segunda-feira, 7 de agosto de 2017

O Último Poema À Beira Da Boca De Um Vulcão


Isto vai sendo escrito diretamente do ponto onde Um Poeta se encontra prestes a se lançar na lava de Um Vulcão. Não se sabe quem é tal poeta, isto me foge à percepção. Não se sabe qual é o vulcão, isto nem chega a ser uma cogitação. Somente ouço o último poema de um poeta à beira da boca de um vulcão aqui chegar com explosão…


“Sou um túmulo vazio,
Uma peça ancorada entre
Mares de navios
Arrependidos de terem
Abandonado o porto
De onde saíram.
Sou velho marujo
De cada um destes
Navios afogantes,
Determinado a me jogar
Para os tubarões
De um mar
Mais adiante.”


Eu olho a vida deste Um Poeta passar diante de mim como um relâmpago. Nascido Um Homem, crescendo como Um Homem e rompendo todas as expectativas ao se tornar mais do que Um Homem. Algo que o levou a estar agora à beira da boca de Um Vulcão. Algo que o faz recitar Um Poema que os terríveis ventos do leste trazem ao meu Ser…


“Sendo devorado,
Poderei reencontrar
Minha verdadeira vida.
Vida estável,
Vida plena,
Vida encontrável
Entre os poemas
Que ainda não foram
Escritos sobre a pedra
De cada túmulo
Aberto sob as águas,
As terras,
Os céus
E as chamas.
Cada túmulo que sabe
De cada poeta
Cujo nome foi perdido
Entre as cinzas
Dos aeons.”


Eu sinto a dor de Um Poeta. Eu vejo as lágrimas de Um Poeta. Eu sinto a dor de Um Poeta. Eu choro junto com Um Poeta. Nunca foi aplacada a dor de Um Poeta. Nunca deixaram o rosto de Um Poeta as lágrimas. E agora Um Poeta se encontra à beira da boca de Um Vulcão. Se encontra na recitação do último poema nascido de seu coração…


“Aeons
Onde fui
Bandido,
Banido,
Bastardo,
Brutalizado,
Buscado
E Buscador.
Aeons
Onde escrevi
Desgraçado,
Determinado,
Deteriorado,
Destroçado,
Destruído
E destruidor.
Aeons
Onde encontrei
Musas,
Mudas,
Mundos,
Múltiplos,
Muros,
Múmias
E mutilações.
Aeons
Onde aprendi a
Explodir,
Extorquir,
Explanar,
Exorcizar,
Exercitar,
Examinar,
Exaltar
E exalar.”


A voz de Um Poeta ecoa entre as Trevas que formam as Poesias da Terra. Poesias de Existencial Caos em uma realidade cruel. Poesias de Existencial Cólera advinda daqueles que esmagados foram pela História. Poesias de Existencial Delírio formado pelas contemporâneas loucuras hoje tão veneradas. E Um Poeta à beira da boca de um vulcão, agora, é a soma em eruptivos versos de toda a Terrestre Verdade. Nesta, a voz de Um Poeta é eterna…


“Em aeons
Que muitos esqueceram,
Me afundei em chamas
E bebi da lama.
Também colhi sangue
Em prateados campos
E reguei cadáveres
Em dourados vales.
Tudo fui
E nada encontrei
A mais
Além da Eterna
Poesia.
Tudo fui
E nada conheci
Além da Eterna
Poesia.
Tudo fui
E nada reconheci
Além da Eterna
Poesia.
Afinal de contas,
O que há
Além da Eterna
Poesia
Neste mundo onde
Sonhos
E pesadelos
São muito mais
Aceitáveis
Do que a realidade?”


As palavras de Um Poeta se tornam mais profundas agora. Os versos de Um Poeta se tornam mais poderosos agora. A voz de Um Poeta se torna mais fascinante agora. É que Um Poeta à beira da boca de Um Vulcão é sempre o mais belo de todos os poetas. E sua voz ressoa como o perfeito epitáfio para todos os poetas…


“Agora sou
Apenas
Um Poeta.
Agora sou
Apenas
Um Poema.
Agora sou
Apenas
Um Verso.
Agora sou
Apenas
Uma Coisa
Escrita para tomar
A forma de uma
Esquecida fôrma.
Meus mestres
Foram extintos
Pelas temporais areias
Que cruéis regem
Este Universo.
Meus discípulos
Nunca existiram,
Sou Um Poeta
Sem vínculos,
Sem escolas,
Sem família,
Sem tradição,
Sem escândalo
E sem a imagem
De um rufião
Vendedor de sua
Escrita.
Ninguém conhece
Um Poeta.
Ninguém
Me conhece.
E não vou
Ser lembrado,
Nem lamentado
E nem lido.
Já conheço
Meu destino,
Destino sempre
Atraído por
Um Vulcão
Em erupção…
Este aqui
Está calmo,
Me convocando
Para uma tertúlia
Gloriosa…
Aqui se apaga
Um Poeta.”


E Um Poeta se joga dentro de Um Vulcão. E Um Vulcão se joga dentro de Um Poeta. Um Só agora na Eterna Poesia que ancora nos portos da cidade perto do Vale para onde vão todos os Poetas Perdidos. Poetas Perdidos… Esquecidos… Desconhecidos… Ignorados… E que Um Conto sempre conservará intacto mais como uma respeitável homenagem do que mera citação atrelada a um indício de falsidade. Como Um Poema e como Um Poeta, Um Conto e Um Contista também estão à beira de Um Vulcão…

E Um Conto é sempre o último que nunca acaba de ser escrito.


Inominável Ser
UM INOMINÁVEL
CONTISTA
UM INOMINÁVEL
POETA
VULCÂNICO




Share:

domingo, 9 de julho de 2017

A Visão De Nahk Razeak


Dark Warrior - Dem0ralizeD

A Visão Do Conquistador ao fim de suas façanhas nos atos construtores de suas Grandes Conquistas oferece-lhe o fervor que nem mesmo O Amor e O Ódio são capazes de elevar. A Visão Do Conquistador admite apenas o direto plano da Extrema Consecução de seus planos, diante dos quais tudo é meramente utilizado como meta, natural ou artificial, em seu Método Guerreiro. A Visão Do Conquistador vê apenas diante de si Seres Menores a serem escravizados, esmagados ou extintos para que suas Páginas no Grande Livro Existencial estejam repletas de seus feitos moldados pelo sangue que derramou e Existências que Extinguiu em prol de seu Sonho Conquistador. A Visão Do Conquistador suprime a baixeza das emoções menores, a fraqueza das paixões bestiais e a incerteza dos momentos de harmonia, tranquilidade e paz. A Visão Do Conquistador é A Extrema Arma Guerreira, a eficiente máquina moldadora dos Feitos Conquistadores e abortadora dos fetos natimortos de idéias absurdas sobre misericórdia para com aqueles que resistem ao Ato Conquistador. A Visão Do Conquistador É Sua Vida Eterna. A Visão Do Conquistador É Sua Suprema Verdade. A Visão Do Conquistador É Seu Absoluto Verbo. A Visão Do Conquistador É Sua Onisciente Ciência. A Visão Do Conquistador É Sua Onipresente Religião. A Visão Do Conquistador É Sua Onipotente Vontade. A Visão Do Conquistador É Sua Incomunicável Essencialidade.

O Conquistador é um Gigante que contempla a pequenez do que abaixo de si está, contemplação a partir de um olhar sempre superior a denotar o fascínio que lhe dá toda a extensão do que por si foi conquistado. O Conquistador faz do Momento Contemplador sempre uma espécie de um momento de Grandes Seres movidos pelo Espírito Guerreiro, Espírito este presente em todas as Raças Da Criação, assumindo diversas formas em Planetas, Mundos, Realidades e Linhas Temporais. O Conquistador é Idealizador Realizado e Realizado Ideal na variedade dos Modos De Conquistar e as ambições que levam à Conquista são diversas, obviamente, cada uma tendendo para um específico caso de Preenchimento Existencial de si mesmo, de uma Ideologia ou Natural Necessidade Existencial. O Conquistador, um Conquistador como Nahk Razeak, O Conquistador Dos Mundos Do Fogo Celestial Setenário De Haoofehyter, possui o que todos os Conquistadores essencialmente portam em comum no duro semblante forjado pelos campos de batalha: o olhar que continua a querer cada vez mais conquistar como uma infinita sede de Verdadeiro Poder a ser alcançado na submissão de diversos Seres e Formas Conquistados.

O Clã Razeak era o 219º Clã Maior Keauriotheniano e liderou a 35ª Dissidência Separatista Racial, no 459º Ano Universal Da Era Universal De Tahner Kasdehart, em busca daquilo que todos os Conquistadores eternamente almejam: o peso de suas mãos e pés sobre os semblantes dos Conquistados. Este Evento Separatista Racial levou para fora do Império Keauriotheniano outros 220 Clãs Maiores, 3.770 Clãs Médios e 21.022 Clãs Menores, todos aliados dos Razeak, os quais em sua maioria eram Deuses Maiores Portadores Do Fogo Celestial Automanifestado Da Magia Eterna. Como um pequeno Império liderado por Gohros Razeak (Primeiro Deus Eterno Fátuo) e Alasdhara Gaalmor (Primeira Deusa Eterna Fátua), os Dissidentes (chamados Keaurathortaes, Renegados Raciais, pelos que são fiéis ao Império) travaram 2.042 guerras por 699 Universos durante quinze Eras Universais. Todas essas guerras foram perdidas, guerras motivadas pelo ambicioso projeto da construção de um Império Eterno Fátuo no Plano Universal. Nahk, o primeiro dos 442.021 filhos de Gohros e Alasdhara, consideravelmente sendo em Termos Evolutivos O Maior Dos Deuses Fátuos, meditou naquelas Eras sobre a necessidade mesma de um Império naquele Plano. Meditou ainda sobre qual a maneira de transportar seus acompanhantes na Jornada Conquistadora que lhes custava cada vez mais perdas em matéria de contingente de Soldados e Recursos Tecnomísticos. E planejou o modo como poderia fazer de dita Jornada uma forma avassaladora de crescimento de cada um como Verdadeiro Filho Da Conquista.


— Precisamos eliminar os pontos que nos distanciam da Verdadeira Conquista. Vocês Sabem dos pontos que nos atrapalham para o alcance da Verdadeira Objetividade de nossa Missão Existencial como Conquistadores. Eliminemos tudo aquilo que corporifica um dano ao nosso Sonho Conquistador.


E foram eliminados todos os irmãos de Nahk pelas mãos daqueles que viram nele O Verdadeiro Líder Conquistador. E ele mesmo torturou os pais até a morte nas Chamas Do Fogo Celestial Caótico Automanifestado Na Magia Eterna. E os que eram aliados de seus pais foram obrigados a serem submissos a ele. E os de seu Clã, familiares diretos, sobreviventes do massacre promovido nos 3.988.400 Intercruzadores onde habitavam, curvaram-se diante do seu membro mais poderoso.  


— O Plano Universal não é o nosso Verdadeiro Destino, nada aqui nos serve. Devemos fazer como Kasyohpherdrya Harok, A Primeira Separatista, indo além do que o Império Keauriotheniano conquistou no Plano Universal. Um Mundo Celestial Maior também não é suficiente, merecemos muito mais do que isto. Eu os conduzirei até o nosso Verdadeiro Império.


O Massacre De Nahk ocorreu dentro de uma Dimensão Secreta nos Túneis Dimensionais que ligam todas as Categorias Universais na Linha Temporal Principus, A Primeira De Todas As Linhas Temporais. A Navegação Cronoespacial com Intercruzadores é comum em todas as Raças Evoluídas, mas foi dominada com maior maestria pelos Keauriothenianos ainda na Idade Dos Fatos, tornando-os Arquitetos Supremos E Absolutos deste tipo de Viagem Entre Universos. Através dos Túneis, os Keauriothenianos acessaram pela primeira vez na História Da Criação o Tempo/Espaço Verdadeiro e puderam chegar aos Horizontes conhecidos como Mundos Superiores, Oriente, Realidades, Dimensões e Linhas Temporais. Somente por causa do fim do Expansionismo Colonial na Última Das Idades, decretado pelo Imperador Thornadoriusis Shodolon, não foi possível aos Keauriothenianos conquistarem qualquer Território dentro daqueles Horizontes. Kasyohphetdrya quis mudar isso, objetivou mudar isso e Nahk estava determinado a ir muito além do que sua Ícone Eterna fora.


— Uma Linha Temporal é o que merecemos e eu os levarei a tal Conquista.


No Dia Celestial Daramuurtuduyt de Daromehaloka, O Primeiro Mundo Celestial Setenário Da Linha Temporal Haoofehyter, os Keaurathortaes De Nahk iniciaram uma invasão tendo à frente seu Líder Eterno Fátuo. Os membros masculinos dos Celestes Seres De Dorome foram Extintos com uma crueldade que assombrou os outros Seis Mundos Setenários, que uniram-se no que foi denominado A Resistência Da Sétima Força Celestial De Hoofehyter. Os Sete Primordiais Exércitos Celestiais Da Sétima Força foram destroçados de Mundo a Mundo, mais por Nhak do que qualquer outro dos Conquistadores sob as ordens dele. Tal como em Dorome, os representantes masculinos de Kaarau, Bartahara, Rareadtha, Saopark, Kopparte e Teearana foram Extintos. As mulheres, incluindo as Guerreiras, foram mantidas prisioneiras e tornadas Escravas Sexuais Procriadoras unica e exclusivamente de Nahk. O Keaurathortae que tocasse em qualquer uma delas seria Extinto sumariamente pelo mesmo, que se tornou O Imperador Nahk do Império que nomeou com seu próprio nome, Incorporando o Sétimo Fogo Celeste Hoofehyter em sua Automanifestação (adquirida durante a Viagem Cronoespacial que o guiou a tal Linha Temporal, mas Latente em sua Evolução desde seu Nascimento Material).


— Isto serve ao Império como meu Fruto Conquistador.


Isto ele sempre dizia a cada humilhada Escrava que lhe dava um filho ou filha Evolutivamente Perfeito. Os mesmos eram retirados dos braços das mães e educados por ele com rigidez, rispidez e dureza nas Artes Bélicas. Todos cresceram se tornando simulacros, em caráter e personalidade, do frio e tirânico pai.


— Isto não serve ao Império como meu Fruto Conquistador.


Os filhos e filhas que não correspondiam Evolutivamente aos seus Conceitos Conquistadores eram incinerados vivos na frente das mães por ele. Elas continuaram procriando, poupadas por Nahk por puro desejo de destroça-las mais do que já eram, e inúmeras assistiram inúmeros filhos sendo incinerados.


— Procriemos em nome do nosso Impulso Conquistador.


As filhas de Nahk eram exclusivas dele e quem as tocasse além dele teria o mesmo fim daqueles que tentassem algo com suas Escravas. Medo, extremo medo, fazia os súditos e súditas obedecê-lo irrestritamente, o que sempre manteve intacta a Harmonia Imperial. Do Conluio Procriador com suas filhas, nasceram Evoluídos Perfeitos aprovados pelo Progenitor.


— Vocês serão eternamente gratas por eu lhes manter como minhas Escravas. Terão sempre a honra de fazerem parte da minha Visão Conquistadora.


As Escravas foram tornadas Imortais e a cada uma delas cabia o único direito de sempre se manterem dispostas e disponíveis para o Ato Procriador com seu Senhor e Imperador.


— A todos vocês de Hoofehyter, digo que se não se curvarem diante de mim serão massacrados pelo meu Império. Suas mulheres se tornarão minhas Escravas Procriadoras, mesmo se a rendição total ao meu Poderio for imediata. Os demais de vocês serão Extintos, não tenho o dever de lhes poupar as Existências. Evitem uma guerra que vocês não vencerão e me entreguem tudo que possuem. Esta Linha Temporal é minha e nada mais me impedirá de um dia conquistar a todas as Linhas Temporais.


Logo, toda Hoofehyter estava tendo o conhecimento do Nascimento Do Império Nahk e do Ultimato Imperial acima determinado pelo Governante do mesmo. No entanto, Eden Al Sophor Hoofehyter, tendo como Imperador Material Lúcifer Hoofehyter, um Automanifestado cuja Luz pertence à Primeira Categoria Dos Automanifestados; Keauriothen Hoofehyter, governada por Thornadoriusis Shodolon Hoofehyter, outro Automanifestado, ligado aos Ciclos Da Vida Eterna naquela Linha Temporal; e Gehen Nal Handes Hoofehyter, governada por Lilith Hoofehyter, A Arma Automanifestada Da Escuridão Automanifestada na Linha, lideraram uma Resistência que impediu o avanço de Nhak além do seu Império. A Guerra Eterna De Hoofehyter afastou esta Linha Temporal de todas as demais Linhas Temporais por obra dos Majestores Supremos Temporais. Estes, temendo que os destrutivos Efeitos Automanifestados das lutas de Nahk contra seus três opositores Automanifestados se expandissem por outras Linhas, isolaram-na praticamente da Criação. O que ocorreu, naturalmente impulsionado pelas Energias Automanifestadas a cada batalha deflagrada, foi que Hoofehyter desapareceu de qualquer Ponto Revelado ou Secreto do Tempo/Espaço Verdadeiro, sendo impossível até mesmo ao Primeiro De Todos Os Automanifestados de localizar o seu paradeiro atualmente.

Não se sabe quem venceu a Guerra em uma Linha onde as Presenças Materiais de quatro Automanifestados tornou a mesma impossível de chegar a uma decisão. Nahk é lembrado por estas e outras Crônicas devido aos relatos de Deslizadores Temporais que levaram suas histórias em Hoofehyter a outras Linhas. Permitindo ser conhecido como um Verdadeiro Conquistador, ele ambicionou conquistar igualmente outras Existências que compartilham da mesma Visão que ele possui acerca do Verdadeiro Destino De Um Ser Evoluído. Este Destino é A Conquista, não A Sabedoria; A Vitória Incessante, não A Paz Eterna; A Guerra Como Veículo Da Essência, não A Harmonia Entre Todos Os Seres E Todas As Coisas Em Uma Equilibrada Coexistência. Para os que historicamente estudaram Nahk, o mesmo é o Exemplo Máximo Do Conquistador Consumado Que Cada Vez Mais Ambiciona O Conquistar Como Parte De Si Mesmo.

Nahk, Visionário Adepto Da Conquista.

Nahk, O Perfeito Conquistador.

Nahk, O Primeiro Da Verdadeira Conquista.

Nahk, O Primeiro Que Manifestou A Nova Luz Que A Tudo Conquistará.


Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL




Share:

domingo, 2 de julho de 2017

Eu Também Tenho Um Sonho...


Dark Women - Alex Sobolesky

Eu era apenas um menino de quinze anos, quando na escola te conheci, uma Deusa entre meros mortais que se prostraram aos seus pés. Eu fui um deles, um daqueles apaixonados pelos seus sorrisos, pela sua alegria, pela sua doçura e por cada inteligente palavra de seus lábios. Jamais pensei, no entanto, que você olharia para mim e me escolheria entre tantos garotos, uns mais altos e mais bonitos do que eu, outros mais ricos e muito mais inteligentes. Mas, você me escolheu naquela era onde tudo significa festa e descoberta, aquela escolha marcou nossas vidas. E você me disse que nunca sairia de perto de mim… E você me prometeu que nunca me abandonaria… Você disse… Você prometeu… Antes daquele dia, tudo fora dito e prometido também por mim… Antes daquele… dia…

Namoramos muito durante aqueles dez anos, sempre amigos um do outro, sempre bastante apaixonados. Fizemos planos para quando nos casássemos, longos planos após nossa independência financeira e ao fim das nossas faculdades. Teríamos cinco filhos (Giovani, Giovanna, Gianne, Gian e Giancarlo) e ficaríamos juntos até o fim de nossas vidas. Lembra que ríamos sempre enquanto planejávamos a nossa futura família? E de como divertíamos nossos pais e amigos contando os nossos planos? Lembra? Eram momentos de muita magia, de muita alegria, de muita paz e ternura… Momentos, querida, que passamos muito bem juntos antes daquele dia… Um momento antes… Bem antes… Bem antes daquele dia…

Na primeira vez que fizemos amor, foi como se viajássemos para outro mundo… Suas mãos… Minhas mãos… Seu corpo vibrando ao meu toque… Meu corpo todo tremendo de nervosismo… Você me acalmou, conseguimos completar aquela experiência e depois tomamos vinho juntos… Ficamos bêbados naquela noite, lembra? Bêbados de amor e por causa daquele vinho? Foi muito bonito, não foi? Foi, foi muito bonito, eu sei que foi… Você sabe que foi… Todos que nos conheciam sabem que nosso amor era recíproco, autêntico, maravilhoso, sublime, sincero e verdadeiro. Éramos o mais perfeito dos casais, o mais apaixonados, nunca brigando ou nos separando por causa de grandes ou pequenos problemas. Enfrentamos tudo juntos, sempre de mãos dadas e com as cabeças erguidas. Seguimos assim, muito antes, muito mesmo, daquele dia… É, seguimos… Antes daquele dia éramos os mais sublimes enamorados da Terra…

E me tornei Bacharel em Educação Física e você uma Engenheira Nuclear. Nosso casamento estava próximo, já havíamos planejado tudo muito antes, estava tudo completamente decidido. Iríamos nos casar uma semana depois de sua formatura, mas aquele dia… Meu Deus, aquele dia… Aquele dia foi… Eu penso que tenha sido um pesadelo… Foi um pesadelo… Foi… Eu não te vi naquele caixão… Você não foi atropelada por aquele caminhão desgovernado que subiu a calçada! Não foi! Não! Não foi! Não foi… Não, meu amor, você não morreu, mesmo que todos digam o contrário! Você não está morta, não está morta! E tudo que planejamos? E tudo que organizamos? E tudo que fizemos? Tudo que ainda iríamos planejar, organizar e fazer? Como me dizem que você morreu? Como me dizem? Como podem me dizer isso? Você está aqui, eu te vejo aqui, eu te sinto aqui! Aqui! Aqui! Aqui!

E te trouxe nossos filhos, veja os cinco aqui… Quando eu peguei cada um deles, me disseram que não eram meus, tive que tomar cada um à força. Não são lindos? Não são, meu amor? Logo, nós vamos estar juntos um do outro, vou levar nossos filhos conosco… Nunca gostamos de armas, mas essa pistola aqui era do meu irmão e a peguei para poder recuperar nossos filhos. É ela que vai nos unir novamente, meu amor… Nos unir junto com nossos filhos… Eu estou preparado para te reencontrar, você não morreu… Nossos filhos estão preparados para te conhecer, sentem muito a falta da mãe… Estão chorando, mas logo vão parar de chorar porque estarão em seu colo… Te amo muito, meu amor… Antes e depois daquele dia, meu amor por você é o mesmo… Sempre vai ser o mesmo… Sempre continuará sendo o mesmo…

Meu sonho com você não acabou, eu o tive desde que te conheci comigo, Elaine…  Aquele dia não acabou com ele, que sobrevive por causa da sua lembrança em meu coração, corpo e mente… Um sonho com os nossos filhos, Melissa… Um sonho com a nossa casa, Melissa… Um sonho com.a nossa família, Melissa… Uma bala para cada um de nós é o suficiente, o caminho até você será bem curto… Estou indo até você, indo ao sonho da minha vida… Ao meu sonho… Ao seu sonho… Está me aguardando, meu amor?


— Te aguardo como sempre te aguardarei, Giuseppe, seja onde for, esteja você onde estiver. Eu também te amo, venha logo… E traga as nossas crianças, preciso dessas crianças… E preciso de você, meu amor… E preciso do que você tem para me oferecer… Amor…


Inominável Ser
UM SER
QUE TAMBÉM
TEM UM SONHO




Share:

sábado, 1 de julho de 2017

Os Sonhos De Sywel No Mundo Das Essências


Nas Essências, não há A Guerra. Nas Essências nem há o mínimo pensamento nos joguetes que se encarregam de definir A História e a Não-História de tudo. Nas Essências, dentro do Infinito Império Essencial, reinam apenas as Presenças que fazem parte do Jogo Maior De Todas As Realidades. Sywel Lorak não é uma Guerreira Mística navegando pelas Essências. Sywel Lorak não é integrante de uma Legião Eterna De Executores Ímpares, os Astords Anreteniud, responsáveis por obedecerem a ordens de massacres de todos os tipos sem contestações, nas Ondas das Essências. Sywel Lorak não é uma mulher; não é uma Keauriotheniana oriunda da Cidade Eterna De Lyund; não é filha de Theres Lorak e Augus Tennhlann, Artesãos Místicos; não é discípula de Menbes Kyfet, Mestra Suprema Maior Da Magia Eterna; não é um Ser ciente de Si Mesmo, sonhando nas Embarcações dentro das Embarcações que são a Grande Embarcação Das Essências.

Grande Embarcação Elementar…

Grande Embarcação Substancial…

Grande Embarcação Ancestral…

Grande Embarcação Transcendental…

Grande Embarcação Omniversal…

Grande Embarcação Multiversal…

Grande Embarcação Onisciente…

Grande Embarcação Onipotente…

Grande Embarcação Onipresente…

Grande Embarcação De Passados…

Grande Embarcação De Presentes…

Grande Embarcação De Futuros…

Sywel planta sua Consciência nas Raízes Das Árvores Dos Senhores Supremos Da Natureza Cósmica. Ela É Folha. Ela É Galho. Ela É Tronco. Ela É Raiz.

Sywel corre sua Consciência nas Asas Dos Tempos Dos Senhores Supremos Temporais. Ela está no Apenas Início. Ela está nas Idades Sem Nome. Ela está nas Idades Com Nome. Ela está nas Eras Universais. Ela está nas Eras Divinas. Ela Está Em Uma Era Da Qual Não Pode Falar.

Sywel respira Consciente nas Ondas Dos Mares Dos Senhores Supremos Das Águas Da Criação. Ela É O Primeiro Oceano. Ela É O Primeiro Mar. Ela É O Primeiro Rio. Ela É A Primeira Cachoeira. Ela É A Primeira Lagoa. Ela É O Primeiro Lago. Ela É O Primeiro Poço.

Sywel aprende Consciente ouvindo as Sapientíssimas Vozes Dos Senhores Supremos Da Sabedoria Eterna. Ela Lê O Primeiro Pergaminho. Ela Lê O Primeiro Texto. Ela Lê O Primeiro Livro. Ela Lê O Último Pergaminho. Ela Lê O Último Texto. Ela Lê O Último Livro.

Sywel explora Consciente os Abismais Labirintos Dos Senhores Supremos Da Eternidade. Ela Caminha Pelos Pilares Eternos. Ela Caminha Pelos Templos Eternos. Ela Caminha Pelos Mundos Eternos.

Sywel aborda Consciente as Vestimentas Senhoriais Dos Senhores Supremos Da Morte. Ela Se Vê Entre Os Verdadeiros Mortos. Ela Se Vê Entre Os Verdadeiros Vivos. Ela Se Vê Entre O Que Não Está Nem Morto E Nem Vivo.

Sywel acorda Consciente nas Estruturas Constituintes Das Fontes De Poder Dos Senhores Supremos Das Moradas Existenciais. Ela Sente O Poder De Tudo. Ela Sente O Poder Do Todo. Ela Sente O Poder De Nada.

E sua Consciência A Faz Ser Essência Disto Tudo E De Muito Mais…

A Essência Dos Primeiros Que Nasceram.

A Essência Dos Primeiros Que Morreram.

A Essência Dos Primeiros Que Renasceram.

A Essência Dos Primeiros Que Não Mais Nasceram.

A Essência Dos Primeiros Que Não Mais Morreram.

A Essência Dos Princípios.

A Essência Dos Caminhos.

A Essência Das Ordens.

A Essência Das Magias.

A Essência Dos Múltiplos.

A Essência Dos Únicos.

A Essência Dos Semelhantes.

A Essência Das Oposições.

A Essência Das Analogias.

A Essência Dos Paradoxos.

A Essência Dos Nexos.

A Essência Das Conexões.

A Essência Das Uniões.

A Essência Das Separações.

A Essência Das Subtrações.

A Essência Das Adições.

A Essência Das Multiplicações.

A Essência Das Divisões.

A Essência Dos Verbos.

A Essência Dos Versos.

A Essência Do Silêncio.

A Essência Das Verdades.

A Essência Das Mentiras.

A Essência Dos Movimentos.

A Essência Da Inércia.

A Essência Do Pensamento.

A Essência Do Vazio.

A Essência Dos Sentidos.

A Essência Dos Desígnios.

A Essência Dos Dons.

A Essência Dos Tons.

A Essência Da Cegueira.

A Essência Da Visão.

A Essência Do Iniciar.

A Essência Do Mediar.

A Essência Do Finalizar.

A Essência Dos Seres Comuns.

A Essência Dos Seres Evoluídos.

A Essência Dos Grandes.

A Essência Das Entidades.

A Essência Dos Deuses.

A Essência Dos Mestres.

A Essência Dos Arquimestres.

A Essência Dos Maiores.

A Essência Dos Médios

A Essência Dos Pequenos.

A Essência Dos Manifestados.

A Essência Dos Automanifestados.

A Essência…

Uma Essência…

Todas As Essências…

E em sua própria Essência, Sywel tem que retornar ao Mundo Material, ao Mundo Das Formas. Retornar como sempre faz quando se encontra distante da Sala Secreta Das Contemplações Do Templo Místico De Lyund, onde Acessa as Essências. Retornar para se ver diante da conclusão de mais uma Missão Executora sob o comando de Seraos Ayafalam, O Deus Executor Da Morte Revelada Na Magia Eterna. Desta vez, dentro da Guerra De Keauriothen Contra Sarewar (aglomerado de 61.121.098 Universos povoados por Raças Celestiais Guerreiras), ela matou 70.911 Soldados inimigos e auxiliou no massacre de todos os 7. 822.765.900 de habitantes do Planeta Lamuarnhae da Galáxia Saarthuna Raun, Universo Prodeferes. As Essências daqueles que sozinha matou em combate ela Sentiu. As Essências de cada habitante planetário ao morrer ela Sentiu. A Essência do planeta, que foi destruído pelo Canhão De Fissão Antimaterial do Intercruzador onde logo depois esteve ela Sentiu. As Essências dos 22.121.987 planetas da daquela Galáxia, destruídos por outros Canhões de outros 42.864 Intercruzadores ela Sentiu.

Sywel. Guerreira Mística. Executora. Deslizadora Essencial. E Sonhadora Que Derrama Lágrimas Por Cada Essência Ferida Por Si E Por Sua Raça Dentro Do Mundo Das Essências.


Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL




Share:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support