sábado, 12 de novembro de 2016

A Primeira Morte De Um Deus Keauriotheniano


The Weary Warrior - Jersey Rob


O que ocorre quando um Deus morre? Quando uma Maravilha Evolutiva como um Deus entre os Seres Materiais encontra os Abraços da Automanifestada Morte? O que leva um Deus a morrer e afetar drasticamente toda a Estrutura da Verdade Eterna Originadora de toda uma Raça Moldada? Como um Deus morre na Operativa Funcionalidade Dos Tecidos Universais? Como um Deus é capaz de alcançar as Montanhas que guiam ao Caminho Nebuloso Do Fim Material? Deuses não são Eternos dentro dos Olhos Da Eternidade? Deuses não possuem Infinita Vontade dentro das Vias Do Infinito? Deuses não navegam incólumes diante das Realidades Temporais? Deuses Adorados jamais poderiam morrer… Deuses Amados jamais poderiam tecer os longos passos finais de um Ser Material na Estrada Da Morte… Deuses, Únicos Seres abaixo dos Incondicionados que se encontram em um Nível Evolutivo que se distancia de todos os Níveis Evolutivos, jamais deveriam mergulhar nas Ondas dos Oceanos Da Morte…

Mas, Alekhan Oalduthen, Bredara Sarahhon, Margae Rannonhlann, Fardar Naftalih, Hauror Rinji, Rammaer Epamiker, Resya Ocitilop, Yura Tenerah, Uyga Terah, Thera Korah e Jardara Rwter estavam diante da chegada da morte de um Deus Keauriotheniano muito idolatrado, adorado e amado. Dorgasaat Baarah, O Benévolo Deus Guerreiro Das Estrelas Guardiãs Dos Mundos Celestiais, um dos primeiros e melhores Discípulos Diretos de Artcsom Ocitilop que se tornaram Deuses, agonizava nos braços de suas filhas, Hayyshar e Raltah, As Duas Deusas Guerreiras Da Estrela Flamejante Das Almas Eternas Universais. Gêmeas, foram as únicas dos 2.045 filhos deles que sobreviveram à Guerra Universal De Eroomoon Xoodur. Esta Colônia Universal Keauriotheniana, governada por Dorgasaat há 1.110 Eras Universais, enfrentou durante 640.987.555 Anos Universais as Forças Caóticas Xo-Eraoos, um aglomerado de 642 Universos Superiores que tinha pretensões de Expansionismo Territorial. Ao invadirem Eroomoon, comandadas por Yud’uskear-Ruu, O Décimo Nono Filho Do Caos Automanifestado, deflagraram uma guerra contra todo o Império Keauriotheniano.

Artcsom liderou a investida contra as possessões de Xo-Eraoos e a guerra ainda transcorre enquanto um Deus Keauriotheniano morre. Dorgasaat e Yud’uskear-Ruu travaram um extremíssimo embate estratégico por todo Eroomoon, embate no qual 533 milhões de galáxias, o quintuplo de planetas e o décuplo de existências foram exterminados. Dorgasaat salvou os demais inumeráveis habitantes, planetas e galáxias muitas vezes arriscando a própria Existência, se importando mais com os Seres Comuns e seus comandados do que com aquela. E a última batalha, a que decidiu a libertação definitiva de Eroomoon, representou o palco da Batalha Mística Final entre os comandantes dos dois lados. O Semi-Automanifestado Yud’uskear-Ruu teve elevadíssimas vantagens a cada confronto que travou contra Dorgasaat; este, após 12.225 confrontos, nos quais saía feridíssimo, não pôde confrontar no último ao inimigo, que o feriu a tal ponto quando acessou uma Face Caótica que quase foi Extinto. As filhas salvaram-no, Extinguindo juntas ao inimigo após um duríssimo combate que durou 6.112 Anos Universais.

Menos feridas do que o pai, levaram-no para o Planeta Uur Rul Nuuar, a Sede do Governo Universal. Destruída em 70% de sua superfície, com 2.483.976.002 habitantes mortos e o dobro de feridos, é o local de nascimento delas e dos irmãos que morreram na Guerra. Nas ruínas do Templo Estelar Primordial de Eroomoon, choram pelos últimos momentos do pai cercadas por aqueles onze Soldados também nascidos no planeta. Onze Seres Comuns que nunca imaginaram ou sonharam com o dia no qual veriam a morte de um Deus e as lágrimas de duas Deusas, filhas do mesmo, escorrendo com estarrecedora abundância. Um Deus muito Amado e Adorado por eles, assim como elas. O Único Deus que mais conheceram e lhes trataram como iguais na Raça Keauriotheniana.


— Não há nada a ser feito, minhas filhas, mais nada… — Dorgasaat tem a cabeça apoiada nas coxas de Hayyshar e as pernas juntas acima das coxas de Raltah. — Não me interrompam agora, minhas filhas, meus Soldados, eu tenho muito a lhes falar antes de encontrar o Automanifestado Caminho Tarmaa… Muito já lhes indiquei como devem Agir, Ser e Estar… Agir Permanente Nas Vias Do Permanente Caminho De Todo O Fluir Das Coisas Manifestadas E Automanifestadas… Ser No Tecido Das Tramas Envolventes Da Textura Estrutural Da Universalidade… Estar No Meio Do Acontecimento Maior Do Existir Como Conjunto No Conjunto Do Todo Maior… Foram muitas palavras assim… Todas, quase sempre assim, para vocês, seus irmãos e irmãs… Lhes moldei como Brilhantes Estrelas Keauriothenianas… E também como Brilhantes Estrelas Para Toda A Criação… Lhes moldei, indicando O Caminho Benévolo… O Bem Automanifestado em uma das Faces de Nossa Mãe… E junto com a mãe de vocês, minha Adara, fiz muito mais… Me chamaram de muitos Nomes Eternos antes… Antes de vir atuar aqui como Governante Universal… Dorgasaat, A Nobre Estrela… Dorgasaat, A Mais Benévola Estrela… Dorgasaat, Luz Estelar Verdadeira… Dorgasaat, O Supremo Bom… Dorgasaat… Eu já era considerado um Arauto Da Vida Eterna, do Amor Automanifestado Em Cada Eterna Existência Da Criação… Minha amada Mestra Artcsom me chamou de Dorgasaat, O Esposo Eterno Da Bondade… Mas, Dorgasaat, Pai… Sim, pai… Pai é o melhor dos Nomes que recebi… Para Adara, ser chamada de mãe, também teve o mesmo efeito… O seu pai, minhas filhas… O seu pai, meus Soldados, já que com Amor sempre lhes tratei como meus filhos… O pai de vocês está morrendo… Morrendo feliz por ter salvo Existências… Morrendo feliz por ter auxiliado Seres Comuns desde sempre… Morrendo feliz por ter Comungado com Seres Evoluídos na Paz e na Guerra… Não sou um Deus Maior, Melhor, Acima De Todos Os Demais Deuses… Meus Nomes irão apagar-se no Futuro com o advento de outros Deuses e Arquimestres Keauriothenianos… Os feitos deles apagarão os meus… Mas… Mas, não me importa, eu sempre agi desinteressado em deixar meu nome na História Da Criação… Agi Compreendendo o porquê da nossa Raça ser considerada A Primeira Raça Perfeita Da Criação… Nosso Verdadeiro Destino como Raça não é a tudo conquistar… Nosso Caminho não é Tirania Total escravizando outras Raças Moldadas… Nossa Guerra, Verdadeira Guerra, é pela Eterna Paz Da Criação… Pode até não parecer, mas até hoje nossas Ações como um Império trouxeram A Paz para determinados Pontos Da Criacão… Nosso Pai Thornadoriusis nos Moldou para sermos Pacificadores… Isto, filhas e filhos, eu lhes ensinei… Lhes ensinei… E vocês utilizaram e utilizarão não em meus Nomes… Utilizarão em nome da Verdadeira Justiça Automanifestada… Em nome do Verdadeiro Bem Automanifestado… Em nome de tudo que leva ao Verdadeiro Evoluir… O Belicismo Keauriotheniano deveria desde sempre ter adotado esses Benévolos Princípios Maiores… Não adotou e a maioria dos da nossa Raça atualmente fazem parte do mesmo tipo de Mal que eu combati… Lutei muito, filhas e filhos… Sem me deixar cair ou cansar, quando precisavam de meu auxílio, eu estive presente… Sempre com um sorriso para aqueles que sofriam… Sempre com calorosas mãos para aqueles que não podiam caminhar… Sempre com afeto para vencer cada batalha contra os Criminosos Tirânicos e suas hordas… Criminosos e hordas, filhas e filhos, que também existem em nossa Raça… Não se enganem, pois agora tenho uma Visão do Futuro Da Criação além das Eras Universais… Virão Eras após estas que preparam a Definitiva Ascensão Evolutiva da Raça Keauritheniana… Não consigo distinguir se é para o Bem ou para o Mal… Minha Visão não define o que é essa Nova Luz que estou a vislumbrar agora… Não interpreto isto como algo a preocupá-los, apenas quero que se mantenham firmes dentro dos valores que lhes transmiti… Valores que recebi de minha Mestra Artcsom… Valores que meus pais, As Primeiras Estrelas Keauriothenianas, me transmitiram… Mesmo que em nossa Raça esses valores diminuam com o Tempo, sigam firmes neles… Transmitam cada um deles aos seus filhos e descendentes… Honrem… Honrem a Criação e todas as demais Raças da mesma transmitindo O Fervor Guerreiro na Busca pela… Paz… Harmonia… Amor… Luz, mesmo dentro das Infindas Trevas Que Abraçam Os Campos Da Criação… Trevas necessárias para que possamos Ver melhor o Verdadeiro Caminho à nossa frente… Nelas, quando Despertei como um Deus, Vi o meu Caminho… Vi todo ato para com todos que necessitaram de mim pela Criação… Vi o meu empenho na defesa do Bem… Vi a mãe de vocês, filhas, nascendo e morrendo… Vi os pais e as mães de vocês, filhos… Vi o que ocorreria nesta Guerra… Vi seus irmãos, filhas, nascendo e morrendo… Vi os de seus Clãs, filhos, nascendo e morrendo… Vi a nossa vitória… Vi a minha morte aqui, filhas e filhos, rodeado por vocês… Não chorem, filhas… Não chorem, filhos… O Símbolo Eterno do Clã Baarah se refere à Felicidade Da Alma Eterna Nos Mundos Eternos Dos Princípios Do Existir Eterno… Sou uma Feliz Estrela… Uma Estrela que cumpriu sua trajetória… Trajetória de Brilhos pelo Bem… Obrigado, Grande Estrela… Obrigado, Mãe… Obrigado… Obrigado pela oportunidade de ter seguido a Estrela do meu Verdadeiro Caminho… Brilhem, filhas… Brilhem, filhos… Felizes Como Eternas Estrelas Benevolentes… Felizes… Felizes… Felizes… Felizes como eu estou agora…


Com um fraternal sorriso no rosto, Dorgasaat entregou sua Alma Eterna nos Automanifestados Braços Da Magia Eterna. Suas filhas emitiram Gritos Eternos que estremeceram a Criação inteira. Seus filhos deixaram as lágrimas abundantemente escorrer. Todos os Evoluídos Da Criação Sentiram e Viram a morte de um Deus, um Evento Da Criação, nada inédito para eles. Thornadoriusis Shodolon, O Pai Racial Keauriotheniano, que também já vira anteriormente Eventos semelhantes, Sentiu e Viu a morte de um dos seus Maiores Descendentes Eternos Em Evolução. Todos os Evoluídos Keauriothenianos, ainda no Florescimento Dos Seres Evoluídos além de Thornadoriusus, Sentiram e Viram a morte de um Deus de sua Raça. No exato momento da morte dele, Artcsom explodiu evolutivamente e sozinha Extinguiu a todos os habitantes de Xo-Eraoos, assombrando e aturdindo aos comandados dela. Os Keauriothenianos assim descobriram que Deuses entre eles podem morrer. Descobriram e muito lamentaram a morte de um dos mais benévolos Deuses de toda a sua História.

Há quem, entre os Cronistas Bélicos Keauriothenianos, considere Dorgasaat como O Único Filho Da Guerra Benévolo Que Houve Em Toda A História Da Criação.


Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL





Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support