domingo, 9 de abril de 2017

A Insaciável Imperatriz Do Meu Inferno


Demon Woman - SirenD


Sete vezes passo o punhal na jugular da vítima, que se contorce sobre o altar de ferro e aço. Sete vezes escrevo no coração da vítima meus nomes secretos vinte e duas vezes encerrados nas chamas que ardem nos vulcões entre as Grandes Bestas. Sete vezes decapito a vítima e bebo seu sangue, que escorre até meus pés e se torna ao solo um lago onde me banho por todas as horas dos meus dias e das minhas noites nos Berços Infernais. Sete vezes me volto para o Oeste e A Vejo Cintilante Entre As Feras Abissais. Sete vezes me volto para o Leste e A Vejo Instrutora De Assassinos Imortais. Sete vezes me volto para o Norte e A Vejo Incentivadora De Destruições Totais. Sete vezes me volto para o Sul e A Vejo Incendiadora De Eternos Vales Imemoriais. Sete vezes eu vou até Ela, Insaciável Senhora que me recebe sempre de braços ensanguentados no Fogo Infernal.

Esmago a cabeça da vítima uma vez mais. Bebo o sangue da vítima uma vez mais. Como a carne toda da vítima com uma ferocidade muito maior do que sempre comi antes. Mastigo cada órgão interno e externo da vítima como carnes últimas na última das mesas de refeição onde irei me sentar. Já fiz isto sete vezes setenta e sete vezes, vítimas e vítimas que cada vez mais me guiaram até Ela. Ela, que tem na voz a imponente fortaleza Daqueles Que Não Se Submetem. Ela, que tem nos passos a cortante destreza Daqueles Que Não Se Ajoelham. Ela, que tem no rosto a dura aparência Daqueles Que Não Se Dobram. Ela, que tem nos olhos a fátua primazia Daqueles Que Não São Quebrados. Ela, que tem no corpo inteiro a inquestionável atemporalidade Daqueles Que Não São Derrotados. Para Ela, ofereço cada olho, lábio, seio, pênis, vagina, intestino, rim, braço, perna, tudo das minhas vítimas. Para Ela, minhas preces dentro da imolação de cada uma das minhas vítimas.

Como sempre, Ela observa minha refeição concluindo ritos que são apropriados para Evocá-La dos Planos Internos. O olhar dela é de fogo e observação de cada ato meu com a vítima que agora tenho na boca. Ela está Insaciável, vendo a minha loucura, toda minha desregrada descida ao Poço Bestial que é o Império Dela. Amo estes momentos onde demonstro que sou Escravo Dela, exercendo meu direito de tornar-me digno de Sua Majestosidade cada vez mais. Devoro minha vítima inteiramente, dedico meus dentes a este mastigar incessante, eu também sou insaciável… Mas, Ela é A Insaciável e não ouso me comparar ao Seu Faminto Existir sempre imperando em Escravos como eu. Não sou o único a quem Ela chega e envolve, domina e conduz, protege e odeia; em cada mundo que se encontra sob o Poder Dos Conflitos na Guerra agora travada, Ela e os Outros Imperadores Infernais encontram autênticos e verdadeiros Escravos Eternos. Sou apenas mais um dos Insaciáveis que A Insaciável maneja para a Glória Dos Abismos Infernais.

Minha vítima já foi devorada, Ela pode agora falar comigo. Se aproximando e pisando nos ossos espalhados no solo, pisando no lago de sangue imolado para Ela, sua voz é emitida diretamente em meu Ser…


— ESPERE AQUI O QUE ESTÁ ANCORADO NAS VIAS FATAIS, VERME ENCARNADO. NÃO FAÇA A DANÇA DA FACA SER MAIOR DO QUE A INÉRCIA VORAZ DA LANÇA. MANOBRE A ÁRVORE E EMPENHE TODA TUA FORÇA NA MANCHA SAGRADA SOBRE OS RIOS DE OPULÊNCIA DA DECADÊNCIA DE TUA RAÇA. ASPIRE AO QUE É O VERDADEIRO FORTE E ESCALE A MONTANHA CUJO PICO SE EXPANDE ATÉ O INFINITO ESPAÇO DAS COBRANÇAS. EU COBRO MUITO MAIS DO QUE TU PODES SUPORTAR, VERME ENCARNADO. MINHAS COBRANÇAS EXCEDEM AO INFINITO A TUA EXISTENCIAL PRESENÇA. MINHAS COBRANÇAS EXIGEM TUA COMPLETA SEMELHANÇA COM A AURA DE CADA UMA DAS MINHAS EXIGÊNCIAS. MINHAS COBRANÇAS DESTROEM TODA TUA PAZ, TODA TUA TRANQUILIDADE, TODA TUA HARMONIA E TODA TUA FELICIDADE. NÃO SOMOS IGUAIS, NUNCA SEREMOS IGUAIS, NUNCA FOMOS IGUAIS E NEM SONHE OU ALMEJE SER IGUAL A MIM. NÃO NASCI DA FOSSA E DO VÔMITO DE ONDE TU FOSTES GERADO COMO O VERME ENCARNADO QUE TU ÉS DESDE TEU PRIMEIRO REVESTIMENTO MATERIAL.  NÃO SOU O VERME DA MULHER QUE TE PARIU. NÃO SOU O VERME DO HOMEM CUJO SÊMEN FEZ PARTE DA TUA FÍSICA GERAÇÃO. NÃO SOU O VERME DE CADA MULHER ONDE TEUS BEIJOS E SÊMEN FORAM DEPOSITADOS. NÃO SOU O VERME DE CADA HOMEM ONDE TEUS BEIJOS E SÊMEN TAMBÉM FORAM DEPOSITADOS. NÃO SOU NENHUMA DAS TUAS SETE VEZES SETENTA E SETE VÍTIMAS A MIM DEDICADAS COM TERNURA, ADORAÇÃO, DEVOÇÃO E AMOR. EU ESMAGO TUA TERNURA POR MIM. EU DESPREZO TUA ADORAÇÃO POR MIM. EU NÃO VALORIZO TUA DEVOÇÃO POR MIM. EU ODEIO TEU AMOR POR MIM TANTO QUANTO EU TE ODEIO, VERME ENCARNADO. O MEU ÓDIO É INSACIÁVEL E UM DIA TU ME PROMETESTES PERPETUAR ESTA MINHA FOME ENTRE OS OUTROS VERMES ENCARNADOS DE TEU MUNDO.  FAZES BEM TEU TRABALHO, MAS PRECISAS ARREMETER MAIS FORTE CONTRA AS CORRENTES QUE QUEREM SALVAR OS QUE OS MEUS IRMÃOS JÁ CONQUISTARAM EM TEU MUNDO. OBSERVO VOCÊ DE MEU TRONO, VERME ENCARNADO, E TU AINDA ESTÁS MUITO DISTANTE DA VERDADEIRA INSACIABILIDADE. PRECISO QUE ARREBATE E CONQUISTE MAIS ALMAS PARA MIM. PRECISO DE MAIS VÍTIMAS PARA MIM. PRECISO QUE TU, VERME ENCARNADO, TOME POSSE DAS DERROTAS DAQUELES QUE OFERECER A MIM, APENAS A MIM. TODO AQUELE QUE CAIR EM TEUS LÁBIOS SERÁ SEMPRE MEU. VOCÊ É ETERNAMENTE MEU, VERME ENCARNADO. SOMENTE MEU ESCRAVO PARA A SACIEDADE DA MINHA FOME… ESTOU FAMINTA AGORA, VERME ENCARNADO… MUITO FAMINTA… INSACIAVELMENTE FAMINTA…


E como trovão faminto, Ela se aproxima…

Quem fugiria Dela?

E como ratazana faminta, Ela se aproxima…

Quem atacaria Ela?

E como leoa faminta, Ela se aproxima…

Quem venceria Ela?

E como falconesa faminta, Ela se aproxima…

Quem humilharia Ela?

E como chacal faminta, Ela se aproxima…

Quem diminuiria Ela?

E como pesadelo faminto, Ela se aproxima…

Quem expulsaria Ela?

E como névoa faminta, Ela se aproxima…

Quem profanaria Ela?

E como treva faminta, Ela se aproxima…

Quem ofenderia Ela?

E como mundo faminto, Ela se aproxima…

Quem destruiria Ela?

E como divindade faminta, Ela se aproxima…

Quem esqueceria Dela?

E como soberana faminta, Ela se aproxima…

Quem saciaria definitivamente Ela?

E Ela salta sobre mim e começa a me devorar. Isto já aconteceu antes sete vezes setenta e sete vezes. Meu crânio é mastigado mais rápido do que posso imaginar. Meu pescoço é triturado por mandíbulas que ultrapassam a definição de indestrutibilidade. Meus braços arrancados e comidos com uma fúria abrasante. Meus pulmões arrancados e de uma vez só mastigados e engolidos. Meu coração pulsa dentro dela agora. Meus rins, intestinos, baço, fígado, pênis, testículos, nádegas, pernas… Sou devorado pela Insaciável… Sou devorado novamente… Sou devorado insaciavelmente… Sou devorado e minha última visão Dela agora é a dos olhos pedindo por mais…

E retorno ao meu corpo aqui em meu Templo Acolhedor. Uma Viagem realizada novamente com sucesso e tudo que está aqui em meu redor são meus artefatos operativos para minha Obra Interior. Visitei mais uma vez o meu Inferno, assim como fizera nas sete vezes setenta e sete vezes anteriores. Amanhã, mais uma vez, tenho que estar bem cedo em minha emissora de televisão. Como Ela, também sou um Governante e tenho os meus Escravos graças aos trilhões em minha conta bancária. E tenho também muita fome… Pela teu corpo, mente e alma, verme teleguiado.


Inominável Ser
ESCRAVO
DA INSACIÁVEL
IMPERATRIZ
DO INFERNO
DELE




Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Covas Recomendáveis

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox

Meu Perfil No Facebook

Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support