sábado, 3 de junho de 2017

Tributo Aos Djardunns


Treinado como o melhor de todos da sua Geração Guerreira entre os Colonizadores Keauriothenianos do Universo Aju Waroon, Tej Ylghnuel se tornou nas Eras da Guerra De Keauriothen Contra Os Djardunns o que a História viria a considerar como A Arma-Sacrifício Mais Do Que Perfeita. Na Idade Cósmica Menor, cinquenta e seis Idades após o Nascimento Da Raça Keauriotheniana, o Império fundado por Thornadoriusis Shodolon encontrava-se ainda em Expansão Territorial. Contando naquela Idade com 10.958 Universos (75% conquistados através de guerras; 25% de modo pacífico, por meio de densas Colonizações Planetárias) e 112.004 Galáxias (colonizadas pacificamente) em seu Universo de origem, o Império começava a tornar-se extremamente temido belicamente. O Imperador Thornadoriusis pediu aos seus Generais e Solfados o desenvolvimento de formas cada vez mais rápidas de Combatividade. A Tecnologia Arcana de Nyetsnye Rinji, Arquicientista Supremo Keauriotheniano, encontrou no inicio daquela Idade uma adversária à altura nos Djardunns, A Raça Descendente De Djar, O Primeiro Arquiteto Tecnológico Da Criação. Império governado por Djar CCLXXXVII, consistia em um aglomerado de 191.978.006 Tecnoversos defendidos por Tecnoguerreiros que manipulavam a Gravidade Universal. A guerra foi iniciada contra Keauriothen por motivos de conquista da parte dos Djardunns das crescentes Colônias Keauriothenianas. Uma Nova Classe Guerreira foi iniciada por causa da intensa sequência de vitórias do Tecnoexército Djar, enfraquecendo as Defesas Coloniais. E Tej foi o primeiro dos exemplares de tal Nova Classe.


Nyestnye precisava agir rapidamente e entre os Clãs Menores Keauriothenianos de todas as Colônias, encontrou os Biotipos Elementares mais aptos para as experiências de Manipulação Genética Bioespiritual. Entre os 712.011.899 integrantes daqueles Clãs em seu planeta-natal, Seanbened, na Galáxia De Uruan, se encontrava Tej, filho de Amu Ogarau (289º Clã Menor) e Nel Ylghnuel (455º Clã Menor), dois Mestres Construtores de Hiperstações Interplanetárias. O também Mestre Construtor foi guiado por duas Legiões até o Planeta Keauriothen, na Galáxia De Órion em Gênesis, junto com os demais, a fim de serem Bioespiritualmente Operados, ele sentiu muita dor ao afastar-se de seus pais, intuindo imediatamente que jamais tornaria a encontrá-los. Em 141 Anos Universais foram Operados em Keauriothen por Nyestnye, outros 3.351 Arquicientistas e 90.122 Cientistas 677x10³²¹ Keauriothenianos de ambos os sexos. Acirrada cada vez mais se tornava a guerra e todas as Operações, junto com o Período de Treinamentos dados pelo próprio Imperador, terminaram exatamente após a morte de Adahran Ocitilop, o General Supremo De Guerra Maior Keauriotheniano, na Grande Batalha Do Universo Stregagr.


Tej se tornou tanto a Maior Obra Arquicientífica de Nyestnye quanto o Maior Discípulo de Thornadoriusis em toda a História Da Criação. Nyestnye trabalhou em Organismos Bioespirituais de Seres Comuns, mas Ativou, a partir do positivo resultado em Tej, as Sementes Evolutivas De Deuses Da Magia Eterna. Após a experiência com sua primeira Obra, repassou aos demais Arquicientistas e Cientistas o seu Modo Operativo, sendo que os resultados de cada um foram especificamente diferenciados. O caso especialíssimo de Tej foi que este adquiriu uma Capacidade Evolutiva idêntica à do Imperador, que, nos Treinamentos, todos realizados em uma Dimensão Secreta Da Magia Eterna, fez dele uma Reprodução Perfeita em Termos Evolutivos. Homens e mulheres como ele atingiram Ápices Evolutivos que Seres Comuns jamais sonhariam em atingir através da Tecnologia Arcana; porém, tal Dádiva tinha um altíssimo preço, revelado a cada um após as Operações: após o término das batalhas, em decorrência da utilização de Poderes Absolutos, eles sofreriam um Colapso Bioespiritual que os levaria à morte. Cada um, em nome do Império Keauriotheniano, aceitou tal Supremo Sacrifício.


Mais fervoroso entre todos, Tej recebeu de Thornadoriusis Armas E Aparatos Místicas Automanifestados No Útero Da Magia Eterna. Dentre eles, O Escudo e O Martelo Sagrados que levavam o nome do Imperador eram os mais importantes, tendo sido usados pelo mesmo para a Extinção Dos Ogaroth, Os Monstros Caóticos Automanifestados, no Apenas Início Da Criação. Também fervoroso por mulheres, Tej encontrou em sua curta estadia em Keauriothen o amor de sua igualmente curta Existência: Takiris Shet, filha dos Generais Soza Shet e Takaros Kronham, Arquiteta De Cidades Eternas. Devido à guerra, ela e outros Arquitetos nascidos no planeta, que geralmente viajavam ininterruptamente pelas Colônias a fim de construírem as Cidades das mesmas, resolveram retornar ao planeta para não serem vítimas colaterais das batalhas. Apaixonando-se da mesma forma por Tej, com ele contraiu um Matrimônio Eterno que não contou com a aprovação de seus pais, ainda mais com estes estando distantes no comando de Legiões em dois distintos Universos Coloniais, Akoo (Soza) e Dearys (Takaros). Ao partir para o confronto com os Djardunns ao lado dos demais Deuses-Sacrifícios, sob o centralizador comando do novo General Supremo de todo o Império, Oros Gnaix, Tej deixara sua Esposa Eterna grávida. O último beijo nela dado conteve ainda dores e lágrimas profundas para ambos.


Como A Arma-Sacrifício Maior, Tej foi guiado por um Deslizador Cronoespacial, Abah Gnaix, até Djarmahdrunn, O Tecnoverso Central do Império Djar. Enquanto os outros Deuses-Sacrifícios foram guiados às Colônias em Intercruzadores e lutaram ao lado de Guerreiros Grilock e Guerreiras Xifarg, Tej ficou responsável pela eliminação do Imperador junto com a Elite Tecnoguerreira que o defendia. Em 5.211 Anos Universais, atravessando 606.800 Galáxias e lutando em 66.765.890.333 Planetas, os quais encontravam-se interligados por Construtos Tecnocósmicos, Tej exterminou um inumerável contingente de formidáveis Tecnoguerreiros. Por ordem expressa do próprio Thornadoriusis, também massacrou a inumerável população não-guerreira de cada planeta, frio e implacavelmente aliado ao seu objetivo de Sacrifício em nome do Império. Ao chegar a Djarthron, O Útero De Djar, O Primeiro Planeta Imperial, os Efeitos do Colapso estavam em altíssimo crescimento e, mesmo assim, ele impassivelmente cumpriu seu Dever Eterno como Exterminador-Sacrifício. E encontrou o Imperador no topo de Djarnaghsra, A Montanha De Djar, Construto Tecnoorgânico ao qual o corpo físico e o Ser daquele encontravam-se atados.


— Meus Unidos Filhos mortos, todos eles. E agora agonizam outros em outros campos de batalha. E morrem também os assassinos deles. Você está morrendo como eles.
— Cumpri minha Missão Eterna, Imperador Djar CCLXXXVII.
— Seu Sacrifício é pelo Império pelo qual luta.
— E pelo meu Imperador e Mestre, Thornadoriusis Shodolon.
— O Primeiro Assassino, Ladrão E Estuprador Da Criação.
— Como ousa ofender O Primeiro Ser Da Criação?
— Você é um Jovem Ser e vai morrer como um Iludido Ser. Mas, Conheço A Verdade sobre seu Pai Racial. Conheço Tudo Sobre aquele Monstro Eterno. Quer que eu lhe conte tudo que eu Sei antes que você use contra mim o seu Martelo?
— Não vou ouvir mentiras…
— Você, Tej Ylghnuel, teve uma Intuição Pura que o fez Ver Passado, Presente e Futuro. Não foi o Acaso Eterno ou a Tecnologia Arcana de sua Raça que lhe fizeram Idêntico Bioespiritualmente ao Primeiro Ser. Nem você pode negar o que o levou a fazer algo para a proteção daqueles que ama após a sua morte.
— O Passado, O Presente e O Futuro estão aqui agora. O meu, o seu e o de nossos Impérios. Eu Sei quem é meu Imperador e Mestre; Eu Vi o que ele fez por um Instante Eterno antes da Raça Keauriotheniana ter sido Fundada pelo Sêmen Eterno dele. Ele nos Vê e Ouve agora, Sabendo que eu Vi e Soube o que Ele É Em Verdade. Mesmo Sabendo, eu lutei por ele e pelo Império que será O Maior De Todos Os Impérios.
— Uma Nova Luz Para O Todo E Trevas Auto manifestadas Para Todas As Raças Abaixo Da Keauriotheniana.
— É O Inevitável Conforme Os Desígnios Do Destino Eterno, Imperador Djar CCLXXXVII.
— O Destino Eterno fez com que mortos extinguissem um Grande Império nascido no Apenas Início. Você me matará possuindo o Poderio Evolutivo do Ser que matou o nosso Iniciador Racial, roubou nossas Armas Primordiais e estuprou os filhos e as filhas dele. Minha vingança foi tola, eu fui tolo, e o verdadeiro culpado pela derrota de minha Raça.
— O Destino Eterno me trouxe até este momento como o cumpridor dos Desígnios Da Magia Eterna. Se meu Imperador e Mestre é Culpado, os Descendentes Eternos dele, como eu, não o são, Imperador Djar CCLXXXVII. Nós que seremos sempre lembrados como os Deuses-Sacrifícios Keauriothenianos fomos criados para derrotarmos a maior ameaça até agora para a continuidade de nossa Raça. E somos um Tributo à sua Raça, que quis Extinguir a nossa.
— Tributo Sacrificado.
— Tributo Salvador!


O Martelo, empunhado com as duas mãos, pulverizou o frágil e pequeno corpo do Último Dos Djars. O impacto se expandiu pelo Construto e se alastrou por todos os planetas, interligados que estavam uns aos outros. Planetas mortos. Universos mortos. Império morto. E um Guerreiro-Sacrifício, abraçado ao seu Martelo e Escudo.


— Pai… Mãe… Takiris… Filho…


Os Djardunns, junto com toda sua Tecnologia, deixaram de existir completamente 1.213 Anos Universais após a morte de Tej e suas Possessões Tecnoversais foram ocupadas por Colonizadores Keauriothenianos. Os Deuses-Sacrifícios, responsáveis pelo desaparecimento deles, tiveram seus cadáveres cremados em uma Grande Cerimônia Mística em Keauriothen. Menos o cadáver do Herói Maior, que não foi localizado no último local em que esteve antes de morrer. Takiris, ainda grávida, fora dada como desaparecida do planeta logo após a partida de Tej; e o Deslizador que a este levou para o Centro Imperial Djardunm, Abah, igualmente desapareceu, não conseguindo ser localizado posteriormente nem mesmo por outros Deslizadores. Thornadoriusis, mesmo tendo perdido os Aparatos e o Martelo junto com o desaparecimento de seu Discípulo E Súdito Maior, manteve-se calmo, calado e respeitoso à memória dele. Apenas interiormente, o Primeiro Ser fervilhava Sabendo quais foram os motivos que construiram o mistério envolvendo Tej, algo que por toda a História Keauriotheniana jamais fora desvendado. Estátuas e Cidades levando o nome de cada Deus-Sacrifício, sendo o principal o dele, foram sendo construídas pelo Império conforme este crescia, uma maneira de Sagrado Eterno Agradecimento aos Heróis que Salvaram de uma possível Extinção toda a Raça.


Entre as Profecias Secretas de Harizaellaa Harok, A Senhora Do Raio, há uma referente aos Quatro Sacrifícios Que No Meio Do Grito Revolucionário Do Moldado Retornarão Para Serem Pilares Da Guerra Pela Manutenção. Seriam Tej, Takiris, o filho deles e Abah os tais “Quatro Sacrifícios”? Como Cronista, eu não  saberia lhes dizer e nem mesmo posso aqui falar sobre o que significa os profetizados “Grito Revolucionário” e a “Guerra Pela Manutenção”. Estes são assuntos para outras Crônicas, envolvendo mais do que apenas a Raça Keauriotheniana. E tendo outros Sacrifícios dentro de outros conflitos e esquemas.


Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL




Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Meu Perfil No Facebook

Esta Cova No Facebook

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Marcadores


Firefox

Firefox
Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Recent Posts

Unordered List

Theme Support