sexta-feira, 8 de julho de 2016

Alys E Os Mutilados


Beautiful Bizarre - Bastien Lecouffe Deharme


Os corpos mutilados em todos os Vales Adra’z Zas’ker Saw’keir ainda sangram. As armas dos combatentes nas Montanhas Asawertuyhan estão montadas como estandartes em meio aos vencedores. Os prisioneiros são conduzidos, de modo respeitoso e moderado, para as cidades conquistadas por toda Radfa’alo’sos-Kaurunuduna, O Mundo Médio Superior da Raça Cósmica Aasmue'poohpta. Mais um mundo conquistado por Alys Rinji, A Primeira Deusa Moldada Pela Tecnologia Arcana Keauriotheniana, A Conquistadora Mutilada. Mundo conquistado para a glória dela mesma e, não, a da Raça Keauriotheniana.


Separatista Racial, filha de Palukhara Rinji, Grande Herói Da Guerra Do Destino Das Raças Eternas, foi ao final desta ferida em uma batalha por um Artefato Místico Automanifestado, que a deixou sem os braços, as pernas e grande parte do tórax. Nascida com o Potencial da Deificação, foi Bioespiritualmente Operada por Zaxaz Harok, Arquicientista Maior Keauriotheniano que, Deus Das Arquiciências Místicas Da Criação, responsabilizou-se pelo aprimoramento tecnológico dos Keauriothenianos desde a Terceira Era Universal. Para salvar a existência física de Alys, ele remodelou fisicamente a Estrutura Bioespiritual da mesma, Ativando a Semente Deificadora e restituindo-lhe tecnologicamente o Corpo Físico. No entanto, o mesmo apresentou deformações, principalmente no rosto, pelo fato de ter sido ferida por Elementos Incondicionados.


A mãe dela, Iberna Rinji, Deusa Guerreira Das Estrelas Eternas, foi morta pelo Artefato que a atingiu, algo que Alys não aceitou. Além de Iberna, durante a Guerra contra os Arquideuses Bards, inúmeros outros Guerreiros Keauriothenianos tombaram em batalhas pela Criação e não houve, para cada um, o devido reconhecimento como Heróis Raciais da parte tanto do Imperador Thornadoriusis Shodolon quanto da Primeira Evoluída Artcsom Ocitilop. E nem mesmo os membros mais Altos e Poderosos dos Clãs que sofreram com as mortes e Extinções de seus membros se manifestaram a favor do Reconhecimento. Alys indignou-se publicamente, após sua recuperação total, com tal injustiça; sua revolta expandiu-se por todo o Império e ganhou força com adeptos do mesmo sentimento de decepção para com os Governantes Elevados do mesmo.


Rompendo relações com o pai e nada temendo ao confrontar diretamente, em discussões que quase geravam ultraviolentas Batalhas Místicas, Artcsom, seu movimento ganhou uma intensidade crescente entre os Clãs Menores. 76% destes foram os mais atingidos pelos eventos das incalculáveis Eras da Guerra Do Destino travada ao lado de todas as Raças Eternas Moldadas. Considerados pelos Clãs Maiores como Reservas Procriatórias Eventuais, viram em uma nobre membra de um Clã Maior como Alys uma Heroína Maior Racial. À Cidade Eterna De Tar, no Planeta Keauriothen, lar de Alys, representantes dos Clãs Menores espalhados pelo Império se comunicavam com ela declarando incondicional apoio. A Crise De Alys se desenvolveu franca e expansiva por 21.330 Anos Universais da Era Universal De Sneb Sadfatark, alimentando-se de um momento do Império ainda em Reconstrução Estrutural, obrigando Thornadoriusis a expulsar a causadora daquela da Raça Keauriotheniana. Os Clãs que apoiavam-na seguiram-lhe, partindo de todas as Colônias Imperiais em pequenos Intercruzadores que escolheram como destino os Mundos Médios Superiores.


Elevada, contra a vontade, como a Líder do 556º Separatismo Racial Keauriotheniano, Alys nunca esperou ser bem recebida com 3% de sua Raça em qualquer Categoria dos Mundos Superiores, já que, nenhum Keauriotheniano era bem visto nos mesmos devido aos Crimes Maiores neles cometidos por Thornadoriusis nas Idades Com Nome (Fatos Ocultos aos Olhares Ocultos Keauriothenianos pelos Véus Automanifestados erguidos pelo próprio Imperador nos Genes Bioespirituais de seus Descendentes Eternos); e à Kasyohpetdrya Harok, A Primeira Separatista Racial Keauriotheniana. A ultraviolenta Marcha Imbatível Conquistadora de Kasy chegou ao conhecimento de todas as Raças da Criação em histórias tétricas aterradoras de massacres e Extinções Raciais tristemente cruéis. Após Kasy, 43 outros Separatistas Keauriothenianos imitaram-lhe o estilo conquistador sanguinário e promoveram outras inenarráveis atrocidades nos Mundos Superiores. Nestes, excetuando as incalculáveis Raças Guerreiras, a Raça Fraterna Agoarh-Hen e a Raça Celestial Devah, as demais não eram bioespiritualmente aptas para confrontarem os membros mais hábeis da Primeira Raça Perfeita. Sendo assim, foi com um ataque das Vinte E Duas Mil Raças Naturais De Radfa’alo’sos-Kaurunuduna, o qual, inevitavelmente, gerou a reação Keauriotheniana visceral.


Portadora da Dramuharam, A Espada Guerreira Do Espírito Divino De Dramuh Rinji, O Primeiro Deus Guerreiro Rinji, da qual é a 221ª Manejadora, com eximia maestria portentosa e tecnicamente infalível, Alys comandou a conquista do único Mundo que lhe rendeu o Nome Eterno exterminando 63% de seus habitantes, todos Guerreiros Evoluídas Da Natureza Eterna Dos Mundos Superiores. Os Guerreiros Maiores que escaparam do mesmo auxiliaram na formação do Mito Eterno que ela se tornou na História Da Criação; e as vitórias adquiridas contra Arquititãs Da Guerra, Faabet-Borah Samaf’aodorckar Nothah (A Deusa Das Sagradas Criaturas De Tenku Kay) e Zabay-Atlay Aumrareelz Banjeur Jeturen Apeumit Athdernu Edrasm (O Deus Do Templo Universal Dos Mundos Superiores e Governante de todos estes) nas tentativas que os mesmos fizeram, ininterruptamente, para libertarem de seu domínio aquele Mundo, durante 765.564.900 Eras, aumentaram-lhe ainda mais o Nome. Atos injustificados porque Alys e seus comandados foram benevolentes para com os prisioneiros, todos Seres Comuns libertando-os como seres independentes a fim de reconstruirem suas existências, materialmente falando. Mesmo independentes, eles mesmos e seus descendentes, veneravam-lhe como uma Imperatriz, algo que nunca proclamou ser como tal.


No 241º Ano Universal da Era De Maeskra Saudarhafa, os Keauriothenianos partiram de Radfa’alo’sos-Kaurunuduna, deixando no mesmo uma avançadíssima Tecnologia Arcana que os habitantes mais habilidosos haviam feito com que uma Elite de Tecnoguerreiros formasse uma Força Defensora indestrutível daquele Mundo. Os Historiadores não Sabem quais foram os motivos para o Êxodo dos Keauriothenianos de um Mundo que tornaram inconquistável e nem qual foi o destino de todos. A maioria concorda que seguiram para uma Linha Temporal Alternativa bem distante do Espectro Identificador das Linhas mais próximas de serem Observadas. As Crônicas se calam quanto ao que ocorreu com Alys, A Mutilada, e seus Clãs Mutilados, como passaram a ser conhecidos seus seguidores desprezados pela Alta Cúpula Governamental Keauriotheniana. Notícias ou breves relatos deles não chegaram ao conhecimento dos Cronistas Bélicos Keauriothenianos. No entanto, para os mesmos, todos são peças explicativas dos porquês da Hegemonia Bioespiritual dos Guerreiros Keauriothenianos na História Moldada Pela Eterna Expansão Da Obra Eterna.


Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL





Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Meu Perfil No Facebook

Esta Cova No Facebook

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox
Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support