignorância.das coisas essenciais. Desenho círculos aprisionantes inderrubáveis. Você me valoriza. Eu te iludo. E continuo existindo por sua causa, seu retardado, sua retardada.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Internet. Eu sou o site de notícias. Eu sou o site de entretenimento. Eu sou o site pornográfico. Eu sou os jogos virtuais. Eu sou as redes sociais. Eu te retiro da humana realidade e te enveneno com a maior das ilusões do mundo atual. De clique em clique, de navegação em navegação, vou te viciando em mim, verdadeiro animal irracional. Meus encantos te seduzem e te induzem a ser um vegetal diante dos bits e bytes do meu arsenal. Meus chamados te transformam em um inseto pousando sobre cada migalha de pseudoconhecimentos que lhe dou. Eu estupro a sua mente e espanco o seu corpo durante horas, te afastando do convívio social, te metamorfoseando em um ser virtual. Você,  meu escravo real, me ama, sou muito mais do que seu pai, sua mãe, seus irmãos, seus primos, seus tios, seus avós, seus amigos, sua esposa, sua namorada, seu marido, seu namorado, ou a prostituta ou o michê ou o travesti ou o transexual com os quais ocorre apenas uma boa foda. Eu sou o Google, você me pesquisa. Eu sou o Facebook, você me curte. Eu sou o Twitter, você me segue. Eu sou o Youtube, você me compartilha. Eu sou o Dailymotion, você me assiste. Eu sou o Blogger e o Wordpress, você me lê. Eu sou o site da Times, da R7 e do Globo.com, você me vasculha. Eu sou o site da Playboy, do Bang Bros, da Brasileirinhas e do Porn Pros, você se delicia. Eu sou os paus do Kid Bengala e do Big Mac duríssimos, dentro de cus e bucetas, você me chupa. Eu sou as bucetas da Babalu e da Cherokee D'ass abertíssimas, preenchidas por mil picas, você se masturba. Eu sou os cus abertíssimos da Sara Jay e da Mônica Santhiago, com todas as pregas perdidas, penetradas por milhões de picas, você chega ao orgasmo. Eu sou as bundas grandes da Elke The Stallion e da Mulher-Melancia, você goza. Eu sou os downloads ilegais de filmes, livros, álbuns musicais, animes e seriados, você rouba. Eu sou o GTA, você se sente como um Deus. Eu sou as fotos de pedofilia e os vídeos de estupro, você festeja. Você me eleva a um trono maior do que o de qualquer Deus ou Deusa. Eu te engolfo no oceano vermelho da ilusão de Maya. E continuo existindo por sua causa, seu bode, sua cabrita.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Amor. Eu sou apenas uma desculpa para que todos fodam e procriem como ratos, moscas e baratas. Eu sou apenas uma orgânica mentira gerada por hormônios canalhas. Eu sou a falsa fórmula solucionante das solidões, reduzindo talentos grandiosos a míseros pais e mães de família. Você me namora, me beijando e fodendo e procriando comigo. Você se casa comigo, amadurecendo, envelhecendo e morrendo em meus braços. Todos os tipos de amor que eu sou são mentiras, não existe amor absoluto em nenhum ser humano. Quando alguém importante em sua vida adquire uma doença degenerativa, para onde vão seus amigos, os amigos daquela pessoa e a sua família? Te esquecem, esquecem o adoentado e se afastam. Quando você deixa de ter condições financeiras altas e passa a ter dificuldades de várias maneiras, para onde vão os seus amigos, a sua família, o seu companheiro ou a sua companheira? Te abandonam, te esquecem e se afastam. Quando alguém amado por você intensamente morre e a sua dor lhe faz ter a necessidade de um ombro amigo para chorar, com quantos amigos e familiares sinceros você pode contar? Com nenhum verdadeiramente sincero, apenas com interersseiros e interessados no seu dinheiro ou no seu corpo. Verdadeiro Amor é sonho poético. Amor Divino é quimera cabalística. Você pensa que ama algo, mas, na verdade, é a sua possessividade e egoísmo que te faz apegar-se ao objeto que diz ser o da sua adoração completa. Eu exerço a minha autoridade em sua consciência e em seu coração te dando grandes paixões e grandes decepções de variadas formas. E continuo existindo por sua causa, seu merda, sua merda.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Vida. Eu respiro por você. Eu caminho por você. Eu durmo por você. Eu desperto por você. Eu cago por você. Eu mijo por você. Eu vomito por você. Eu sangro por você. Eu fodo por você. Eu falo por você. Eu sussurro por você. Eu grito por você. Você, amorfa entidade, não me possui, sou eu que te possuo. Você, arrogante criatura, não me direciona, sou eu que te direciono. Você, pretensioso ser, não me constrói, sou eu que te construo. Você, consumado aborto, não me leva, sou eu que te levo. Não se engane, não mesmo, não há nenhum controle de sua parte sobre mim. Eu te dou várias cartas, você vai jogando e os lances o submetem cada vez mais, sob os meus pés a uma ridícula posição de escarro. Meu escarro. Você, ser humano, é um escarro, o meu escarro. Eu posso me desvencilhar de você, mas você jamais poderá se desvencilhar de mim. Eu te xingo e humilho todo dia, sou a Roda do Infortúnio e uma falsa Roda da Fortuna. Eu sei a hora do seu último sopro e me divirto com os medos e temores que você possui ao pensar que um dia deixarei de mover os seus malditos ossos, músculos e ógãos. Você pode morrer agora, agora mesmo. Você pode morrer dormindo, sem notar. Você pode morrer amanhã, assassinado ou acidentado. Você pode morrer em qualquer dia futuro, esclerosado, abandonado e solitário. Na verdade, o meu Verdadeiro Nome é Morte, mas, para mantermos as aparências, continue me chamando de Vida, é mais agradável para infraseres como você. Você se apega a mim como um bêbe faminto e desesperado. Eu sou indiferente aos seus prazeres e dores, sonhos e pesadelos, posses e misérias, status e riquezas, cor de pele e raça, sexo e idade. E continuo existindo por sua causa, seu cavalo, sua égua.

Muito prazer, me chamo Enganação! Mas, pode me chamar de Você. Você, A Absoluta Enganação. Você, a Suprema Enganação. Você, A Infinita Enganação. Você, A Eterna Enganação. Você, Enganoso Ser. Você, Enganado Ser. Você, Enganador Ser. Você, que engana a si mesmo gerando seres superiores para carregá-lo nos braços. Você, que engana a si mesmo crendo em um Deus Maior para limpar a bosta do meio do seu rabo. Você, que se apega ao que é material e que não vai contigo parao fundo da sua cova ou para o fundo do forno crematório. Você, que cria mundinhos particulares que exaltam apenas a sua vaidade e a efemeridade de sua existencialidade. Você, tão vazio, tão chulo, tão medíocre, tão tolo, tão simplório, tão mundano, tão humano. Você, humano, partícula, mísera partícula, dentro da Eternidade. Você, humano, pó, mísero pó, dentro da Essencialidade. Voce, humano, lama, mísera lama, dentro do Esquema Universal. Você, humano, esgoto, mísero esgoto, dentro do Nada. Você, humano, extinto, mísero extinto, fora do Todo. Você, humano, é um engano. Quem fala aqui é o que você é, O Engano. Você, humano, é uma enganação. Você humano, é um enganado. Quem fala aqui é o que você não é, O  Enganador. Eu não sou o seu Deus Único. Eu não sou nenhum Deus. Eu não sou o seu Diabo Tentador. Eu não sou nenhum Demônio. Você me criou. Você me amamentou. Você me educou. Você me amadureceu. Você me eternizou. Eu te agradeço por tudo que me destes. E continuo existindo por sua causa, meu pai, minha mãe.

Muito prazer, Eu Sou O Enganador! Mas, você pode me chamar do que quiser, enganoso, enganado e enganador humano leitor...

EU SOU!!!

Inominável Ser
QUE
É
Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Meu Perfil No Facebook

Esta Cova No Facebook

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox
Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support