segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Crônica De Uma Sanguinária Espada


A beleza da lâmina de Sterkala se conduz pela proporção de inumeráveis Existências que nela encontraram um fim sempre inimaginavelmente cruel. As dores dos que foram mortos por ela continuam ressoando a cada centímetro da sombria dimensão da arguta lâmina. A hora da morte de cada vítima dela está gravada, assim como as mãos de seus Portadores, também inumeráveis, do Clã Ster de Soldados Avançados Keauriothenianos Grilock e Xifarg. 332º Clã Menor Keauriotheniano, legou à História Racial Keauriotheniana a mais sanguinária de todas as Espadas Místicas Moldadas. Uma Espada Viva, Pensante, Pulsante, A Respirar O Ar De Cada Campo De Batalha Em Busca De Mais Sangue A Ser Derramado. Espada conduzida a incontáveis campos de batalhas por homens e mulheres igualmente sedentos por sangue a ser derramado e bebido. Espada que apenas se importa com o quanto ainda deve ser embainhada para que outras vidas sejam por ela destroçadas. Espada Bebedora De Sangue. Espada Amante Do Sangue. Espada Pedinte Por Sangue.

Seu primeiro Portador foi Gusto Ster, o 563º Filho Keauriotheniano De Thornadoriusis Shodolon. Foi forjada com o sangue de sua mãe, que morrera no parto, através de um Ritual Místico Secreto; e da primeira mulher que matou, Xayra Zaathlan, a 1.002ª dos Filhos Keauriothenianos do Primeiro Ser. Evocando O Espírito Guerreiro Da Magia Eterna e a Morte Automanifestada, moldou sua mortífera arma que o transformou em um dos grandes Soldados Keauriothenianos na Idade Dos Fatos. Nesta que foi a Idade Da Expansão Imperial, matou nas 3.155 guerras que travou 22x10³⁴ inimigos, até ser traído e assassinado por seu único filho, Arystho Ster, com a própria espada que moldara.

Arystho, o segundo dos Portadores dela, foi tão cruel quanto o pai. Gostava de estuprar mulheres e matá-las cravando-lhes, da vagina ao pescoço, a lâmina; decapitava gargalhando prisioneiros, sozinho, sob as ordens de diversos Generais; matava Animais Místicos por diversão e esporte; e chegou a matar 224 de seus 688 filhos por causa dos mesmos terem demonstrado insegurança em campos de batalha. Exterminou 41x10²² vidas até ser morto pelo seu primogênito, Dooru Ster, que, para não ser traído pelos irmãos, matou os demais que sobreviveram ao duro treinamento com o pai.

O terceiro Portador ainda estuprou e matou a própria mãe, Asueda Vanyust, que fora contra as atitudes traiçoeiras do filho. O assassinato de Asueda deu início à Guerra Dos Vanyust Contra Os Ster; os demais membros deste Clã (2.939.665.540 Soldados), liderados por Dooru, combateram pelo Universo Daoma as Legiões Vanyust, que contabilizavam 3.322.446. O Imperador Thornadoriusis, que não interferia em conflitos entre os membros dos Clãs de seu Império, sequer se moveu do Planeta Keauriothen quando do início daquela guerra. Quando 61% dos Ster foram executados e apenas 2% dos Vanyust tombaram, Salua Ster, uma Mestra Espadachim de renome, levou a questão de um acordo de paz a Dooru. Este, ofendido, rejeitou tal ato e, ao tentar matar Salua, foi por esta assassinado com Sterkala. A paz chegou a Daoma, mas o preço pelo mesmo foi o banimento dos Ster de tal Universo.

Guiando um Clã enfraquecido e humilhado até outra Colônia Keauriotheniana, o Universo Raala, a quarta dos Portadores de Sterkala teve que lidar com ataques de Criminosos Multiversais. Batalhas foram travadas em 2.258 planetas colonizados por Keauriothen e, como Soldados do Império, os Ster tiveram que auxiliar seus Irmãos Raciais. Salua matou 300.239.544 Criminosos oriundos de diversos Universos e Linhas Temporais Alternativas, consolidando ainda mais o seu nome como Guerreira Xifarg. Ao chegar em Raala, no entanto, foi traída por um grupo de seu Clã insatisfeito com o rumo tomado pelo mesmo; liderados por Ologur Ster, quase foram totalmente mortos por Raala, que teve os que defenderam-na mortos na luta que se arrastou por um planeta desabitado e sem nome. Raala sobreviveu, matando Ologur e deixando vivos apenas três de seus irmãos consanguíneos, Zalsos, Adern e Raehsa, que planejaram sua morte ao comando de Ologur.

Longe das Forças Legionárias Imperiais e isolados em um planeta ainda não colonizado, Raala treinou seus irmãos para que um deles pudesse um dia herdar A Maior Espada Do Clã Ster. A Desestruturação Bioespiritual, inerente aos Seres Comuns Keauriothenianos, já lhe afetava, aproximando-a da morte. Ela doutrinou os irmãos no Caminho Da Espada Keauriotheniano, ensinando-lhes até mesmo Artes Esgrimistas Secretas separadamente. Proibidas de serem ensinadas aos que jamais fizeram parte de Templos Esgrimistas, foram repassadas a eles para que pudessem enfrentar um ao outro a fim de que ficasse decidido quem herdaria Sterkala. A luta entre os três realizou-se no dia de sua morte e a vencedora foi Raehsa, que retirou das mãos de sua irmã já morta aquela espada.

A última dos Ster e quinta dos Portadores da Espada Magna de seu Clã, entrou em contato com Legiões Keauriothenianas através do Sistema Quântico De Comunicação Interespacial de um dos 81 Intercruzadores pousados no planetas que antes comportaram os demais Ster. Resgatada por uma Legião ao comando de Ymain Isaachlan, General Supremo De Raala, Raehsa decidiu reconstruir seu Clã utilizando seu útero para a formação de uma Legião que ela mesma treinaria. Ininterruptamente guerreando em 4.046 guerras em 623 Universos, nas quais matou 556x10³³³ inimigos, engravidou de 150.000 Generais Supremos com Genes Bipespirituais Avançados e gerou 150.000 filhos que pessoalmente treinou. Ao finalizar a formação da Legião Avançada Raehsa Ster, reconhecida pela Império, e sentindo o avanço da Desestruturação, ela escolheu Brahmayr Ster, seu primeiro filho, para ser seu sucessor.

O sexto dos Portadores de Sterkala, atento ao objetivo de sua mãe em fazer da sua Legião a mais poderosa das Legiões Keauriothenianas, guiou seus irmãos em 9.232.455 guerras por 33.402 Universos, sem perder nenhum deles. Sozinho, matou 666x10⁴⁴² inimigos e viu crescer numericamente a Legião, que quintuplicou seu contingente desde que assumiu o comando da mesma. Com ele, os Ster encontraram seu auge, estavam a poucos passos de se tornarem um Clã Maior nas Idades após a dos Fatos, segundo estatísticas de Estrategistas Militares Keauriothenianos. Nele, Sterkala encontrou seu Portador Definitivo, mesmo sabendo que se tratava de apenas um Ser Comum que poderia ser morto em uma guerra ou naturalmente morrer através da Deterioração Genética Espiritual que equilibrava a Raça Keauriotheniana. Mas, um dos filhos dele, Kroushna Ster, aliado aos renomados Cinco Bilhões De Mestres Da Guerra dos Clãs Maiores Rinji, Jokat, Nersky e Samlah, que viam o crescimento da importância dos Ster como uma Anomalia Existencial, já que se tratava de um Clã Determinado Pela Magia Eterna A Ser Menor, matou-o e a todos os demais do Clã.

O sétimo Portador de Sterlaka, O Traidor Dos Ster, O Indigno Esgrimista Traidor, A Escória Keauriotheniana Maior como sempre seria, não foi aceito pela própria espada que tomara para si. Agindo contra ele, a mesma o enlouqueceu ao ponto de torná-lo um Psicopata Universal que, sozinho, passou a extinguir populações planetárias inteiras. Antes de ser detido pelos próprios Mestres que o auxiliaram na Extinção de seu Clã, ele atacou 1.395 planetas do Universo Trgo Rae Rdaemar, que não era uma Colônia Keauriotheniana, e matou 600x10¹¹ Seres Comuns. Aprisionado no Planeta Keauriothen, no Complexo Prisional Subterrâneo das Montanhas Admon, como Criminoso Universal, foi mantido sem bebida e alimento até definhar mortalmente à chegada da Desestruturação.

Margyah Rinji, uma dos Mestres que participaram do Evento conhecido como O Crepúsculo Dos Ster, percebeu com seu Senso Militar Intuitivo a capacidade incomum de Sterkala e tomou-a para si. No entanto, mesmo ainda mortífera e implacável em mãos formidavelmente habilidosas, ela não mais sentiu o mesmo que sentira quando empunhada por um Ster. Outros Esgrimistas na História Keauriotheniana, das Últimas Das Idades até a Última Das Eras Divinas, foram agraciados com o prazer de ter nas mãos a mais lendária e magnífica das Espadas Místicas Keauriothenianas após as Espadas Sagradas De Thornadoriusis e de Thades. De Seres Comuns a Seres Evoluídos da Raça Keauriotheniana, sua trajetória foi determinada pela ilimitada quantidade de sangue que a alimentou e fortaleceu. Não é uma espada amiga dos fracos, dos bons, dos humildes, dos conquistados. É uma espada dos fortes. É uma espada dos extinguidores en si tanto do Bem quanto do Mal. É uma espada dos que nunca se curvam ou ajoelham. É uma espada dos conquistadores.

E está em mãos da Definitiva Conquistadora.

Mesmo assim, a sua Última Portadora não a conquistou.


Inominável Ser
BÉLICO
CRONISTA
INOMINÁVEL




Share:

0 Cadáveres Aqui Escavaram Suas Covas:

Meu Perfil No Facebook

Esta Cova No Facebook

Prosa De Um Coveiro Inominável

O Terror Inominável. O Horror Inominável. A Loucura Inominável. A Cova Aqui É A Do Puro Pesadelo Das Covas Mais Profundas E Elevadas. Vozes Estranhas Aqui. Sons Estranhos Aqui. Palavras Estranhas Aqui. Estranhas E Inomináveis. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Terror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Do Horror Inominável. Sintam-Se Conduzidos Pelo Carro Inominável Da Loucura Inominável.

O Coveiro Inominável

Minha foto
Nos Infernos, O Abismo
Visualizar meu perfil completo

Cavam Aqui Suas Covas:

Arquivo do blog

Marcadores


Firefox

Firefox
Obtenha visualizações gratuitas no Snap.com
Add to Technorati Favorites

Arquivo do blog

Recent Posts

Unordered List

Theme Support