A Mulher Multiplicada

 



Na primeira vez, ela apareceu uma vez, estética de um momento assombroso no vazio do mais etéreo silêncio. Não falou nada, não olhou para mim, se manteve estática, sentada, olhando para o mais distante nada. E me atraiu como a criatura mais misteriosa do Enevoado Reino do Sonhar. 


Na segunda vez, ela apareceu duas vezes, duplicata da mesma figura Imortal que aparecera imóvel e absoluta anteriormente. Jazia em torno dela uma atração ainda maior, uma história ela contava mantendo-se ainda duplamente calada, duplamente misteriosa, duplamente estranha para mim. E me chamava, assim, para dentro dela. 


Na terceira vez, ela apareceu três vezes, triplamente refletida em imagem que parecia a de um espelho distorcido sem o aspecto da Anamorfose. Era a mesma mulher, a mesma figura enigmática que nas duas vezes anteriores, com seu estático silêncio tumular, me movimentou para os encantos dela. Três vezes mais imóvel, bela, encantadora e silenciosa como a maior das belas invernais madrugadas. 


Na quarta vez, ela apareceu quádrupla em toda a sua não-transparência, qualidade genuína de fantasias para as almas navegantes entre as feitiçarias da onírica tumba. Nuances de quatro vozes dentro de mim, as minhas próprias vozes, respondiam ao silêncio dela, cujos olhos ainda continuavam a fitar o que eu não era capaz de visualizar. E comecei, um pouco, a me desesperar. 


Na quinta vez, ela apareceu quintuplicada, cinco vezes a mesma gigantesca Ninfa Silenciosa de gélido, distante e impassível constituição. Certo medo nasceu em mim porque eu era incapaz de saber o que ela era. Toda frustração passou em mim porque eu estava falhando em querer fazê-la traduzível conforme meus conceitos. Muita angústia e nervosismo me acuaram porque nunca pensei que poderia, um dia, não suportar ficar distante da verdade de uma aparição para mim no Sonhar. 


Fui lançado de volta para a cova fria do meu quarto, assustado e carregando em mim aquela mulher. Cinco vezes ela me comunicou algo que preciso desenvolver se algum dia for capaz de compreender. Mas, muito dos sonhos que transbordam pelos Noturnos Mistérios jamais serão decifráveis por efêmeros mortais como eu dentro da carne. Precisarei me desfazer desta prisão para poder reencontrá-la… A cada noite, tento voltar para ela… E a cada noite, no Império Dos Sonhos, sou levado para outros lugares tão imóveis e silenciosos quanto ela, que não mais surge para mim. 


Uma vez, novamente, desejo revê-la. 


Inominável Ser 

SINGULAR

SONHADOR

SONHANDO

COM A

MULHER

MULTIPLICADA







Nenhum comentário: